depressão afeta a produtividade

Como a depressão afeta a produtividade nas empresas

Tristeza, falta de motivação e desânimo. Enfrentar o trânsito para chegar ao trabalho ou concluir uma tarefa torna-se um problema enorme. O que antes era prazeroso, hoje parece ser impossível de se executar. Boa parte da população mundial possui ou já teve depressão. A doença já é a 4ª de maior impacto mundial. Ou seja, uma das que mais afetam as pessoas. Em 2020, a estimativa é que ela passará a ocupar a 2ª colocação, perdendo apenas para as doenças cardíacas. Com esse cenário, é preciso compreender como a depressão afeta a produtividade e o que fazer para lidar com essa situação enquanto empresa. 

Muito além do individual, a depressão tem se transformado em uma questão de saúde pública, com fortes consequências socioeconômicas. Durante o Fórum Econômico Mundial de 2018, na Suíça, os participantes foram questionados: “seria a depressão o câncer do século 21? ”. A partir desta pergunta passaram a refletir sobre os impactos que a depressão tem no mundo como um todo. Apesar de muita gente ainda questionar a importância do debate em relação ao transtorno mental, é essencial ter em mente que a depressão, mesmo não sendo um tumor maligno, também pode levar a morte, causando consequências devastadoras, parecidas com as de diversos tipos de câncer do século 20. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 2005 e 2015 o número de pessoas com depressão aumentou 18,4%, correspondendo a 322 milhões de indivíduos, ou 4,4% da população da Terra. No Brasil, 5,8% dos habitantes, 11.5 milhões de pessoas – a maior taxa do continente latino-americano – sofrem com o problema.  Esses números mostram que a depressão está presente em diversos setores da sociedade, sejam eles econômicos, sociais ou privados, atingindo boa parte da população direta ou indiretamente. 

depressão afeta a produtividade

Isso faz com que o assunto tenha sido discutido em um evento global sobre economia e entre em pauta em diferentes ocasiões. Hoje, mais do que nunca, fica claro que a saúde mental deve ter atenção e ser tratada como a saúde física, sem preconceitos ou pré-julgamentos. Para isso, toda empresa precisa ter em seu consciente a compreensão de que a depressão afeta a produtividade, traçando ações de prevenção e para desmistificar este assunto, ainda muito cheio de tabus. Abaixo você confere um pouca mais sobre o que é e como a depressão afeta a produtividade no ambiente de trabalho.  

Leia também: Como desenvolver ações efetivas para melhorar a saúde mental nas empresas

O que é depressão e quais as suas possíveis causas?

Antes de entender como a depressão afeta a produtividade nas empresas, é importante, de uma vez por todas, saber algumas características da depressão. Segundo a OMS a depressão é um transtorno mental que pode ser categorizado como leve, moderado ou grave, a depender da intensidade dos sintomas. Alguns sintomas comuns de uma pessoa com depressão são: 

  • Mudanças no humor
  • Oscilações entre sentimento de culpa e baixa autoestima
  • Perda de interesse em realizar atividades cotidianas que antes eram prazerosas
  • Perda de libido
  • Distúrbios do sono ou de apetite
  • Pensamento de suicídio ou de causar danos a si mesmas

É claro que esses quadros variam de pessoas para pessoas, dependendo das características emocionais e de personalidade. A depressão é considerada hoje resultado de uma complexa interação entre fatores sociais, psicológicos e biológicos.  Falar sobre a causa da depressão é levar em conta diversas causas, muitas vezes difíceis de se enumerar. Não há um gatilho único que possa ocasionar a depressão e qualquer pessoa pode acabar desenvolvendo. Não é um sinal de fraqueza e nem há indivíduos específicos que irão desenvolver a depressão.

depressão afeta a produtividade

Entretanto, muitas vezes pessoas que passaram por eventos adversos durante a vida (desemprego, luto, trauma psicológico) acabam sendo mais propensas a desenvolverem depressão. Porém também é comum vermos relatos de casos em que a doença surgiu de maneira pontual, após um episódio grande de estresse ou de tristeza profunda, em que, mesmo depois da resolução do problema, o sentimento manteve e se desenvolveu para um quadro depressivo. 

Ainda existem depressões por conta da genética ou como consequência de disfunções hormonais, dependência de álcool ou drogas ilícitas, como também desenvolvidas após um quadro de doenças cardiovasculares, endocrinológicas, neurológicas, neoplasias entre outras. 

Leia também: O que é necessário para alcançar a produtividade na empresa?

Afinal, como a depressão afeta a produtividade no trabalho?

Sem dúvidas o ambiente de trabalho acaba sendo um dos pontos principais de atenção quando o assunto é depressão. Além da depressão afetar a produtividade dos colaboradores, situações adversas no âmbito trabalhista podem ter grande influência no quadro depressivo. Estresses cotidianos ou sobrecarga funcionais acabam sendo uma das possíveis causas da depressão relacionada ao ambiente profissional. 

depressão afeta a produtividade

Como colaborador, a depressão afeta a produtividade, a concentração, a dificuldade de entrega de tarefas, levando muitas vezes à exclusão em momentos de confraternização com outros colegas. Um dos principais pontos da depressão é essa dificuldade de socialização e execução das atividades cotidianas. Os profissionais com depressão costumam desenvolver algumas características semelhantes, como: 

  • atrasos e faltas frequentes,
  • dificuldade em reter e compreender informações
  • memória falha 
  • perda da capacidade de tomadas de decisões e posicionamento 

Como as empresas devem lidar com a depressão

O primeiro passo para proprietários, gestores e líderes de organizações empresariais, como também para os setores de Recursos Humanos, é compreender que a depressão como uma realidade e que seus funcionários podem tê-la ou desenvolvê-las a qualquer momento. Depressão não é preguiça, desinteresse pela empresa ou “frescura”, como muitos ainda acreditam ser. 

Respeite os colaboradores com depressão da mesma maneira que você respeita quem não tem, sem distinções de comportamento ou tratamento enquanto relação profissional. Esse é um dos maiores desafios. É comum vermos um relacionamento diferente quando se tratam de profissionais com depressão. Muitas vezes, inconscientemente, a empresa acaba não os valorizando ou dando menos oportunidades internas, impactando diretamente na produtividade. Não se deve nem tratar esses profissionais como especiais e nem como menos competentes que os demais

A empresa precisa estabelecer estratégias de diálogo com as mais diversas áreas, realizando treinamento e desenvolvimento de pessoas, com planos de ações que incluam assistência para colaboradores com depressão, além de informar como todos devem lidar com essas situações, através de palestras e cursos. Esse planejamento deve considerar uma avaliação geral do cenário atual da empresa, estudando o ambiente físico de trabalho e como ele pode impactar na qualidade de vida dos seus colaboradores. Se sua empresa ainda não realiza, é importante começar a fazer um levantamento constante do clima da organização, além do incentivo e prática de feedbacks. 

Em casos em que forem percebidos sintomas e quadros de depressão entre seus colaboradores, busque orientá-los a buscar apoios profissionais, muitas vezes a própria empresa pode incluir em seus investimentos parcerias com clínicas terapêuticas, psicólogos ou psiquiatras. 

Leia também: Saúde preventiva nas empresas: o que é e como ser eficiente

Esperamos ter lhe ajudado a compreender como a depressão afeta a produtividade e a importância da consciência coletiva sobre os impactos da doença seja no trabalho, como na vida cotidiana. É preciso respeito e atenção para que se consiga reverter esse aumento expressivo de casos. 

Compartilhe esse texto nas suas redes sociais e auxilie mais pessoas nessa conscientização!

melhorar a saúde mental

Como desenvolver ações efetivas para melhorar a saúde mental nas empresas

Você sabia que os transtornos comportamentais e de saúde mental já são a segunda causa de afastamento de trabalhadores no Brasil? Segundo dados da Previdência, nos últimos dez anos, a concessão de auxílio-doença e aposentadorias por conta de transtornos relacionadas à saúde mental aumentou quase em 20 vezes. Com esses dados, empresas devem estar mais atentas a atitudes que possam tomar para melhorar a saúde mental dentro e fora de suas organizações. 

A saúde mental tem sido tema de diversos debates e seminários de gestão de pessoas nas empresas. Isso deve-se aos diferentes dados que comprovam a necessidade de ações para melhorar a saúde mental. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que até 2020, a depressão será a enfermidade mais incapacitante em todo o mundo. Isso porque a mente é uma parte do corpo que, mantendo os cuidados necessários, sustenta o organismo tanto quanto os órgãos, músculos e ossos. A saúde mental influencia diretamente na saúde fisiológica e vice-versa. Basta refletir em nossas rotinas e também quando estamos doentes. Quantas vezes o simples fato de pensarmos positivo sobre algo influenciou para que melhorasse? A questão é que para muitos, essa atitude que pode parecer simples, torna-se muito difícil, praticamente impossível. 

Em um cenário como este, as empresas têm buscado alternativas para evitar que esses afastamentos ocorram. É preciso ter consciência de que o ambiente profissional pode influenciar diretamente na saúde mental, bem como no bem-estar dos colaboradores. E o caminho inverso também ocorre. Quando você não foca em melhorar a saúde mental dos seus colaboradores, você está fechando as portas para a produtividade, o engajamento de seus funcionários e suas motivações para crescerem na organização. Para isso, separamos abaixo algumas iniciativas que sua empresa possa passar a ter para lidar com esse cenário corretamente e conseguir melhorar a saúde mental de seus funcionários. Continue lendo e confira! 

Leia também: Cinco dicas de como ser mais inclusivo na sua empresa

Compreenda o cenário da saúde mental na sua empresa

Antes de realizar qualquer ação prática para melhorar a saúde mental na sua empresa, é preciso realizar um levantamento e estudo de como está de fato a atual situação dos seus funcionários. Da mesma forma que sua empresa possui, ou deveria ter, ações voltadas à segurança do trabalho, como brigadas de incêndio e funcionários treinados para manter o ambiente de trabalho seguro, é essencial que se compreenda a necessidade de ter um olhar atento à melhora da saúde mental.

Você sabe o nível de motivação de seus colaboradores? Há quanto tempo sua empresa não realiza um levantamento para medir a satisfação? Existe um espaço aberto para conversas, sugestões e reclamações? Como é a comunicação dos seus líderes com suas equipes? Quantos funcionários hoje já passam por algum tratamento de saúde mental? 

melhorar a saúde mental

Essas são algumas questões a serem levantadas para ter compreensão do cenário atual da sua empresa em relação à saúde mental. Se na sociedade a saúde mental ainda sofre preconceitos, dentro da sua empresa você deve tentar ao máximo não tratar esse assunto com tabu, como algo exótico ou minimizando. É preciso ter como prioridade ações para melhorar a saúde mental, encarando que todos em algum momento podem precisar de algum auxílio nesse sentido. Quando você globaliza certa situação, você consegue futuramente alcançar que isso torne-se uma exceção e não uma regra.  É preciso construir uma comunicação mais respeitosa e empática. 

Evite líderes com comunicação agressiva

Com tantas metas a cumprir e concorrências de mercado, muitas vezes acabamos cobrando nossos colaboradores de maneiras indevidas e criando um espaço de diálogo muito restrito e inadequado. Não se trata de diminuir o papel da liderança ou tirá-la o seu poder de fala, mas é preciso tornar o processo de feedback mais eficiente, buscando soluções de problemas e com um perfil muito mais conciliador, do que autoritário.  Seus funcionários precisam sim ter claro os objetivos do negócio, mas isso não precisa ser feito de maneira agressiva ou apenas com ordens. É importante que todos compreendam suas importâncias para a sustentabilidade da organização, instigando a todos a participação ativa para construir uma empresa sólida e de sucesso. 

melhorar a saúde mental

Procure capacitar seus líderes a criarem uma cultura e comunicação positiva, aberta e transparente com suas equipes. Esses líderes precisam mostrar aos seus funcionários que todos são valorizados e que a empresa se preocupa com suas opiniões. É preciso ter em mente que muitas decisões fogem apenas das questões legais, passando para esferas emocionais e individuais. Cada colaborador possui características próprias que precisam de devidas atenções, sem julgamentos. 

Leia também: O que é necessário para alcançar a produtividade na empresa?

Crie um calendário dedicado à saúde mental

A partir do momento que você já possui um diagnóstico de como está atualmente sua empresa em relação à saúde mental, é essencial estabelecer o que precisa ser feito para auxiliar quem já sofre com algum tipo de transtorno, bem como conscientizar todos seus colaboradores sobre a necessidade de cuidados. 

Mais do que ter eventos, palestras ou trazer psicólogas para conversar com seus colaboradores, é necessário também construir uma cultura em que seus funcionários consigam equilibrar suas vidas pessoais com seus compromissos dentro da empresa. Todos precisam ter tempo para estar com suas famílias, resolver seus problemas particulares e, claro, descansar para recarregar as energias. 

Para construir essa cultura, observe quanto seus colaboradores estão trabalhando. E quando falamos trabalho, não estamos dizendo apenas o período em que seu funcionário está presencialmente na empresa. Busque compreender se ele leva trabalho para casa; se as cobranças são tantas que ele não consegue se desligar do celular nas horas de folga; se ele vem fazendo horas-extras. 

Estimule e ofereça tratamentos

Muitas empresas, quando buscam mecanismos para melhorar a saúde mental, acabam ofertando dentro de suas estruturas algum tipo de assistência ou pré-tratamento para acolher seus colaboradores. Uma desculpa comum é a falta de tempo ou que é caro cuidar da saúde mental. Quando você possui serviços de orientação ou até mesmo de acompanhamento psicológico para que seus colaboradores tenham, de imediato, e ao alcance de todos, você acaba criando uma cultura participativa. O tratamento no local transmite uma mensagem aos funcionários de que seu bem-estar é realmente valioso e incentivado.

melhorar a saúde mental

Entretanto, é preciso ter claro, tanto para você, como para todos seus funcionários, que todos esses acompanhamentos serão tratados com a maior confidencialidade, sem interferências ou punições. É importante deixar claro que cada caso é um caso, e essas primeiras conversas podem acabar sendo uma orientação para que o colaborador procure ajudas para cuidar da saúde mental. 

Dessa maneira, é importante também, para que se consiga melhorar a saúde mental, sua empresa estabelecer parcerias com clínicas ou profissionais que poderão ser indicados para o tratamento de transtornos ou acompanhamentos individuais. 

Leia também: Como chegar lá: segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Como você percebeu, uma empresa que busca ter ações para melhorar a saúde mental acabará realizando uma reformulação na cultura organizacional como um todo, passando por um processo de entendimento e conscientização da importância de um olhar atento aos diferentes transtornos causados pela negligência desse assunto. 

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais e auxilie outros empresários na criação de ações efetivas para melhorar a saúde mental.

Obesidade nas empresas

Obesidade nas empresas: quais ações implementar para conscientizar

A obesidade nas empresas tem se tornado um desafio diário para saúde de maneira geral. No Brasil, dados divulgados pelo Ministério da Saúde, apontaram que quase 20% da população é obesa atualmente no país. Seja no âmbito pessoal ou profissional, são necessárias algumas medidas para conscientizar sobre essa condição e muitas vezes incentivar uma mudança de hábito individual.  Já no meio coorporativo, a obesidade nas empresas, além de uma preocupação com a saúde, acaba gerando uma queda da produtividade e aumentando o índice de faltas ao trabalho. 

São diversas as ações tomadas pelas organizações para compreender e conscientizar sobre a obesidade nas empresas, seja entre seus funcionários, clientes e comunidade em geral. O que não pode ser deixado de lado, é que muitas vezes o ambiente de trabalho pode acabar contribuindo para o aumento do peso. Seja por não criarem rotinas alimentares saudáveis ou acabarem desenvolvendo algum tipo de doença, colaboradores que sofrem de obesidade ou possuem propensão para o ganho de peso precisam de um olhar mais atento e cuidados especiais. 

Leia também: Como chegar lá: segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Pensando em como melhorar o bem-estar de seus funcionários e evitar um aumento nas taxas de obesidade nas empresas, separamos algumas orientações sobre o que é possível realizar para incentivar seus funcionários a se movimentarem mais e criarem hábitos mais saudáveis, como também procurar auxílio médico em alguns casos. Afinal, é preciso ter claro que todas as medidas não devem ter como palavra-chave o combate, mas sim criar iniciativas para compreender o que pode estar levando à obesidade nas empresas e conscientizar seus colaboradores sobre o que pode ser feito para mudar esse quadro. Confira! 

Como está a alimentação na sua organização?

O primeiro ponto a ser estudado para compreender a obesidade nas empresas é fazer um estudo e pesquisa para identificar os hábitos alimentares dos seus colaboradores. Se sua empresa possui, por exemplo, um restaurante próprio, uma boa alternativa é contratar nutricionistas que irão avaliar o cardápio ofertado pelo restaurante, como também como seus funcionários estão se alimentando. 

É preciso perceber se existem opções saudáveis em quantidades necessárias para que todos criem uma rotina alimentar positiva. Além disso, faça um levantamento de quanto e como as pessoas estão comendo. Com tantas metas a bater e objetivos a cumprir, muitos colaboradores acabam se alimentando mal e muitas vezes de maneira rápida para conseguir voltar ao serviço. Observe se seus funcionários estão realizando intervalos completos e como estão ocupando esse período. 

Obesidade nas empresas

Caso sua empresa não possua restaurante próprio e forneça, por exemplo, Vale-Refeição ou espaços de refeitório para que seus funcionários tragam almoço, uma boa maneira de compreender a obesidade nas empresas é observar o que seus colaboradores estão trazendo para comerem. 

Mas afinal, o que eu, enquanto empresa, posso fazer para mudar esses hábitos?

Você, empresário ou gestor de Recursos Humanos, pode estar se questionando sobre isso, não é mesmo? Mas saiba que é possível sim auxiliar nessa conscientização através de algumas medidas simples. Alguns exemplos possíveis e alcançáveis são através da oferta de frutas no café da manhã ou criar painéis sugestivos com orientações sobre um “prato saudável”. Se sua empresa possui àquelas máquinas com venda de produtos em seus espaços de descanso, substitua salgadinhos ou refrigerantes, por alimentos saudáveis, como sucos, barrinhas de cereais, isotônicos, sanduíches naturais.

Leia também: Saúde preventiva nas empresas: o que é e como ser eficiente

Construa cronogramas com ações de incentivo à hábitos saudáveis

Boa parte dessas medidas relacionadas à obesidade nas empresas são voltadas à medicina preventiva, como você está percebendo. É exatamente na prevenção que devem ser estabelecidos atos para conseguir ter um ambiente mais saudável e produtivo. Ao implantar um programa de prevenção de doenças, promoção de saúde e qualidade de vida, você consegue construir com seus colaboradores uma atmosfera de consciência, em que cada um poderá se policiar e também ajudar seus colegas a tomarem decisões positivas. Além disso, a área de pessoas poderá estabelecer quais medidas mais concretas a serem tomadas para que se diminua a incidência de obesidade nas empresas. 

Sua empresa pode, por exemplo, criar campanhas de conscientização através de banners, e-mails e eventos que estimulem a prática de esportes, alimentações saudáveis e acompanhamento médico constante para que se evite a obesidade nas empresas ou demais problemas de saúde que possam contribuir para o aumento de peso. Invista em palestras, workshops ou até mesmo crie uma cultura com seus colaboradores de práticas esportivas. 

Obesidade nas empresas

Uma atitude prática é criar grupos para praticar trilhas ou corrida. Diversas empresas já realizam isso e, além de formar um ambiente corporativo mais unido e com sinergia, acaba impactando diretamente nessa conscientização sobre a obesidade nas empresas. 

Outro aspecto que pode ser investido é em parcerias com academias ou espaços de esporte, a fim de oferecer planos especiais para seus funcionários. Não se deve esquecer que muitos acabam não tendo rotinas mais saudáveis por questões financeiras. Então, quando você oferece preços mais acessíveis e atrativos, acaba criando uma cultura de que “não tem mais desculpa para não fazer esportes”. Falta tempo? Então insira os esportes dentro do seu local de trabalho. Contrate profissionais da área de educação física e realize aulas leves por alguns minutos, como de ioga, ginástica funcional, aula de dança entre outros exercícios que possam ser inseridos dentro da sua estrutura empresarial. 

Reavalie seu local de trabalho e invista em tecnologias

Como sua empresa trabalha a segurança do trabalho e a medicina preventiva dos seus colaboradores? Há quanto tempo você não realiza aferição sobre pressão arterial, batimentos cardíacos, peso, altura e índices de gordura dos seus funcionários? 

Muitas vezes o setor de recursos humanos assume diversas demandas, fazendo com que a segurança no trabalho ou medicina preventiva fique em segundo plano. Entretanto, isso pode acabar acarretando em graves problemas e gastos com plano de saúde ou até mesmo afastamento de funcionários por doenças ocupacionais. É preciso ter em mente que muitas doenças, como depressão e problemas musculoesqueléticos, podem acabar levando à obesidade ou influenciando nos comportamentos alimentares dos colaboradores. 

Obesidade nas empresas

Para isso, surgem no mercado algumas soluções tecnológicas que automatizam o controle da saúde dos seus funcionários, facilitando em muito essa responsabilidade.  Aqui na TeleWorld, trabalhamos com a balança multifuncional Safety Gestão de Saúde. A Safety disponibiliza resultados com precisão e rapidez, além de claro, melhorar a qualidade de vida dos colaboradores. Todos conseguem ter via mobile ou em um computador informações sobre peso, altura, pressão arterial, batimentos cardíacos, índice de gordura e muito mais. Além disso, você consegue aplicar com maior certeza seu projeto para conscientizar sobre a obesidade nas empresas. 

Leia também: Passo a passo: projeto para segurança do trabalho

Quer saber mais sobre? Então entre em contato conosco e comece agora a construir ações efetivas relacionadas à obesidade nas empresas.