Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal

Qual a diferença entre gestão de pessoas, RH e departamento pessoal?

Com estruturas cada vez mais plurais e complexas, as empresas atualmente acabam enfrentando certa dificuldade ao estabelecer funções para diferentes áreas, como a de Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal. Seja por desconhecerem as funções de cada uma delas, ou por simplesmente haver uma má organização, muitos negócios acabam enfrentando sérias consequências por não compreenderem o que cada um desses setores influencia no todo. 

Por mais que Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal são áreas relacionadas aos colaboradores de uma empresa, cada uma delas possui atividades próprias e lida com aspectos singulares do capital humano, exigindo especializações e demandas específicas. A confusão entre elas se dá exatamente por esses setores serem complementares um aos outros. Apesar disso, eles não são a mesma coisa, apenas complementares

Se você busca resultados mais eficazes, almejar lucros, ter colaboradores motivados e engajados e alcançar uma alta produtividade, é essencial compreender de uma vez por todas as diferenças entre Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal. Abaixo apresentamos as principais atividades e funções de cada um desses setores na empresa. Confira: 

Gestão de pessoas

Talvez o termo e área mais difícil de diferenciar entre Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal, seja justamente o primeiro. Isso porquê muitos negócios não possuem de fato um setor para tratar desse assunto, quando na verdade deveria existir. O termo gestão está relacionado a administração, portanto, quando falamos de Gestão de Pessoas estamos nos referindo a um conjunto de atividades feitas pelos gestores de cada uma das áreas de uma empresa. Cada gestor tem um papel de gerir, administrar, seus funcionários diretos, como também os bens e serviços relacionados ao seu trabalho. Cabe a um gestor focar em algumas atividades, como: 

  • Criar processos motivacionais com sua equipe
  • Estabelecer relacionamento interpessoal e incentivar o desenvolvimento profissional
  • Planejar e liderar a equipe realizando um trabalho conjunto e específico, dependendo da situação
  • Avaliar comportamentos e resultados, dando feedbacks constantes e ouvindo o que os colaboradores têm a dizer
  • Comunicar sobre a cultura organizacional e repassar informações sobre atualizações que a empresa possa estar passando 

Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal

Tendo em vista todas essas demandas de atividades aos gestores, faz-se necessário haver um departamento específico para auxiliar e capacitar esses processos. O setor de Gestão de Pessoas tem como principal função motivar seus colaboradores e manter um espaço de comunicação onde o colaborador consiga ser ouvido e ter voz de decisão. De maneira geral, a principal diferença entre os dois tópicos seguintes, é que o Departamento de Gestão de Pessoas age diretamente no bem-estar e engajamento dos colaboradores e orientação aos gestores

Leia também: Desafios de investir na gestão de pessoas: vantagens, obstáculos e resultados

 

Recursos Humanos (RH)

O Recursos Humanos e a Gestão de Pessoas muitas vezes acabam se confundindo, principalmente por, em muitas empresas, os responsáveis dessas duas áreas trabalharem no mesmo espaço físico e a atuarem em conjunto para atingir metas comuns, como reduzir o turnover, potencializar o capital intelectual, aumentar a satisfação dos colaboradores. Contudo, quando buscamos diferenciar Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal, devemos considerar como principal foco do RH planejar uma estratégia macro para a empresa focando na proximidade entre a cultura organizacional e os objetivos individuais de cada colaborador. Enquanto na Gestão de pessoas é diagnosticado o que é preciso ser organizado ou transformado, cabe ao RH pensar em metodologias e estratégias para que de fato essa mudança ocorra. 

Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal

Job applicant having an interview.Group of business people having job interview with young woman.

Por exemplo: o gestor de pessoas pode perceber que determinado setor da empresa não está em sintonia e apresentando desavenças ou resultados muito abaixo do esperado. Cabe ao RH propor as técnicas para aumentar essa satisfação e ações para que produza o efeito desejado, podendo muitas vezes perceber a necessidade de renovação do time de funcionários. 

Abaixo algumas funções dos profissionais de RH:

  • Realizar os processos de seleção e recrutamento
  • Planejar atividades de integração de novos colaboradores
  • Criar formas de premiação por metas alcançadas
  • Verificar a qualificação profissional de determinados profissionais para vagas 
  • Plano de Carreira
  • Promover palestras motivacionais
  • Fundamentar métodos para avaliação de desempenho dos colaboradores
  • Estruturar planos de cargos e salários

Leia também: Processo de seleção: como escolher o candidato certo para cada vaga

 

Departamento Pessoal

Para finalizar essa diferenciação entre Gestão de Pessoas, RH e Departamento Pessoal, chegou a hora de explicar o último setor em questão. Enquanto Gestão de Pessoas e RH está fortemente ligado ao envolvimento do colaborador na organização, o Departamento Pessoal é responsável por cuidar dos aspectos mais burocráticos e trabalhistas da empresa, muitas vezes tendo em seu escopo de funcionários Administradores ou técnicos em Administração. 

O Departamento Pessoal centraliza as informações sobre o capital humano da organização, construindo uma base de dados a fim de focar na sustentabilidade financeira da empresa e muitas vezes concedendo subsídios às práticas dos gestores de pessoas e de RH. 

Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal

Veja as principais responsabilidades desempenhas pelos funcionários do Departamento Pessoal: 

  • Realizar pagamentos 
  • Definir cargas horárias de trabalho
  • Formalizar Contratos e Registro de Carteira 
  • Cálculos de Férias, Horas Extras, Vale Transporte, Alimentação, 13º, Licença maternidade, FGTS, INSS e indenizações 
  • Normatizar o processo de contratação e demissão de colaboradores 

Leia também: Como a saúde interfere na produtividade nas empresas

Como você percebeu existem diferenças fundamentais entre Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal. Os três setores existem na sua empresa? O trabalho realizado em cada um deles está de acordo com essas funções estabelecidas ao longo do texto? Se sua resposta for não para cada uma dessas perguntas, talvez esteja na hora de rever os processos e a estrutura da sua organização. 

Nunca se esqueça que o Departamento Pessoal tem como objetivo auxiliar a empresa no que diz respeito às suas atividades administrativas de negócio. Já o Recursos Humanos, tem foco no desenvolvimento pessoal. Por fim, o setor de Gestão de Pessoas deve observar o relacionamento interpessoal dos colaboradores. Quando cada uma dessas áreas está bem estabelecida em uma empresa, os colaboradores e toda a empresa ganham em produtividade e resultados positivos

Se você gostou desse texto sobre Gestão de pessoas, RH e Departamento Pessoal, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais.

Até a próxima! 

bem-sucedido

Três passos para conseguir ser bem-sucedido

Todo mundo ao escolher uma profissão ou um ramo de atuação sonha em ser bem-sucedido. Ter o reconhecimento profissional e ganhar destaque por algo que você fez ou faz é uma recompensa por todo o esforço empregado desde o início da carreira. Mas afinal, como atingir o sucesso tendo um retorno financeiro e satisfação pessoal? 

O primeiro ponto que você precisa deixar de acreditar é que as coisas caem do céu. Não, nada acontece de uma hora para outra. Claro que algumas pessoas possuem privilégios que a tornam mais suscetíveis para alcançar o reconhecimento profissional, mas, de maneira geral, todos precisam percorrer uma jornada longa e de muito esforço para conseguir ser bem-sucedido. Existem diferentes caminhos e fórmulas para se conquistar o que deseja. Para ser bem-sucedido, você precisa ter claro onde quer chegar e analisar as diferentes possibilidades para conseguir percorrer essa estrada rumo ao sucesso. 

Leia também: 4 maneiras de crescer na carreira sem se tornar um gerente

Se você entrou nessa matéria, provavelmente ou está a caminho ou não sabe o que fazer para conseguir ser bem-sucedido. Então continue lendo e confira três passos que você deve pôr em prática para conquistar o reconhecimento profissional!

1 – Tenha foco no seu objetivo e não desvie em rotas alternativas

Quem nunca já se viu criando planos B, C, D para fugir do plano A? Ter alternativas pode ser muito bom para nos manter mais tranquilos, porém elas podem ser uma grande armadilha para nos tirar o foco do que realmente desejamos. Quando você não tem outra escolha, você se obrigar a correr atrás e fazer de tudo para tornar real seu objetivo. 

bem-sucedido

Mantenha a confiança de que você irá conseguir, apesar do que possa ocorrer, você terá capacidade e arrumará alguma maneira de se recuperar e continuar percorrendo a rota certa para conquistar o seu objetivo. Pode demorar, podem haver erros, mas isso tudo serve para você conseguir crescer e amadurecer ainda mais seu foco. Aprenda com suas fraquezas e não desista. Ser bem-sucedido é consequência de esforço e determinação

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

2 – Positividade e bom hábitos

A maior parte das pessoas bem-sucedidas é entusiasmada, confiante, feliz e, principalmente, otimista. Você já deve ter percebido que quando carrega certos momentos da sua vida com boas energias, tudo torna-se mais fácil. Então, que tal sempre que algo parecer difícil, pensar “vai dar certo”, “eu vou conseguir”; “vai ser divertido”. Tire da sua mente a pergunta “por quê” e substitua por “para que – “Para que estou passando por isso? ”; “O que preciso aprender com esse novo desafio? ”. Viu? Fica mais fácil conseguir respostas otimistas e seguir em frente acreditando que existe um bom motivo para que você esteja passando por alguma dificuldade. Ah, tire também essa palavra da mente. Não existem dificuldades, mas sim desafios.

bem-sucedido

Tudo isso deve ser empregado não apenas quando você estiver trabalhando, mas sim nos seus hábitos diários. Aqueles com maior propensão para o sucesso tendem a ter hábitos diários mais saudáveis e equilibrados. Se você está chegando em casa e mantendo sua mente no trabalho, é o momento de repensar qual caminho você está seguindo. É preciso separar a hora de focar no trabalho e a hora que vamos ter distrações quotidianas, seja vendo um filme, conversando com os familiares, indo a um parque. Conseguimos ter um melhor desempenho nos nossos objetivos profissionais quando mantemos nosso corpo descansado e em equilíbrio emocional. Tenha uma alimentação saudável, faça exercícios regularmente, mantenha uma rotina bem estabelecida e a ponha em prática. Mas atenção, não veja tudo isso como uma obrigação. Tudo que é obrigado se torna chato. Busque sempre ter prazer nas suas rotinas, fazendo o que gosta e descobrindo a cada dia algo novo que lhe faz ainda mais feliz. 

Leia também: Inovação no RH? Não se confunda, comece por aqui

3 – Nunca deixe de sonhar e aprender

Muitas pessoas se acomodam quando alcançam algum objetivo – seja ele pequeno ou não. Os profissionais bem-sucedidos sempre estão buscando novos sonhos e focos para se manterem ativos e com desafios ainda mais produtivos. Cada vez mais o mundo está dinâmico e exigindo profissionais qualificados. É muito comum vermos funcionários que durante anos trabalharam numa mesma empresa e ao se verem no mercado de trabalho, enfrentam uma concorrência muito mais capacitada, por terem mantido uma educação continuada. 

bem-sucedido

Atualmente existem diversos cursos profissionalizantes e de especialização, seja a distância ou presenciais. Muitos até com curta duração, sendo realizados em feriadões ou até mesmo fins de semana. Além disso, algumas empresas possuem planos de incentivo de aprendizado contínuo, com descontos em pós-graduações ou workshops. 

Então, para começar, considere como e de que maneira você quer se desenvolver. Pesquise as possibilidades de cursos que mais despertem sua curiosidade. Veja com o que você trabalha e no que essas oportunidades podem qualifica-lo ainda mais como profissional. Procure participar de grupos em redes sociais ou assistir vídeo-aulas relacionadas ao seu campo de atuação. Hoje em dia diversos profissionais compartilham suas experiências no YouTube ou em grupos no Facebook. Além de ser uma excelente oportunidade de networking, você poderá ver na prática como está o mercado de trabalho na área em que atua. 

Aliás, networking é a palavra-chave para conseguir nutrir um bom futuro na sua carreira. Sabemos como as empresas são voláteis e, mais do que isso, precisamos ser humildes para reconhecer que não sabemos tudo. Na verdade, quando partimos da ideia de que temos muito ainda para aprender, abrimos nossas mentes e encaramos o outro como uma pessoa com grande potencial de contribuir para que consigamos ser bem-sucedidos. Então, mantenha uma rede de contatos diversa e busque fortalecer seus laços com todos os tipos de profissionais, sejam eles em escala hierárquica superior ou inferior à sua. 

Leia também: O que é absenteísmo e 4 maneiras de melhorar os resultados na sua empresa

Gostou? Esperamos ter lhe ajudado a ter mais clareza do que é preciso para ser bem-sucedido e conquistar o reconhecimento profissional. Mantenha-se sempre otimista e lutando pelo o que você deseja. Não desista e nunca deixe que alguém lhe diga que você não é capaz. Acredite nos seus potenciais. Compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude mais pessoas a terem sucesso em suas carreiras.

Até a próxima! 

processos de gestão

Como os processos de gestão favorecem a sua empresa

Toda empresa sonha em ter sucesso e reconhecimento no mercado. Entretanto, todos sabemos que uma organização possui uma gama enorme de atividades, funcionários e funções, que muitas vezes impactam nas ações internas, tornando-as demoradas, impedindo que metas sejam atingidas no tempo planejado.  Para solucionar esses problemas e administrar de maneira mais eficaz as demandas diárias, é preciso uma boa estruturação dos processos de gestão da sua empresa.

Duas palavras-chaves devem guiar os processos de gestão: planejamento e controle. Para uma empresa atingir os objetivos traçados e alcançar os resultados desejados, é necessário que haja um esforço organizado, com criação de métodos ou estratégias que possam garantir excelência na produção.

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

Os processos de gestão surgem para servir como uma base para as decisões tomadas por uma empresa, a fim de conquistar uma assertividade nas escolhas, evitando contratempos e falhas contínuas. Com eles você consegue criar direcionamentos para prever com mais clareza o futuro esperado para a empresa, traçando metas e os caminhos que precisam ser seguidos para atingir esses objetivos esperados.

Parece um sonho, mas é possível sim ter o controle de cada atividade da sua empresa. A partir de um conjunto de iniciativas, permite-se conhecer cada ação que está ocorrendo, estimando a reação delas, conseguindo prever os impactos e resultados. Além disso, com processos de gestão visualiza-se os pontos que não conseguiram conquistar um bom desempenho, diagnosticando possíveis falhas. Por fim, torna-se possível ajustar os métodos, sanando essas falhas anteriores, vencendo o propósito inicial.

Mas afinal, quais são as etapas dos processos de gestão? Confira abaixo os quatros caminhos para obter sucesso na sua empresa!

Planejamento Estratégico

Essa primeira fase dos processos de gestão tem como foco garantir que a missão da sua empresa será cumprida, gerando um conjunto de diretrizes que servem como orientação. Ter em mente onde se busca chegar é o primordial. Se sua empresa já tem certa noção de qual “pote de ouro” servirá para conquistar o sucesso, chegou o momento de traçar o caminho para conquistá-lo.

processos de gestão

O Planejamento Estratégico terá como função analisar os diferentes fatores que impactam, tanto tendo em vista o ambiente externo, como o interno, evitando ameaças, aproveitando as oportunidades, enaltecendo os pontos fortes a favor da empresa, a fim de superar as deficiências dos pontos fracos.

Imagine que sua empresa trabalhe com artigos de presentes e tem como objetivo dobrar o número de vendas em um ano, entretanto nos últimos dois meses está tendo uma queda na procura. É perceptível que talvez você não consiga conquistar o número de vendas esperado ao fim do período, certo? Surge aí a necessidade de colocar em prática novos processos de gestão no seu negócio.

Leia também: Inovação no RH? Não se confunda, comece por aqui

No planejamento estratégico será diagnosticado as oportunidades e ameaças possíveis que possam influenciar no desempenho de sua meta, como por exemplo: mudanças no comportamento do consumidor, possíveis alterações econômicas e políticas em que o país possa estar passando, desenvolvimento do mercado concorrente, dificuldades na abordagem interna dos funcionários, entre outros aspectos que influenciam na viabilização ou não do crescimento.

Esse diagnóstico muitas vezes é facilitado com a utilização de softwares que permitem visualizar os dados gerados a cada mês, como número de vendas, variáveis nas receitas, aumento ou diminuição de leads, entre outras informações que sua empresa pode gerar.

Planejamento Operacional

A segunda etapa dos processos de gestão consiste, baseado no planejamento estratégico, identificar, integrar e avaliar as alternativas de ação e na escolha de um plano de atividades a serem executadas. Estipula-se quais meios e recursos serão necessários, além de quantificar o plano, estruturando-o de maneira plausível para ser executado.

processos de gestão

É importante simular diferentes alternativas e definir quem irá ser o responsável pelas diversas áreas funcionais da organização, a fim de que possa refletir no resultado final esperado. É preciso que todos estejam alinhados, tendo em vista o cenário e as diretrizes estratégicas desenhadas durante o processo de planejamento estratégico.

Leia também: Desafios de investir na gestão de pessoas: vantagens, obstáculos e resultados  

Chegou a hora de executar

Mãos a massa! Após todo o estudo de impacto realizado durante o planejamento estratégico e a identificação de como se desencadearia o processo, chegou a hora de colocá-lo em prática. Nessa fase podem surgir necessidades de alterações e ajustes no projeto. Isso pode ser evitado quando se há um planejamento em que se possibilita diferentes ações.

A fase de execução é exatamente aquela em que essas ações são implementadas, realizando as transações necessárias, registrando e interagindo entre os diferentes setores da empresa. Essa fase pode ser feita utilizando ferramentas tecnológicas que auxiliam nos processos de gestão.

Controle

Como qualquer processo interno que busca resultados positivos é necessário haver um controle do desempenho. Ele deve ocorrer tanto nas áreas operacionais da organização, como nas demais áreas. A avaliação deve ser global e analítica, reunindo informações sobre o desempenho real, realizando comparações constantes entre os números pretendidos com o alcançado. Estamos falando de um mecanismo que pode ser realizado a partir de plataformas de processos de gestão, que possibilitam essa comparação, reduzindo divergência de informações, trazendo mais confiabilidade e controle.

Leia também: Indústria 4.0 em Gestão de Saúde: como essa revolução pode ajudar a sua empresa

A fase do controle tem extrema importância porque é nela que será percebido o desempenho planejado e o realizado, possibilitando comparar em bases objetivas todas as etapas do processo de gestão. Analise os resultados e confira se eles estão conquistando a eficiência planejada. Caso negativo, está na hora de repensar, reorganizar e checar área por área. Cada gestor de sua área conseguirá, a partir de ferramentas, buscar informações sobre o desempenho atual. Com esses dados, é possível checar o que não está alinhado ao planejado e que precisa ser ajustado, no sentido de assegurar que os objetivos traçados serão atingidos.

Como você percebeu, uma empresa que consegue obter resultados relevantes e alcançar metas, precisa ter todo o seu processo de gestão alinhado e em conformidade com os objetivos traçados. A chave do sucesso está em planejar, executar e controlar!

Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a tirarem suas dúvidas sobre processos de gestão.

 

Até a próxima!

3 Tendências de RH para ficar de olho em 2019

Uma grande aliada das equipes de gestão de recursos humanos é, sem dúvida a tecnologia. Além de ter o poder de otimização de projetos, ela também auxilia na produtividade, eliminando certas atividades burocráticas e modelos de gestão mais antigos e pouco eficientes. Estar por dentro das tendências de RH para 2019 pode ser a solução para os seus problemas de gestão. Continue lendo!

 

Estruturas corporativas onde o espaço para o bem estar do colaborador não é respeitado, se torna ultrapassada e mal vista pelo mercado que busca estar sempre atualizado com as novas práticas. Por isso, é importante se atualizar, quebrar padrões e compreender que tudo precisa evoluir.

 

O fim do ano está chegando, por isso, é necessário se manter atualizado com as principais tendências de RH para 2019. Aqui, você vai aprender sobre as melhores técnicas para que a sua instituição prospere e estabeleça uma nova estrutura para os próximos meses.

 

Antes de seguirmos com as dicas, vale lembrar: tendências de RH não são definitivas! Aqui, nós vamos falar sobre as principais projeções do mercado relacionadas com o que estará em alta em 2019. Porém, a dica mais importante deste artigo é: fique por dentro do que vai acontecer antes, durante e depois de 2019, só assim você estará preparado para enfrentar o mercado e se adaptar a todas as mudanças previstas e não previstas na gestão de RH. Vamos lá?

1- Rotinas flexíveis

As atividades com rotinas flexíveis foram um sucesso em 2018, e em 2019 vão continuar sendo. Neste ano, o número de indivíduos interessados por este tipo de atividades aumentou significativamente. Empresas menores, como startups, adotaram esta e outras tendências de RH e ditaram regra para muitas empresas maiores.

 

Startups e coworkings são duas das palavras mais populares quando se trata de tendências de RH. A primeira é usada para representar empresas que resolvem problemas de seus clientes de uma forma veloz e diferenciada, a segunda está ligada aos ambientes em que profissionais de várias empresas trabalham no mesmo local. Mas o que fez fundadores de novas empresas optarem por espaços de trabalho compartilhados com profissionais de outras áreas? Relacionamento!

 

As plataformas colaborativas também estão melhorando, o que significa que a velha abordagem de “pegar uma sala de reunião” para resolver problemas e ter um bate papo rápido está se tornando coisa do passado. Enquanto as empresas de tecnologia estiverem a frente, a prioridade será por membros de equipes que estejam dispostas a trabalhar em todo país, até mesmo durante uma viagem. Por isso, esqueça reuniões longas e sem pauta! As grandes tendências de RH para 2019 são soluções rápidas, que podem ser tomadas através de um breve diálogo online.

 

 

O que conseguimos perceber é que organizações “tradicionais” estão cada vez mais envolvidas com os modelos de trabalho flexíveis e tornando-se mais criativos quando se trata de entrega e gerenciamento de projetos. Então, como aplicar esta tendência de RH a sua empresa?

 

  • Viabilize o trabalho remoto através de algumas plataformas de colaboração, e deixe que sua equipe saiba que você está aberto para experimentar coisas novas. As pesquisas mostram que os trabalhadores remotos não são menos produtivos se a comunicação e o engajamento são bem gerenciados
  • Promova debates sobre como você pode gerenciar os funcionários que são remotos e como mantê-los engajados com contatos regulares e reuniões de equipe.
  • Se você gosta de novos desafios, pode considerar a contratação de talentos fora do seu mercado de recrutamento normal. Contratar alguém fora do país pode ser uma excelente forma de alcançar diversidade na entrega dos seus trabalhos.

 

Leia também: Como ter uma gestão de recursos humanos de excelência.

 

2 – Inteligência artificial no RH

A inteligência artificial no RH não é novidade. O que é novo, no entanto, é a possibilidade de desenvolver o RH dentro da empresa de uma maneira bem diferente da usual. Sabemos que o RH é uma função voltada para as pessoas e, portanto, os profissionais de RH precisam interagir fisicamente com os funcionários. Embora isso seja uma verdade, quanto tempo você gasta com estes processos?

 

Bem, atualmente a inteligência artificial pode ser aplicada na gestão de RH em três grupos distintos:

  • Biometria;
  • Bots e automatizadores;
  • Algoritmos.

 

A biometria é utilizada amplamente em áreas como a bancária, por exemplo. Sistemas de reconhecimento de digitais já são populares e instrumentos de reconhecimento facial, pela íris ou por comando de voz se tornam cada dia mais comuns no país.

 

Basta dizer que até mesmo o bom e velho relógio de ponto agora funciona por intermédio de digitais de funcionários, que registram sua entrada e saída dos locais de trabalho. O fato é que o uso da biometria tornou mais fácil medir índices importantes para o RH, como a assiduidade dos funcionários, seus horários de trabalho, cálculos e estimativas de horas-extras, entre outros. Com o tempo, tais sistemas devem evoluir mais e permitir que se controlem dados e informações não apenas na entrada e saída, mas durante todo o expediente.

 

Em segmentos como o comercial, o reconhecimento facial, por exemplo, vem sendo testado para medir reações de clientes e potenciais clientes. No futuro próximo, esse tipo de expediente poderá ser utilizado para avaliar e medir o grau de satisfação dos trabalhadores de uma empresa, já imaginou se esta tendência de RH começa a ser utilizada?

 

O segundo grupo de aplicação da inteligência artificial inclui os chamados bots. Esse tipo de inteligência realiza buscas e análises automatizadas em dados e informações hoje presentes na internet e nas redes internas das empresas. Tudo o que era feito manualmente em meses passou a levar segundos, e nada impede esse tipo de tecnologia de atingir a consulta em tempo real no futuro, para qualquer tipo de dado.

 

Além disso, não podemos deixar de falar da automatização e robotização de processos manuais tais como a gestão de saúde para trabalhos de risco. Hoje feitos, na grande maioria, de forma manual, com perdas grandes de horas produzidas para deslocamentos até área ambulatorial podem e passam a ser realizados por automatização e robotização. Tal ação traz a organização agilidade no processo, evita deslocamentos desnecessários do

local de trabalho até o ambulatório. Isso porque o equipamento é instalado no local de trabalho, as aferições de pressão arterial por exemplo são feitas por equipamentos sem intervenção humana no ambiente ou próximo ao local do trabalho. Veja aqui um desses equipamentos, o Safety.

3- Atraia as pessoas certas

A entrevista baseada em competências tornou-se prática no ano 2000 e sua dominação continuou até hoje, para a maioria das organizações. Depois de muitas análises e testes, as empresas começaram a perceber que o ideal é focar em contratar pessoas que entendam o negócio, a cultura e os valores da empresa, além das habilidades específicas.

 

Muitas vezes nos concentramos em habilidades e experiências, e deixamos de lado questões comportamentais que dizem muito sobre os valores que o candidato têm e quais são suas preferências em um ambiente de trabalho.

 

E você, já está aplicando alguma das tendências de recursos humanos em sua empresa? Ou pensa em adotar uma delas? Conta pra gente! Até a próxima!

Como ter uma gestão de recursos humanos de excelência

Você sabe o que é Gestão de Recursos Humanos e qual o papel que ele desempenha em uma instituição? Folha de pagamento, leis trabalhistas e contratação de demissão de funcionários são apenas algumas atividades exercidas por um profissional de recursos humanos. Como ter uma gestão de recursos humanos efetiva? Bem, primeiro você precisa saber que o papel da gestão de RH vai muito além dessas atividades mencionadas.

 

Um departamento de gestão de recursos humanos é responsável por gerenciar o capital humano com o negócio, garantindo que empresa e funcionários atinjam seus objetivos. Então, como ter uma gestão de recursos humanos de excelência? Bem, com o uso de algumas técnicas, o RH consegue gerenciar as relações humanas em uma empresa de maneira bastante saudável. Os objetivos dos funcionários e do negócio são considerados e o RH trabalha para assegurar um ambiente corporativo agradável e motivador.

Qual a importância de ter uma gestão de RH efetiva?

Antes de saber como ter uma gestão de recursos humanos eficaz em sua empresa, é importante entender qual a importância desta gestão.

 

Para o pleno funcionamento da organização, é importante que todas as suas áreas atuem de forma satisfatória. Não basta apenas o setor de vendas ou de marketing está a todo vapor, afinal, o marketing impulsiona o sucesso do negócio, mas a gestão de recursos humanos mantém os níveis de produção elevados.

 

Para isso, o RH cria iniciativas que demonstram o valor que cada profissional tem para a empresa. Uma organização preocupada com a sua gestão em RH, conserva os seus funcionários mais entusiasmados e envolvidos com o trabalho. Dessa maneira, você terá certeza de que cada pessoa está dando o máximo de si a fim de atingir os objetivos corporativos e as metas estratégicas da empresa.

O que faz um gestor de recursos humanos?

 

Além das tarefas cotidianas, o gestor de RH tem outras responsabilidades que são fundamentais para o negócio progredir e ter resultados. Conheça as outras atividades desempenhadas por um gestor de RH:

 

  • Cumprimento das legislações trabalhistas;
  • Gerenciamento do clima organizacional;
  • Recrutamento e seleção de novos funcionários;
  • Treinamento e desenvolvimento de colaboradores;
  • Definição de cargos e salários da empresa;
  • Criação de programas de incentivo;
  • Estruturação de processos burocráticos;
  • Gerenciamento de conflitos.

Como ter uma gestão de recursos humanos de sucesso?

Agora que você já sabe o que faz um profissional de RH e porque ele é importante em sua empresa, chegou a hora de saber como ter uma gestão de recursos humanos de sucesso. Existem diversas práticas e políticas que fazem parte da gestão de recursos humanos e, por isso, devem ser implantadas em todas as empresas. Confira agora as principais:

 

  • Prepare a liderança

A escolha e prepare bem a sua liderança. O líder exerce grande influência sobre o rendimento e o grau de motivação dos seus colaboradores. Então, é fundamental investir no desenvolvimento de novas lideranças capazes de conduzir, orientar, ensinar e principalmente inspirar a equipe.

 

As análises de perfil comportamental são bastante úteis na fase de identificação e as avaliações de desempenho servem para confirmar os potenciais. Esse líder é definido por sua atitude positiva, que demonstra bom humor, cordialidade, otimismo e firmeza de propósito.

  • Processos seletivos

Uma boa gestão de recursos humanos passa primeiramente por um bom processo de admissão. Ter boas ideias sem ter quem as execute de maneira correta é frustrante, certo? Por isso, é essencial acertar nas contratações construindo um perfil ideal para suas vagas.

 

Quando processos de contratação são mal feitos, as chances de a taxa de rotatividade aumentar são muito grandes, influenciando completamente na constância de resultados da empresa.

O papel da gestão de recursos humanos nos processos de admissão é fundamental. Gestores e profissionais de RH tem a responsabilidade de traçar o perfil certo para escolherem a pessoa certa, minimizando assim as chances de erros.

  • Saiba qual é o perfil de cada funcionário

Uma vez contratado o funcionário, é importante saber quais são suas qualidades e defeitos que influenciam dentro da organização. A ideia é incentivá-lo a contribuir da melhor maneira possível para o negócio. Sabendo qual é o perfil do profissional, será mais fácil adequá-lo ao posto mais coerente às suas qualidades.

 

  • Treinamento

Quando o líder conhece a fundo sua equipe, consegue elaborar treinamentos com mais efetividade. Mas, é preciso lembrar que todo programa de capacitação deve estar inserido nas necessidades reais da empresa.

 

Além disso, é importante considerar as competências mais exigidas no dia a dia das equipes, como negociação, persistência e cooperação. Assim, é possível elaborar uma proposta personalizada, que já se mostrou muito mais eficiente que os modelos mais abrangentes.

 

  • Crie um ambiente agradável

Priorizar o clima da equipe em relação ao trabalho é uma das prioridades da gestão de recursos humanos. Criar um bom clima organizacional estimula os colaboradores a se dedicarem mais ao trabalho e a lutarem juntos pelos objetivos.

 

Quando o ambiente é bem estruturado para que os colaboradores se desenvolvam e coloquem suas habilidades na execução das tarefas, os resultados aparecem constantemente.

 

  • Invista em um sistema de gestão

Estar por dentro das novidades do mercado tecnológico é a melhor maneira de manter-se atualizado em relação a otimização dos processos e construção de uma cultura organizacional sólida.

 

Um sistema de RH eficaz não só transforma a empresa no mercado, deixando-a mais competitiva, mas também contribui com os processos burocráticos do dia a dia.

 

Viu como ter uma gestão de recursos humanos de excelência é importante? Você já conhecia as tarefas desempenhadas pelo RH apresentadas aqui? Deixe seu comentário e compartilhe nosso artigo em suas redes sociais.

 

Ah, e não esqueça de conhecer nossas soluções para gestão de pessoas clicando aqui!

Até a próxima.

Como ganhar agilidade e economizar com Terminais de Autoatendimento

Os terminais de autoatendimento vêm ganhando público e são cada vez mais utilizados para atender clientes de maneira rápida e eficaz. Há certo tempo os terminais de autoatendimento se fazem presentes em nosso dia a dia, um bom exemplo são os terminais de caixas eletrônicos, populares por sua rapidez em consultar informações básicas e até realizar movimentações como saques, depósitos e transferências, sem a necessidade de um operador financeiro ao lado.

 

Os terminais de autoatendimento funcionam através de uma interface homem-máquina, onde muitas vezes o cliente, totalmente isento de informações tecnológicas, precisa interagir com uma tela e seus componentes como sensores biométricos e câmeras, a fim de realizar as operações que deseja.

 

Sabemos que muitos usuários ainda não estão familiarizados com este tipo de tecnologia e, por isso, algumas necessidades e dificuldades acabam surgindo ao longo do processo. Então, é importante que os terminais de autoatendimento sejam desenvolvidos com muita atenção aos aspectos básicos de usabilidade, a fim de tornar a experiência do usuário a mais fácil e intuitiva possível. Neste artigo vamos explorar um pouco mais sobre o tema, e detalhar como os terminais de autoatendimento poder ser ágeis e econômicos. Continue lendo.

Otimize o seu atendimento

 

Sabemos que a base fundamental de todo atendimento é a capacidade de entender a necessidade do cliente e, com isso, conseguir entregar exatamente o que ele está buscando. Quando se tem um sistema de autoatendimento instalado em sua empresa, é possível gerenciar todo conteúdo de sua base de dados de forma rápida e simples. Com esta tecnologia, você consegue aumentar significativamente a eficiência do atendimento marcando de maneira positiva a experiência do seu cliente.

 

Os canais de autoatendimento buscam a maneira mais eficiente de se relacionar com o cliente final, por isso, utilize sempre uma linguagem simples e direta. Desta maneira, o seu atendimento será veloz e a prestação de serviços ao usuário será satisfatória. O grande objetivo do autoatendimento é poupar tempo e garantir a autonomia do cliente. Então, investir nesta tecnologia significa, de forma direta, que a empresa está preocupada com a satisfação do seu público.

 

Leia também: Tudo o que você precisar sobre o eSocial está aqui

 

Redução de Custos

Esses sistemas proporcionam suporte a um número grande de pessoas, por isso, possibilita mais atendimento em menor tempo, com menos incidência de erros, gerando um alto índice de satisfação. Todos esses benefícios são possíveis sem um alto investimento em equipe qualificada, já que o próprio cliente será o seu agente no processo de aquisição de serviços.

 

Outro benefício dos terminais de autoatendimento é a redução do fluxo de contatos manuais. Meios de comunicação como telefone, e-mail e chat podem ser reduzidos, já que o sistema é extremamente eficaz em atender as demandas do cliente.

Autoatendimento 24 horas

 

Você já pensou em oferecer um atendimento 24 horas em sua empresa? Com os terminais de autoatendimento isso é possível. Um dos principais benefícios desta tecnologia, é o funcionamento contínuo para benefício do usuário. Um exemplo prático são os famosos caixas eletrônicos 24h, utilizados pelas instituições bancárias. O tempo de atendimento é estendido por 24h ao dia, 7 dias por semana e, tudo isso, sem precisar da presença de um funcionário para garantir o atendimento. Sem contar como os benefícios que os terminais trazem para aeroportos, hospitais e várias outras estações comerciais.

 

Mas, para ter um atendimento integral funcional, é importante investir em equipamentos de alta performance e qualidade, garantindo o bom funcionamento durante todo o período.

 

Leia também: Como controlar o ponto de funcionários externos de forma fácil e efetiva 

Aumento nas vendas

 

Alguns estudos realizados apontam um aumento de até 30% em vendas, quando o estabelecimento opta em usar os terminais de autoatendimento. Claro que todo esse sucesso está diretamente relacionado à possibilidade de o cliente otimizar o seu pedido, adequando as suas reais necessidades. Os terminais também conseguem sugestionar produtos através de anúncios, informando ao consumidor sobre as possibilidades de compra.

 

O autoatendimento aumenta a receita de vendas e reduz custos de operação. O sistema também potencializa o acesso a informações do cliente, uma preciosa ferramenta para ações de relacionamento.

 

Recursos Extras

 

O terminal de autoatendimento oferece muito mais recursos do que você imagina e vários itens podem ser acrescentados. O terminal é um computador e pode ter muitas funções. Confira:

 

Leitor de códigos de barra e QRCode:

Muito usado em lojas e instituições bancárias. Conseguem identificar boletos ou produtos catalogados.

 

Impressora:

Funciona para emitir segunda via de boletos, recibos ou passagens aéreas.

 

Leitor de cartão:

Caso o terminal de autoatendimento tenha a função para pagamento, você precisará de um equipamento específico para ler os cartões.

 

Acesso à internet:

A internet cabeada é a mais segura, porém, nem todos os locais de instalação possuem a facilidade. Por isso, é altamente recomendado uma alternativa com wi-fi ou modem 3G – 4G.

 

Ainda existem outros componentes como scanner, câmeras fotográficas, leitores de NFC, etc. Tudo vai depender do tipo de serviço que você pretende oferecer ao seu cliente.

 

Quer saber mais e como os terminais de autoatendimento podem ajudar a sua empresa? Então clique aqui e entre em contato com a nossa equipe! Somos especializados em terminais de autoatendimento e podemos te ajudar. Não esqueça de compartilhar o texto em suas redes sociais.

 

Leia também: Como melhorar a segurança do trabalho (rápido e efetivo)

 

O que você precisa saber sobre controle de acesso

Pensar em investir em um moderno sistema de controle de acesso pode garantir a segurança de todo o negócio.
controle de acesso permite saber quem circula nas imediações da empresa e identificar se são colaboradores, clientes, fornecedores ou outros. Além de facilitar a gestão da segurança de pessoas e os ativos que constituem o patrimônio empresarial, ou em áreas críticas que gerem risco a integridade física, financeira ou de saúde de pessoas.
Exemplo: Unidades de tratamento Intensivo nos hospitais, almoxarifados, tesourarias e entre outros.
O que compõem um sistema de controle de acesso?
Para poder ter a gestão e controle de quem acessa os setores da empresa, são empregados um conjunto de recursos em softwaresequipamentos acessórios de identificação.
Sistema de Software para gestão de acesso
Atualmente com o avanço da tecnologia e da programação, um sistema eficaz deve ter a possibilidade informar em tempo real, quem acessou os locais controlados de sua empresa e integração com diversas aplicações.
Equipamentos para controle de acesso de pessoas
As catracas geralmente são as mais conhecidas como meio de barreira física para controle de portarias e refeitórios. Como também, em qualquer outro local onde seja necessário evitar o acesso de caronas, pessoas que entram juntas quando uma porta ou portão é liberado.
Existem vários modelos e geralmente encontradas com módulos mecânicos ou eletrônicos, as mecânicas são usadas onde não há necessidade de gerenciamento por software e as eletrônicas proporcionam um controle de acesso completo, com coletores de dados e até mesmo conexão com a internet, para fácil integração a sistemas.
Mas as catracas não são os únicos equipamentos que constituem um sistema de controle de acesso. Podemos mencionar também: coletores de dadostorniquetes, botoeiras, fechaduras eletrônicas e entre outros.
Equipamentos para controle de acesso de veículos
As cancelas são as mais empregadas para este gerenciamento e oferecem também um controle de acesso completo, com coletores de dados e até mesmo conexão com a internet, para fácil integração a sistemas.
Podem ser acionadas por diferentes formas, entre elas sensores de barreiras, laços indutivos, por RFID (Identificação por rádio frequência) e outros.
Acessórios de identificação
Nas empresas os mais usados são crachás e senhas. Mas atualmente controle de acesso biométrico tem sido o meio mais atual de liberar o acesso de pessoas nos equipamentos.

Gostou de nosso post?
Gostaria de saber mais sobre sistema de controle de acesso?
Fale com um consultor comercial e tire suas dúvidas sem compromisso: comercial@teleworld.com.br