Gestão de Crise: 6 passos para um plano de contingência eficiente

É muito comum que no decorrer dos anos de uma empresa suas lideranças tenham que realizar uma gestão de crise. Qualquer que seja o seu momento atual é importante se preparar para colocar em prática todos os aprendizados sobre o assunto.

Sabemos que no ambiente corporativo podem ocorrer momentos de erros que afetam as empresas, os colaboradores, os clientes e até a sociedade. São falhas sérias que causam conflitos internos, denigrem a imagem e a reputação da organização, bem como surgem desequilíbrios financeiros. Por isso, a gestão de crise se faz necessária para reduzir e excluir esses impactos negativos.

Contudo, é preciso que as organizações tracem estratégias e criem ações com antecedência para evitar que esses problemas sigam adiante. Mas, se você está passando por essa situação delicada ou já quer prevenir-se, continue por aqui. Neste post, vamos explicar os principais pontos em relação ao assunto e você vai aprender quais são os passos para um plano de contingência eficiente. 

Leia também: Beacons na Indústria: o que são e como podem ser utilizados

Antes de prosseguirmos com o assunto, responda com franqueza a estas questões:

  • Quem é o porta-voz da sua empresa?
  • Ele está preparado?
  • A sua organização tem um plano estratégico?
  • Saberia como lidar com possíveis desdobramentos negativos?

Até agora, quais dessas perguntas você conseguiu responder com exatidão? Lidar com uma gestão de crise não é uma tarefa fácil. Por isso, separamos seis passos que vão te ajudar a desenvolver um plano de gestão de crise eficiente:

Passo número 1 – Esteja sempre prevenido e seja cauteloso

Não espere que algo aconteça para correr atrás do prejuízo. Para que isso seja posto em prática, simule cenários de crise e faça um planejamento de ações para lidar com o fato. Depois, monitore sempre as atitudes da empresa para que ela esteja preparada e atenta.

Já que um fato ruim afeta o relacionamento da marca com seu público-alvo, estabeleça um plano de continuidade do negócio para que os principais processos não sejam afetados e possam seguir seu trabalho, caso algo de pior aconteça.

Passo número 2 – Tenha um comitê de gestão de crise 

Para enfrentar situações de crise empresarial com antecedência e planejamento é essencial que a empresa conte com um comitê voltado somente para essa situação. Nunca se sabe quando um cenário como esse pode ocorrer, por isso, estar sempre preparado é muito importante. Portanto, crie um comitê que centralize as informações e seja responsável pelos planos de gestão de crise da empresa. Escolha uma equipe capacitada e com diferentes habilidades para lidar com esse cenário; que tenha uma resposta rápida e eficaz quando for preciso.

Passo número 3 – Plano de contingência

Outro detalhe importante, além de ter um comitê de gestão de crise, é contar com um plano de ação e de contingência que estabeleça as medidas a serem feitas assim que surge uma crise. Deste modo, a tomada de medidas poderá ser mais ágil, sem depender da autorização de alguém, ou da elaboração de uma estratégia. É claro que, ao longo da situação, podem ser necessárias outras ações. Porém, o mais importante em uma crise é ter um plano inicial para colocar em prática.

Passo número 4 – Selecione um porta-voz para falar em nome da empresa

Nomeie quem serão as pessoas que estarão autorizadas a falar em nome da marca para a comunidade e para a imprensa, como também quem será o líder para tomar as decisões e conter o impacto do ocorrido durante a gestão de crise.

As informações da atuação da empresa para reverter o quadro devem ser transmitidas em tempo real e com objetividade para os interessados, abrindo espaço para que a comunidade volte a ter confiança na organização. Isso evita dados distorcidos e especulações no futuro.

Passo número 5 – Seja proativo em suas ações

As atitudes devem ser tomadas o mais rápido possível para evitar que a reputação da marca seja atingida e também a rentabilidade do negócio. Assim, tendo tudo planejado previamente, a organização poderá encontrar oportunidades de recuperação e fortalecer a reputação dela, a fim de garantir a credibilidade junto aos consumidores e mercado.

Passo número 6 – Analise os dados após a gestão de crise

 As crises empresariais também podem servir para avaliar que tipo de mudanças devem ser implementadas para evitar que o problema ocorra novamente. Para isso, é necessário estudar como tudo aconteceu e os motivos que levaram a essa situação. Também é necessário avaliar, por meio de pesquisas, os possíveis danos que a companhia sofreu. Esse estudo pode ajudar a reverter esses danos e a normalizar a situação de maneira mais rápida e eficaz.

Leia também: O que é mentoring nas empresas e saiba suas vantagens

Agora que você já sabe por onde começar o seu plano de gestão de crise, entenda porque é tão importante desenvolver essas habilidades dentro da sua empresa e quais são os benefícios de uma gestão de crise qualificada:

Evita a redução do Brand Equity

Brand Equity significa o patrimônio de uma marca. É o quanto ela vale no mercado por sua imagem e não somente em relação a sua infraestrutura ou faturamento. Logo, qualquer equívoco será malvisto pelas pessoas e reduzirá sua reputação. Porém, com uma gestão de crise eficiente, é possível antever e atuar em favor da valorização da marca.

Ajuda a controlar prejuízos financeiros

Uma vez que o Brand Equity é reduzido, suas ações também sofrem queda, o que gera danos financeiros às organizações.

Diminui a capacidade de atrair switchers

Os switchers são os clientes que consomem duas marcas de um mesmo produto. Dessa forma, se a empresa “A” entra em crise, eles vão comprar as mercadorias da empresa “B” até que a “A” recupere sua imagem institucional e se fortaleça novamente no mercado.

Desse modo, passada a crise não significa que os desafios acabaram, mas, sim, que é hora de coletar os dados, gerenciar as finanças, conhecer os pontos positivos e negativos para colocar em prática as ações estipuladas em benefício da empresa. Isso deve ser feito independentemente do tamanho das organizações, pois crises podem acontecer com todas. Portanto, tenha um plano de gestão de crise eficiente para enfrentar o mercado, consumidores e tudo o mais que estiver envolvido.

Se você achou o nosso artigo relevante, não deixe de compartilhar com seus contatos nas redes sociais e vamos juntos desenvolver um plano de gestão de crises eficiente. Até a próxima.

Descubra 4 vantagens do trabalho remoto e como implementá-lo na sua empresa

Atualmente novas tendências e formas distintas de trabalhar ditam o mercado. São novas possibilidades que empresas e colaboradores encontram para dar dinâmica às suas atividades, seja por conta da necessidade do isolamento social ou até mesmo para diminuir investimentos iniciais.

Uma das possibilidades que mais crescem nesse sentido é o trabalho remoto. Você já deve ter escutado sobre assunto, certo? O conceito ainda divide muita opinião, porque tem seus benefícios, mas também algumas desvantagens. A definição do termo abrange muita coisa, e muita gente já é adepta ao trabalho remoto, mas as empresas ainda sofrem algum tipo de resistência em relação aos colaboradores que não se acostumaram ainda 100% com a modalidade. Mesmo com algumas barreiras, a pesquisa O Futuro do Mercado mostra que 40% de seus entrevistados praticam home office.

Trabalho remoto é a mesma coisa que trabalhar home office?

Com certeza você já ouviu falar em home office, mas será que um sistema de trabalho é igual ao outro? O home office é sim um trabalho remoto. Mas não se restringe a isso. Trabalho remoto é toda aquela atividade realizada fora do ambiente de escritório. As atividades podem ser realizadas de forma online ou não, mas é claro que contar com a ajuda da internet potencializa ainda mais as possibilidades de entrega do trabalho remoto.

Além do home office, ainda temos nessa categoria o nomadismo digital e os coworkings, para citar os exemplos mais famosos. No trabalho a distância, você pode escolher horários e locais para produzir e adequar a sua rotina, trabalhando com sistemas de demanda. O que te dá a oportunidade de evitar alguns estresses do cotidiano, como o trânsito e gastos extras com alimentação, por exemplo. Mas, lembre-se: para exercer uma atividade em trabalho remoto é importante ter muita concentração e disciplina.

O que sabemos é que com a escolha do trabalho remoto, tanto funcionários quanto empresas saem ganhando. Acompanhe a seguir, alguns benefícios dessa modalidade para as empresas:

  • Liberdade para contratar especialistas em diversas áreas sem ter que se preocupar com deslocamento e longas distâncias.
  • Drástica redução de desperdício de recursos.
  • Aumento de produtividade da equipe, já que os colaboradores são interrompidos menos vezes ao dia e gastam menos tempo de locomoção.
  • Economia com encargos sociais e as vantagens fiscais para microempresas, como dispensa do Imposto de Renda, por exemplo.
  • As escalas de trabalho mais flexíveis, já que existe a possibilidade de trabalhar com atendimento ao cliente 24 horas por dia.
  • Redução considerável de gastos – Mesmo que a empresa se proponha a auxiliar os colaboradores com gastos de luz e internet, por exemplo, é possível diminuir os investimentos da companhia com a prática de trabalho remoto.
  • Reuniões mais produtivas – O foco nas conferências online é muito maior, já que, no trabalho remoto, só participam de reuniões os realmente interessados e os que podem se beneficiar com as informações abordadas, evitando a perda de tempo que  normalmente acontece com reuniões presenciais.
  • Colaboração imediata – O compartilhamento de informações e documentos, além da solução de dúvidas, é outro benefício que pode ser feito em tempo real por meio das ferramentas tecnológicas – facilitando o trabalho e a busca por respostas de quem está no mundo do trabalho remoto.

Veja também: Conheça nossa Solução de Ponto Mobile

 Como falamos, os colaboradores também saem ganhando com o sistema de trabalho remoto. Conheça alguns dos diversos benefícios:

1 – Flexibilidade

Trabalhar em um escritório de uma empresa exige que o funcionário acorde cedo, pegue um transporte público ou enfrente o trânsito das grandes cidades. Já com o trabalho remoto, esse tipo de coisa pode ser tranquilamente evitado. Além de escolher os horários, sempre muito acordado com os empregadores, o colaborador evita alguns contratempos, como ônibus lotado, chuvas e horas perdidas no trânsito.

3 – Trabalhe de qualquer lugar

Até agora, falamos das vantagens que se tem em trabalhar de casa. Mas falamos que o trabalho remoto não se resume a isso, se lembra? Pois muito que bem, o funcionário poderá escolher o seu local de trabalho, onde se sinta mais produtivo ou que aproveite melhor a cidade onde está.

4 – Aumentos de produtividade

Aqui a vantagem é tanto para profissionais remotos quanto para empregadores, como falamos anteriormente. Deixando o empregado livre para escolher trabalhar a distância, você propiciará um expressivo aumento na produtividade, já que ele estará se adequando aos melhores ambientes para que o funcionário seja mais produtivo.

Leia também: Conheça o RH 4.0 e os seus impactos na Gestão de Pessoas

Agora que você já sabe que é vantajoso contratar um profissional com o método de trabalho remoto, entenda um pouco mais sobre como implementar esse sistema na sua empresa:

Reconhecimento Facial: saiba diferentes benefícios dessa solução para controle de acesso

O reconhecimento facial deixou de ser um sonho futurista e se transformou em algo bastante comum no nosso cotidiano. Presente nos celulares e nas câmeras digitais, agora se tornou possível até desbloquear aparelhos e fazer disparos fotográficos apenas olhando para as lentes. O mais incrível é que essa nova tecnologia já transformou também o universo de eventos, empreendimentos e empresas no controle de acesso. Hoje, o reconhecimento facial pode ser considerado o recurso mais avançado usado na segurança de instituições comerciais ou empreendimentos residenciais.

Como funcionam os mecanismos com reconhecimento facial para controle de acesso?

O rosto humano, apesar de ter suas diferenciações de acordo com cada pessoa, possui uma composição básica que não se altera com o passar do tempo. Essas características, como distância entre os olhos, o comprimento do nariz, a boca, bochechas e queixo, por exemplo, são lidas por câmeras e registrada em softwares específicos.

Com o uso de algoritmos, é criado um mapa facial do usuário que, ao ser escaneado, é capaz de reconhecer o emparelhamento das características, independente da posição que a pessoa estiver. De forma mais simples, o reconhecimento facial é capaz de detectar um rosto em formas geométricas e logarítmicas e então montá-lo como como um quebra-cabeça. Para utilizar essa tecnologia, o primeiro passo é identificar, através de uma câmera, a maior quantidade de pontos específicos de uma pessoa, limitando, assim, o formato da face e o espaço ocupado por ela. Com isso, é possível identificar alguém em poucos segundos, abrindo possibilidades no monitoramento de públicos, geração de senhas, entre outros.

Vantagens das aplicações de reconhecimento facial para o controle de acesso, conheça mais:

1 – Segurança

Seu reconhecimento facial individual é um código único aplicável a você. O que isso significa? Que além de mais segura, ela é mais difícil de ser forjada ou falsificada. Criada a partir da medida de cerca de 80 pontos faciais, após gerada, ela é executada nos bancos de dados de identidade para conectar a face a um nome.

Devido ao momento em que nos encontramos, um assunto não para de subir nos rankings dos mais debatidos do mundo: como evitar o rápido contágio do Covid-19. Sabemos que durante a pandemia de coronavírus, evitar o contato, principalmente com pacientes suspeitos, é fundamental para evitar a disseminação do vírus. Para tornar essa identificação mais fácil, alguns hospitais adotaram um sistema com reconhecimento facial para medir automaticamente e à distância a temperatura de todos que entrarem na recepção do hospital. O sistema é composto por uma câmera termográfica e algoritmos para o reconhecimento facial das pessoas.

Quando a ferramenta detecta um paciente com febre, o sistema envia um alerta para a equipe de enfermagem dar início ao protocolo de triagem e isolamento rapidamente. A ideia é que o sistema também passe a ser utilizados em hospitais de campanha, aqueles construídos especialmente para o combate ao novo coronavírus e em hospitais da rede pública. A maior demanda, no entanto, tem sido de indústrias que desejam monitorar a temperatura de seus funcionários. Isso quer dizer que os sistemas de reconhecimento facial no combate ao coronavírus têm contribuído positivamente.

Leia também: Tecnologias no RH: quais as principais soluções e como escolher

2 – Fácil integração

Não precisa se preocupar! Normalmente a tecnologia de reconhecimento facial funciona perfeitamente com os softwares de segurança existentes na sua instituição. Além disso, são considerados fáceis na programação, o que significa menos tempo e dinheiro no desenvolvimento para adequar o software à integração.

3 – Automação

Conhecemos de perto o sistema de reconhecimento manual, que é quando o guarda de segurança ou algum representante oficial da empresa faz o trabalho de identificação. Já a tecnologia de reconhecimento facial automatiza o processo de identificação e garante sua impecabilidade toda vez, sem interrupções. Você não precisará de uma equipe de funcionários para monitorar as câmeras 24 horas por dia, sete dias por semana.

4 – Os sistemas de reconhecimento facial são extremamente precisos

 Dia após dia, os sistemas de reconhecimento facial se tornam ainda mais confiáveis.

Atualmente, a taxa de sucesso é crescente devido ao desenvolvimento de tecnologias de reconhecimento 3D e de câmeras infravermelhas. A combinação dessas tecnologias torna muito difícil burlar o sistema na hora de controlar o acesso. E é justamente essa precisão que torna o sistema de reconhecimento facial tão procurado por empresas e grandes condomínios.

A tecnologia de reconhecimento facial é capaz de oferecer ainda mais segurança?

Com certeza, a resposta é sim! Primeiramente, alguns acreditam que as pessoas conseguem comparar rostos e imagens melhor do que as máquinas. No entanto, o National Institute for Standards and Technology (NIST) compartilhou recentemente um estudo de tecnologias de reconhecimento facial que estão pelo menos dois anos atrás dos modelos usados no Amazon Recognition e concluiu que, mesmo as tecnologias mais antigas, poderiam superar as habilidades humanas de reconhecimento facial.

Leia também: O que é People Analytics e como essa tendência vai transformar a Gestão de Pessoas da sua empresa 

Em segundo lugar, como em todos os sistemas probabilísticos, a mera existência de falso-positivos não significa que o reconhecimento facial é falho. Em vez disso, ele reforça a necessidade de seguir as melhores práticas, como definir um limite de similaridade razoável que se correlacione com o caso de uso determinado. Além disso, uma das vantagens dessa tecnologia é que ela aprende e melhora continuamente, de modo que falso-positivos podem ser reduzidos com o tempo.

EXTRA: Conheça outras grandes empresas que estão usando sistemas de controle facial em diversos projetos e produtos já disponíveis para o público geral:

Apple: incluiu em sua linha premium de celulares o reconhecimento de íris e reconhecimento facial para liberar a tela de comandos. De maneira semelhante, a Apple com seu Face ID, proporciona autenticação intuitiva e é ativado pelo sistema de câmera TrueDepth de última geração que usa tecnologias avançadas para mapear a geometria do rosto com precisão. Basta um olhar e o Face ID desbloqueia o Iphone X com segurança.

Ticketmaster: empresa responsável por criar, distribuir e vender ingressos para espetáculos musicais, teatrais e desportivos, aderiu à tecnologia de reconhecimento facial para agilizar a entrada do público aos shows, assim não há a necessidade de entrega de ingressos físicos.

GOL: lançou um app com check-in por reconhecimento facial. O Selfie Check-In trata-se de uma inovação no mercado e já está disponível para todos os clientes da companhia. A empresa é a primeira aérea no mundo a oferecer essa possibilidade aos passageiros, tanto em voos domésticos, quanto internacionais.

Conheça nossa solução de Reconhecimento Facial

Percebemos ao longo do texto que essa tecnologia comprovada e já em uso, tende a expansão contínua. Alcançando uma automação jamais experienciada e se tornando ainda mais escalável, de aprendizado profundo e contínuo. Desta forma, trará ainda mais benefícios e facilidades nas rotinas de pessoas, tanto numa esfera pessoal, como corporativa.

Se você gostou do nosso artigo, não deixe de compartilhar em suas redes sociais. Até mais!

Conheça os 7 principais Indicadores de RH e saiba como analisá-los

Antes de mais nada, é importante você saber que os indicadores de RH são instrumentos utilizados para monitorar e avaliar a empresa usando como meio os seus colaboradores, processos, programas e, sobretudo, suas metas. Seus objetivos são dois e bastante claros: o primeiro é descrever as circunstâncias atuais, no que diz respeito à empresa e o segundo é oferecer condições para uma conjuntura mais detalhada, visando uma análise minuciosa dessa circunstância, capaz de identificar possíveis problemas, fraquezas ou desvios que necessitem de correção.

Portanto, para alcançar esses objetivos, é preciso contar com bons indicadores de RH, diferenciais que devem ser aplicados de forma estratégica quando falamos em gestão de pessoas. Neste texto, vamos te ajudar a identificar quais são os principais indicadores de RH e como eles devem ser analisadas. Continue lendo:

1 – Absenteísmo

Absenteísmo é o nome dado para a ausência do profissional ao trabalho, seja por qualquer motivo. Esse indicador de RH revela a taxa de faltas e atrasos em relação ao total de horas que os profissionais deveriam realizar suas atividades. Parece um indicador pequeno, mas é por meio do índice de absenteísmo que é possível identificar uma série de problemas, tais como saúde ocupacional, desmotivação, condições do ambiente de trabalho, possíveis conflitos nas equipes entre outras situações.

Acompanhar o índice de absenteísmo é importante para qualquer empresa, isso porque um alto índice de faltas e atrasos é sinal de que algo está errado com a gestão dos funcionários. Todo funcionário tende a dar sinais de que está desmotivado e, entre esses sinais, estão os constantes atrasos e faltas.

2 – Taxa de rotatividade ou turnover 

Esse Indicador de RH informa a quantidade de colaboradores que saem e que entram na empresa.

A taxa de rotatividade é calculada tomando-se o número de funcionários que deixam a empresa durante um período especificado e dividindo-o pelo número médio de funcionários durante o mesmo período e multiplicando-a por 100. Quando focada em um grupo-alvo, como, por exemplo, os funcionários de alto desempenho, essa métrica tem a possibilidade de oferecer dados sobre a atratividade da empresa em relação à concorrência.

Leia também: O que é necessário para alcançar a produtividade na empresa?

3 – Tempo médio de produtividade

 Esse é um dos indicadores de RH que informa o número médio de dias para produtividade satisfatória de um funcionário. O tempo até a produtividade é calculado considerando-se o número de dias entre a data de início do novo funcionário e o ponto em que ele alcança a produtividade satisfatória.

Essa métrica é um indicador vital do desempenho do seu programa de integração. Além disso, os resultados podem ser uma indicação da qualidade de seu processo de recrutamento e da condição dos candidatos que você está atraindo.

4 – Modelo de colaboradores

 O modelo de colaboradores, ou também conhecido como headcount, é baseado no número de colaboradores presentes em uma empresa. Ou seja, conforme nota-se um crescimento no número de colaboradores, é possível visualizar um ponto positivo na empresa, em que, a partir disso, caminha para um movimento mais seguro e com melhores resultados.

Porém, a queda de colaboradores pode trazer um prejuízo indesejável para a empresa, ressaltando fatores preocupantes que irão necessitar de ajustes para que haja uma melhoria.

5 – Treinamento de equipe

 O modelo de treinamento, dentro todos os outros indicadores de RH, tem um impacto muito grande no diagnóstico geral da empresa, pois o investimento em treinamentos faz com que a empresa se cobre para sempre estar atenta e atualizada sobre a forma de como treinar seus funcionários. Sabemos que o treinamento é considerado essencial para uma realização bem-feita e organizada das tarefas designadas e, portanto, deve ser uma das ações mais importantes durante a contratação e atuação de seus já funcionários.

Contudo, o sucesso de uma equipe de Recursos Humanos e de uma organização, que tem seu foco na produtividade e, consequentemente, no desenvolvimento de seus funcionários, está completamente relacionado com o investimento dos líderes em suas equipes.

6 – Vagas não preenchidas no prazo determinado

 Algumas empresas como call centers terceirizados e outros negócios que sempre tem uma grande necessidade de mão de obra como construção civil, por exemplo, estão sempre com vagas abertas. É importante que o RH abasteça a empresa com novos colaboradores dentro de um prazo estabelecido. E um dos indicadores de gestão de recursos humanos usado para avaliar a eficiência desse processo é a taxa de vagas não preenchidas no prazo.

7 – Benefícios

 Além do salário oferecido, um bom programa de benefícios pode contribuir com a atração e retenção de talentos, reduzindo os custos e tornando a empresa mais produtiva e competitiva. Os benefícios ajudam a satisfazer as necessidades dos colaboradores, buscando resultados e motivações.

Por isso, é importante que a empresa acompanhe o custo per capita dos benefícios oferecidos. O valor médio deles pode ser comparado à média de mercado e de empresas concorrentes. Desse modo, é possível identificar se a sua companhia está muito acima ou abaixo do valor praticado, tendo uma base confiável para realizar os ajustes necessários.

É importante entender que o auxílio de soluções digitais e automação de processos são ferramentas muito importantes para a análise de indicadores de RH. Boas ferramentas expandem a quantidade de dados que os profissionais conseguem acompanhar e facilitam o cruzamento de informações. Quando você passa a entender a importância de indicadores de RH e do uso da tecnologia para mensuração do desempenho da empresa, fica mais fácil criar estratégias que ajudem seu negócio a crescer cada vez mais.

Leia também: O que é People Analytics e como essa tendência vai transformar a Gestão de Pessoas da sua empresa

 Esperamos ter lhe ajudado a compreender o que é e a importância de conhecer os principais indicadores de RH. Não deixe de compartilhar esse texto nas suas redes sociais e auxilie mais pessoas no assunto. Até a próxima!

Como gerenciar uma equipe em home office? Veja 6 dicas de como liderar seus colaboradores

É fundamental para o bom andamento dos processos que o gestor acompanhe todas as situações e atividades dentro da empresa. No entanto, seja em decorrência de uma viagem a trabalho ou home office, nem sempre será possível monitorar os colaboradores continuamente. Diante disso, é necessário estar preparado para fazer uma boa gestão de equipes a distância para manter o nível de produtividade e qualidade das atividades, principalmente mediante a tantas incertezas que estamos vivendo.

Embora não seja algo impossível, muitos líderes sentem dificuldades de gerenciar home office, pois acabam achando essa tarefa complexa e ineficiente. Porém, quando bem planejada, pode-se obter bons resultados. Basta adotar as estratégias adequadas.

Além das novas tecnologias, que tornam essa nova dinâmica de trabalho possível, os pesquisadores acreditam que o aumento nesse tipo de regime é devido aos benefícios do trabalho a distância, que incluem:

  • Aumento da produtividade
  • Mais eficiência
  • Ampliação do bem-estar dos colaboradores.

Esses três fatores são importantes para qualquer gestor, correto?

Além das vantagens apresentadas acima, as empresas que abrem a possibilidade do trabalho a distância também agregam outros benefícios, como:

  • Possibilidade de recrutar talentos que podem não estar disponíveis em sua região
  • Eliminação da necessidade de um grande espaço físico para o escritório
  • Fim do pagamento de benefícios de transporte, como os vales
  • Redução significativa de suas despesas operacionais

Leia também: Tecnologias no RH: quais as principais soluções e como escolher

 Claramente, existem justificativas comerciais convincentes para se tornar um gestor de home office, mas a questão crucial é: você sabe como gerenciar pessoas a distância?

 Neste artigo iremos te mostrar um passo a passo com 6 etapas para você poder aprender a como gerenciar home office:

1 – Defina as diretrizes do trabalho

Confiança e transparência são os alicerces de como gerenciar uma equipe em home office de forma bem-sucedida.

Você e seus colaboradores devem discutir detalhadamente as expectativas mútuas em relação a:

  • Horas de trabalho
  • Comunicação
  • Resultados desejados

Algumas definições iniciais podem te ajudar, tais como:

  • Qual flexibilidade de horário será incorporada à programação de seus colaboradores? Por exemplo: Horários livres, mas com metas claras a serem cumpridas, ou horário fixo de trabalho como se estivessem no escritório?
  • Com que frequência você fará contato com seus funcionários?
  • Como serão feitas essas comunicações?
  • Quais são as responsabilidades de ambas as partes?

Definir esses pontos no início do trabalho a distância dará a você e aos colaboradores uma compreensão clara de quais são as obrigações de cada um e como o desempenho será medido, mesmo trabalhando em home office.

 Leia também: O que é People Analytics e como essa tendência vai transformar a Gestão de Pessoas da sua empresa

 Essa também é uma boa oportunidade para analisar a consistência e a organização dos processos da sua empresa.

  • Você tem um guia dos processos?
  • Você tem um organograma claro e um sistema de responsabilidades?

Ter colaboradores espalhados em vários locais não cria necessariamente problemas para você, mas pode destacar as fraquezas e inconsistências existentes nos processos de sua empresa.

2 –  A comunicação é essencial, por isso: falem uns entre os outros.

Comunicação é a base de como gerenciar pessoas a distância. O primeiro passo é agendar um horário para atualizações regulares sobre o andamento do trabalho.

Para as equipes que trabalham a distância, totalmente fora do escritório, considere uma abordagem micro e macro. Por exemplo:

  1. Você pode ter um sistema para compartilhar atualizações diárias sobre o progresso de tarefas e negócios imediatos
  2. E uma reunião programada mais longa, talvez semanalmente, para repassar grandes problemas

A comunicação é essencial para manter esse relacionamento ativo e garantir que todos os membros da equipe recebam as mesmas informações. Lembre-se de que as pessoas tendem a trabalhar melhor remotamente, porém nem todas são autodisciplinadas, organizadas e capazes de funcionar efetivamente com o mínimo de orientação.

Algumas pessoas são menos organizadas e mais distraídas. Portanto acompanhe seus colaboradores para garantir que eles sigam seus prazos. Dessa forma, estude as melhores formas de comunicação para cada situação e defina o padrão para cada caso.

Depois de definir as formas de comunicação que serão usadas para cada objetivo, é importante que vocês as mantenham para que não percam as informações.

3 – Ambiente de trabalho

As pessoas que trabalham em casa tendem a valorizar mais sua flexibilidade do que as relações interpessoais do trabalho em escritório, como happy hours e conversas durante um café. No entanto, pode ser uma boa ideia garantir que o senso de amizade de sua organização se estenda a todos os colaboradores.

Por isso, faça atividades que estimulam suas equipes a se sentirem unidas, com espírito de parceria e amizade, ao invés de apenas se tratarem como colegas de trabalho.

4 – Confie na sua equipe

Às vezes, as empresas não estão dispostas a adotar o trabalho a distância porque existe uma incerteza sobre se o trabalho será ou não concluído no mesmo nível de qualidade, como se estivessem no escritório.

Para combater essa crença, é muito importante que se defina as diretrizes de trabalho de quem estiver em home office, assim como dissemos em nosso primeiro tópico.

Alguns colaboradores vão funcionar melhor que outros nesta forma de trabalho. Cabe a você identificar e confiar no trabalho de cada um dos seus escolhidos.

5 – Analise os resultados

Nada mais importante do que medir os resultados. Depois de seguir todos os passos de como gerenciar pessoas a distância, é hora de você avaliar os resultados e identificar os pontos que precisam ser revistos. Onde estão as falhas? O que poderei fazer para resolvê-las?

Esses pontos são inerentes a realidade e peculiaridades de cada tipo de empresa. Cabe a você gestor entendê-las e encontrar a melhor forma de solucionar as questões da sua organização.

6 – Aplicativo para prestadores de serviços externos

Não importa se parte da sua equipe trabalha no sistema home office ou se você possui uma grande equipe externa. Fato é que um aplicativo de gestão de projetos ou de ponto é fundamental para que você acompanhe a evolução das tarefas distribuídas e tenha controle sobre a carga horária ou as atividades de cada um de seus colaboradores.

Os aplicativos ainda são úteis no armazenamento de informações e histórico de clientes, bem como troca a necessidade de pilhas de papel por uma emissão de ordem de serviço online.

Agora você já sabe como realizar uma boa gestão mesmo de home office. Coloque as nossas dicas em prática e se prepare para ter excelentes resultados. Se você gostou do nosso artigo, não deixe de compartilhar com seus contatos nas redes sociais.

Conheça 4 tipos de Dinâmicas de Grupo para captar novos funcionários ou melhorar a convivência na sua empresa

Pode até parecer brincadeira, mas as dinâmicas de grupo no trabalho podem trazer motivação que geram grandes resultados. Quem nunca participou de uma dinâmica de grupo? Muito comum em processos seletivos, a técnica também pode ser usada para motivar equipes e desenvolver competências.

Agora, se você já passou por um processo seletivo, é possível que também já tenha participado de uma dinâmica de grupo. Essa é uma etapa importante para a o recrutamento e seleção de profissionais relacionados para algumas áreas de trabalho. Existem diferentes exemplos de dinâmica de grupo, cada uma com um objetivo.

Leia também: Tecnologias no RH: quais as principais soluções e como escolher

Em conjunto com as outras fases do processo de recrutamento, como é o caso da análise comportamental e da entrevista, a dinâmica de grupo pode orientar você a tomar uma decisão mais adequada ao que a sua equipe precisa. A seguir, vamos conhecer as principais dinâmicas de grupo, seja para motivar a sua equipe ou até para iniciar um novo processo seletivo na empresa. Continue a leitura:

Dinâmicas de grupo para processos de recrutamento:

 1 – Dinâmica para observar o entrosamento do candidato

 Esse é um tipo de dinâmica realizado no começo do processo seletivo, para que os candidatos se soltem e mostrem quem são. Por isso, com ela você conseguirá saber mais sobre cada um deles com foco em questões pessoais e não só nos pontos relacionados à carreira profissional.

Um exemplo para esse tipo de dinâmica é a de reconhecimento do grupo. Ela funciona da seguinte maneira: você entregará uma folha para cada participante e pedirá para que eles escrevam algo sobre si mesmos, como características que estejam relacionadas à vida e à personalidade.

Dê em torno de 10 minutos para que façam isso. Passado esse tempo, recolha as folhas, misture e entregue de volta para os participantes. Eles terão que ler e tentar descobrir de quem é o papel que pegaram. Isso faz com que os candidatos fiquem mais entrosados, relaxados e consigam mostrar melhor quem são e suas habilidades técnicas e comportamentais.

 2 – Dinâmica de histórias

 Primeiro é necessário dividir o grupo em equipes de quatro integrantes. Cada um desses grupos terá que escrever uma lista de verbos e substantivos distintos. A folha será, então, repassada para o grupo ao lado que deverá criar uma pequena história com as palavras dispostas.

Uma dica é que o grupo que escreveu pode decidir em qual gênero a história deverá ser contada. Por exemplo, romance, terror, drama, entre outros.

Essa dinâmica serve para descobrir a criatividade dos participantes e como atuam em equipe.

3 – Hora de realizar compras.

 O objetivo dessa dinâmica é fazer o momento ficar mais descontraído, além de memorizar o nome de cada participante. Primeiro, peça para todos os participantes sentarem em círculo e a pessoa que estiver à frente da dinâmica precisa falar “Fui fazer compras com…”

Depois, precisa falar o nome de algumas pessoas do grupo e informar que o dinheiro acabou;

Em seguida, a pessoa que foi citada deve trocar de lugar com outro participante e lembrando que o coordenador precisa participar da seleção para sobrar uma vaga. Na hora da troca, a pessoa que ficou em pé precisa ser a próxima que vai fazer compras.

Leia também: O que é People Analytics e como essa tendência vai transformar a Gestão de Pessoas da sua empresa

4 – Mural

 Essa é uma das dinâmicas de grupo mais conhecidas, pois é uma forma diferente de colocar todos para pensarem de maneira diferente. Divida os participantes em distintos times, o ideal seria 4 em cada um. Os materiais solicitados para essa atividade são: canetas, tintas, recortes de jornal e cartolina.

Depois, escolha um tema para cada grupo apresentar de forma criativa e lúdica, com linguagem simples e beleza estética. Por fim, os participantes devem discutir qual mural representou o tema de forma mais criativa.

Agora que você já conhece algumas dinâmicas de grupo para serem realizadas durante o processo seletivo da sua empresa, confira também algumas soluções que buscam motivar ainda mais a sua equipe de colaboradores:

1 – Desafio

 Forme uma roda com os participantes e oriente-os a passar a caixa de mão em mão enquanto a música estiver tocando. Avise a todos que, dentro da caixa, tem um desafio surpresa que deve ser cumprido por quem estiver com a caixa quando a música parar.

Selecione alguém para ficar de costas para a roda, pronta para pausar o som e dê início à atividade.

Quando a música parar, o coordenador deve desafiar a pessoa que está com a caixa, dizendo que ela pode escolher entre passar a caixa para o próximo ou abri-la e cumprir o desafio. Isso deve ser feito até que alguém aceite abrir a caixa e encontre lá dentro um delicioso chocolate ou qualquer outra surpresa boa!

Ao final o mediador da dinâmica estimulará a reflexão sobre como as qualidades e oportunidades de melhoria que cada um possui é de fundamental importância para construção de um time forte e completo. É importante ressaltar ainda como a contribuição de cada um é essencial para que aquele grupo possa se desenvolver conjuntamente e vencer seus desafios.

2 – O que você parece para mim

 Cole um cartão nas costas de cada participante com a fita crepe. Cada participante deve ficar com uma caneta. Ao sinal, os participantes devem escrever no cartão de cada integrante o que for determinado pelo coordenador da dinâmica:

  • Qualidade que você destaca nesta pessoa;
  • Defeito ou sentimento que deve ser trabalhado pela pessoa;
  • Nota que cada um daria para determinada característica ou objetivo necessário a atingir nesta dinâmica.

Ao final, o mediador da dinâmica estimulará a reflexão sobre como as qualidades e oportunidades de melhoria que cada um possui são de fundamental importância para construção de um time forte e completo. É importante ressaltar ainda como a contribuição de cada um é essencial para que aquele grupo possa se desenvolver conjuntamente e vencer seus desafios.

Concluindo: Vimos que as dinâmicas de grupo têm como objetivo promover o aumento da motivação e engajamento dos profissionais, incitar nos colaboradores o sentimento de pertencimento para que assim sintam-se parte importante da organização, bem como o intuito de melhorar continuamente o desempenho das equipes e retenção de talentos. Se você gostou do nosso artigo, compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Admissão online: entenda como funciona o processo e suas vantagens

A facilidade em digitalizar os processos faz com que a admissão online esteja no topo da lista das atividades que prometem transformar as empresas nos próximos anos. Benefícios como aumento de produtividade dos colaboradores e diminuição dos custos estão presentes no dia a dia de quem adere o processo de admissão online nas empresas. Não podemos negar: a admissão online é uma tendência e a sua empresa precisa conhecer mais sobre o assunto.

De acordo com a CLT, as empresas precisam ter o registro de todos os funcionários e as suas respectivas cópias de documentos, anexados a diversos formulários e fichas que devem ser preenchidos durante o processo de admissão. Esse trabalho exige muito cuidado para que nenhum papel seja perdido ou incluído na pasta de outro funcionário. Se o objetivo da empresa é desburocratizar processos, a admissão online é uma das alternativas mais indicadas. Para isso, é necessária a implementação de um software de RH para o armazenamento de todos os documentos e informações dos funcionários.

Leia também: Beacons na Indústria: o que são e como podem ser utilizados

Ao longo da leitura, vamos mostrar o que é admissão online, como ela funciona e os seus benefícios, tanto para a empresa, como para os novos colaboradores. Continue lendo:

O que é admissão online?

 

A admissão online é a mais recente evolução tecnológica nos setores de RH, capaz de colocar o departamento em um novo patamar de excelência e otimização de tempo.

O processo de admissão online possibilita que os documentos e dados de novos funcionários sejam recebidos e organizados em pouquíssimo tempo e oferece uma experiência mais valiosa tanto para os seus colaboradores como também para a empresa.

Entre os inúmeros diferenciais para a admissão tradicional, o processo digital permite que:

  • O próprio colaborador preencha a sua ficha cadastral;
  • Documentos sejam anexados e enviados diretamente pelo smartphone ou notebook;
  • O setor de RH faça o monitoramento de todo processo de forma online;
  • Dados e documentos sejam acessados pela contabilidade;
  • Documentos sejam digitalizados e fiquem arquivados em segurança;
  • Os dados sejam analisados para criar estatísticas e gerar relatórios eficientes.

Além desses diferenciais citados acima, a admissão online ainda consegue oferecer outros benefícios para as empresas que optam por esse tipo de processo. E a otimização do tempo e o aumento da segurança estão no topo da lista dos benefícios mais valorizados entre as empresas, confira:

1 – Otimização do tempo para admissão de um novo funcionário

 O processo de contratar uma pessoa pode levar mais tempo do que o processo de abrir uma empresa no Brasil? De acordo com uma pesquisa feita pelo Ibope, a admissão de um único colaborador pode levar até 7 dias. Para otimizar o processo e diminuir o tempo gasto, investir em tecnologia é a melhor opção.

Com a admissão online, por exemplo, você consegue fazer todo esse trâmite em apenas 3 horas. O motivo dessa redução é que, com a automatização dos processos de RH, a sua empresa não desperdiça tempo analisando dado por dado. Além disso, caso ocorra algum problema com a documentação, não é necessário esperar que o candidato entregue o documento faltante. Como se isso não bastasse, ao optar por um processo de admissão online você também elimina o tempo gasto com o armazenamento e busca dos documentos, que estarão disponíveis em apenas alguns cliques.

2 – Processo muito mais seguro

Outra vantagem da admissão online é manter os dados dos funcionários seguros e evitar riscos de vazamento, pois, apenas pessoas autorizadas podem acessá-lo. Além do mais, os líderes têm controle sobre as ações realizadas no sistema, podendo identificar as movimentações que cada usuário realizou. Isso assegura a confidencialidade das informações, diminui o risco de vazamento dos dados e proporciona uma política de segurança da informação mais eficiente.

Leia também: O que é mentoring nas empresas e saiba suas vantagens

3 – Incentiva a sustentabilidade

Manter os processos digitalizados, deixando de lado a necessidade de impressão de documentos causa menos impacto negativo ao meio ambiente. Com o fim das papeladas espalhadas pelas salas do RH, a empresa segue a tendência sustentável, muito bem vista por clientes e parceiros.

4 – Aumento do engajamento do novo funcionário

No processo tradicional de admissão o tempo entre a resposta positiva para o novo colaborador e a data inicial na empresa costuma demorar um pouco. E esse período geralmente é de grande ansiedade para os aprovados no processo seletivo.

Reduzindo o tempo de espera, a admissão online ajuda a manter o entusiasmo do funcionário pelo novo trabalho, além de deixar os contratados engajados durante essa parte burocrática do processo.

5 – Redução de custos para a empresa que opta pela admissão online

 A admissão online é um importante investimento para a empresa, pois aumenta a produtividade e a lucratividade, já que permite a realização de um grande volume de tarefas em um curto período de tempo.  Além disso, um departamento de recursos humanos com apoio de soluções de tecnologia que garantam o bom funcionamento das atividades operacionais pode se dedicar a ajudar a empresa estrategicamente a atingir seus resultados.

Concluindo: Sem dúvida, o setor de Recursos Humanos precisa encontrar caminhos mais eficientes para fazer a gestão de pessoas. Um dos maiores déficits ainda é a contratação e, por isso, várias tecnologias emergem nessa direção.

Uma pesquisa feita pela Deloitte com 10 mi líderes de RH, descobriu que 56% das organizações estão reconfigurando seus processos de gestão de pessoas para aproveitar as ferramentas digitais. Nesse sentido, a admissão online é uma grande tendência, afinal não só gera economia e eficiência ao longo do expediente, gera também modernização do setor e com isso toda a organização é beneficiada.

Leia também: O que é People Analytics e como essa tendência vai transformar a Gestão de Pessoas da sua empresa

 Enfim, agora você está por dentro do assunto e sabe que a modernização do RH e a transição para o modelo de admissão online é um processo. Passo a passo, é possível atingir grandes resultados.

Se você gostou do nosso artigo e quer ajudar outros empreendedores a focarem no digital, não deixe de compartilhar em suas redes sociais. Em nosso blog, falamos de diversos assuntos que podem ser interessantes para você que aposta na tecnologia como solução para diversos processos na sua empresa. Até mais.