telemedicina

O que é Telemedicina e como aplicar nas empresas

A relação entre o médico e o paciente vem se transformando ao longo dos anos. Durante muito tempo, a medicina funcionou dentro de um mesmo padrão: o paciente agenda uma consulta, encaminha-se até o consultório e é atendido pelo médico. Entretanto, esse cenário tem se atualizado e passado por grandes mudanças por conta da revolução tecnológica. Hoje a maneira como os atendimentos são dados ocorrem das mais variadas formas, graças aos avanços da telemedicina. 

A Telemedicina surge com o objetivo de ampliar a oferta de serviços clínicos em situações em que profissionais da saúde e pacientes estão distantes um do outro. Você provavelmente já ouviu histórias de pessoas que se mudaram, mas, mesmo assim, quiseram manter algum tipo de atendimento à distância, não é? Uma das áreas que mais se usa das tecnologias para suas sessões é a da psicologia. Já há algum tempo terapeutas e psicólogos realizam seus atendimentos através de aplicativos de vídeo-chamada. 

Os avanços da tecnologia da informação e das telecomunicações revolucionam hábitos e trazem uma demanda diferente para a sociedade. No outro ponto, temos uma população com rotinas cada vez mais corridas e uma mobilidade urbana reduzida. Muitas vezes deslocar-se para um médico presencial significa um planejamento de horas de antecedência e posterior ao atendimento. Para isso, surge a telemedicina, um recurso que vem se consolidando no Brasil, trazendo mais acessibilidade e opções para se manter em dia com a saúde. Quer saber mais sobre a telemedicina e como ela pode ser aplicada na Gestão de Pessoas das empresas? Então continue lendo esse texto e confira! 

O que é telemedicina?

A gente já deu uma breve contextualizada sobre a telemedicina no início do texto. Mas mesmo assim, vale explicar a fundo o que é esse recurso que vem se popularizando. Do grego, “tele” significa distância. É exatamente isso que a telemedicina representa. Serviços são disponibilizados remotamente através da utilização de tecnologias modernas. A prática teve origem em Israel, em 1950, e é bastante aplicada nos Estados Unidos, Canadá e países da Europa. No início, poucos hospitais utilizavam televisões para chegar a pacientes em locais remotos. 

telemedicina

A telemedicina desde o seu início buscou facilitar cuidados com a saúde, através da assistência médica à distância para pacientes e auxílio aos profissionais da saúde, clínicas e hospitais. Isso rompe barreiras e possibilita aos médicos trocarem informações, podendo estar em diferentes lugares ao mesmo tempo. A telemedicina ultrapassa as barreiras de clínicas e consultórios, ampliando o acesso ao atendimento para variadas pessoas. 

Esses atendimentos através da telemedicina hoje ocorrem por meio de plataformas online de acesso pelo computador, tablet ou smartphone, garantindo uma elevada velocidade na troca de informações, além da facilidade de acesso. É claro que essa variedade de canais está em constante transformações, diariamente aumentando, graças aos avanços da Inteligência Artificial (IA). 

Leia também: Como chegar lá: segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Como funciona na prática?

Teleducação, emissão de laudos a distância e teleassistência são algumas das principais frentes da telemedicina, constituindo bons exemplos de como a modalidade funciona na prática. Hoje as instituições de saúde utilizam a telemedicina com diversos intuitos, desde a capacitação dos próprios profissionais da saúde, por meio de assistências e otimizações de procedimentos, até mesmo chegando ao atendimento e diagnóstico direto junto aos pacientes. 

telemedicina

Entenda melhor três áreas principais da telemedicina:

Teleassistência

Na teleassistência, o foco da comunicação está no paciente e no seu bem-estar. Por meio dela, o paciente passa a ser monitorado em seu próprio domicílio ou até mesmo no seu local de trabalho por um médico ou qualquer outro profissional da saúde, podendo inclusive esse monitoramento ser feito através de tecnologias que se comunicam com outros profissionais à distância. Assim, torna-se possível observar parâmetros clínicos e fisiológicos, para que desvios sejam detectados o mais rápido possível, antes que doenças se agravem. Você saberá um pouco mais sobre uma das tecnologias utilizadas no final desse texto. 

Teleducação

Uma das áreas da telemedicina mais aplicadas, a teleducação já é utilizada por diferentes setores, não apenas pela medicina. Na área da saúde, seu foco é na capacitação de profissionais que estão longe dos grandes centros urbanos ou de locais em que possam estar sendo dadas aulas ou palestras. Assim, torna-se possível manter os profissionais sempre atualizados e preparados para diversas situações da prática médica e clínica. São utilizadas videoconferências, aulas, palestras, e-learning e programas de reciclagem. 

Emissão de laudos à distância

Esse é um dos ramos da telemedicina que mais cresce no Brasil. Isso porque, por meio dessa tecnologia, o exame pode ser realizado em qualquer lugar e avaliado por especialistas conectados à internet, sem a necessidade de se deslocar aos consultórios para receber diagnósticos ou avaliações clínicas. O médico pode tanto encaminhar ao paciente exames a serem realizados, como também analisar os resultados. Isso gera uma redução de custos consideráveis em clínicas. 

Leia também: Passo a passo: projeto para segurança do trabalho

De que forma aplicar a Telemedicina nas empresas?

Você que leu até aqui provavelmente está se perguntando: “mas afinal, como utilizar a telemedicina na minha organização?Pois saiba que a Telemedicina e a segurança do trabalho formaram uma grande parceria e uma opção altamente lucrativa para as empresas. 

Por meio de soluções tecnológicas constantemente atualizadas, torna-se possível realizar o acompanhamento constante da saúde ocupacional dos funcionários, facilitando possíveis diagnósticos, além de poder concluir como está o desempenho de cada profissional. 

telemedicina

Aqui na TeleWorld trabalhamos com a balança multifuncional Safety Gestão de Saúde. A Safety disponibiliza resultados com precisão e rapidez, além de claro, melhorar a qualidade de vida dos colaboradores e ser uma excelente escolha para aplicar a Telemedicina na sua empresa. Todos conseguem ter via mobile ou em um computador informações sobre peso, altura, pressão arterial, batimentos cardíacos, índice de gordura e muito mais.

Quer saber mais sobre? Então entre em contato conosco e descubra agora mesmo como a Safety poderá integrar a Telemedicina à saúde dos seus colaboradores. 

Leia também: Saúde preventiva nas empresas: o que é e como ser eficiente

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais e auxilie mais pessoas a compreenderem como funciona a Telemedicina e como ela pode beneficiar à Gestão de Saúde Corporativa.

Até a próxima!

Obesidade nas empresas

Obesidade nas empresas: quais ações implementar para conscientizar

A obesidade nas empresas tem se tornado um desafio diário para saúde de maneira geral. No Brasil, dados divulgados pelo Ministério da Saúde, apontaram que quase 20% da população é obesa atualmente no país. Seja no âmbito pessoal ou profissional, são necessárias algumas medidas para conscientizar sobre essa condição e muitas vezes incentivar uma mudança de hábito individual.  Já no meio coorporativo, a obesidade nas empresas, além de uma preocupação com a saúde, acaba gerando uma queda da produtividade e aumentando o índice de faltas ao trabalho. 

São diversas as ações tomadas pelas organizações para compreender e conscientizar sobre a obesidade nas empresas, seja entre seus funcionários, clientes e comunidade em geral. O que não pode ser deixado de lado, é que muitas vezes o ambiente de trabalho pode acabar contribuindo para o aumento do peso. Seja por não criarem rotinas alimentares saudáveis ou acabarem desenvolvendo algum tipo de doença, colaboradores que sofrem de obesidade ou possuem propensão para o ganho de peso precisam de um olhar mais atento e cuidados especiais.  

Leia também: Como chegar lá: segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Pensando em como melhorar o bem-estar de seus funcionários e evitar um aumento nas taxas de obesidade nas empresas, separamos algumas orientações sobre o que é possível realizar para incentivar seus funcionários a se movimentarem mais e criarem hábitos mais saudáveis, como também procurar auxílio médico em alguns casos. Afinal, é preciso ter claro que todas as medidas não devem ter como palavra-chave o combate, mas sim criar iniciativas para compreender o que pode estar levando à obesidade nas empresas e conscientizar seus colaboradores sobre o que pode ser feito para mudar esse quadro. Confira! 

Como está a alimentação na sua organização?

O primeiro ponto a ser estudado para compreender a obesidade nas empresas é fazer um estudo e pesquisa para identificar os hábitos alimentares dos seus colaboradores. Se sua empresa possui, por exemplo, um restaurante próprio, uma boa alternativa é contratar nutricionistas que irão avaliar o cardápio ofertado pelo restaurante, como também como seus funcionários estão se alimentando. 

É preciso perceber se existem opções saudáveis em quantidades necessárias para que todos criem uma rotina alimentar positiva. Além disso, faça um levantamento de quanto e como as pessoas estão comendo. Com tantas metas a bater e objetivos a cumprir, muitos colaboradores acabam se alimentando mal e muitas vezes de maneira rápida para conseguir voltar ao serviço. Observe se seus funcionários estão realizando intervalos completos e como estão ocupando esse período. 

Obesidade nas empresas

Caso sua empresa não possua restaurante próprio e forneça, por exemplo, Vale-Refeição ou espaços de refeitório para que seus funcionários tragam almoço, uma boa maneira de compreender a obesidade nas empresas é observar o que seus colaboradores estão trazendo para comerem. 

Mas afinal, o que eu, enquanto empresa, posso fazer para mudar esses hábitos?

Você, empresário ou gestor de Recursos Humanos, pode estar se questionando sobre isso, não é mesmo? Mas saiba que é possível sim auxiliar nessa conscientização através de algumas medidas simples. Alguns exemplos possíveis e alcançáveis são através da oferta de frutas no café da manhã ou criar painéis sugestivos com orientações sobre um “prato saudável”. Se sua empresa possui àquelas máquinas com venda de produtos em seus espaços de descanso, substitua salgadinhos ou refrigerantes, por alimentos saudáveis, como sucos, barrinhas de cereais, isotônicos, sanduíches naturais.

Leia também: Saúde preventiva nas empresas: o que é e como ser eficiente

Construa cronogramas com ações de incentivo à hábitos saudáveis

Boa parte dessas medidas relacionadas à obesidade nas empresas são voltadas à medicina preventiva, como você está percebendo. É exatamente na prevenção que devem ser estabelecidos atos para conseguir ter um ambiente mais saudável e produtivo. Ao implantar um programa de prevenção de doenças, promoção de saúde e qualidade de vida, você consegue construir com seus colaboradores uma atmosfera de consciência, em que cada um poderá se policiar e também ajudar seus colegas a tomarem decisões positivas. Além disso, a área de pessoas poderá estabelecer quais medidas mais concretas a serem tomadas para que se diminua a incidência de obesidade nas empresas. 

Sua empresa pode, por exemplo, criar campanhas de conscientização através de banners, e-mails e eventos que estimulem a prática de esportes, alimentações saudáveis e acompanhamento médico constante para que se evite a obesidade nas empresas ou demais problemas de saúde que possam contribuir para o aumento de peso. Invista em palestras, workshops ou até mesmo crie uma cultura com seus colaboradores de práticas esportivas. 

Obesidade nas empresas

Uma atitude prática é criar grupos para praticar trilhas ou corrida. Diversas empresas já realizam isso e, além de formar um ambiente corporativo mais unido e com sinergia, acaba impactando diretamente nessa conscientização sobre a obesidade nas empresas. 

Outro aspecto que pode ser investido é em parcerias com academias ou espaços de esporte, a fim de oferecer planos especiais para seus funcionários. Não se deve esquecer que muitos acabam não tendo rotinas mais saudáveis por questões financeiras. Então, quando você oferece preços mais acessíveis e atrativos, acaba criando uma cultura de que “não tem mais desculpa para não fazer esportes”. Falta tempo? Então insira os esportes dentro do seu local de trabalho. Contrate profissionais da área de educação física e realize aulas leves por alguns minutos, como de ioga, ginástica funcional, aula de dança entre outros exercícios que possam ser inseridos dentro da sua estrutura empresarial. 

Reavalie seu local de trabalho e invista em tecnologias

Como sua empresa trabalha a segurança do trabalho e a medicina preventiva dos seus colaboradores? Há quanto tempo você não realiza aferição sobre pressão arterial, batimentos cardíacos, peso, altura e índices de gordura dos seus funcionários?  

Muitas vezes o setor de recursos humanos assume diversas demandas, fazendo com que a segurança no trabalho ou medicina preventiva fique em segundo plano. Entretanto, isso pode acabar acarretando em graves problemas e gastos com plano de saúde ou até mesmo afastamento de funcionários por doenças ocupacionais. É preciso ter em mente que muitas doenças, como depressão e problemas musculoesqueléticos, podem acabar levando à obesidade ou influenciando nos comportamentos alimentares dos colaboradores. 

Obesidade nas empresas

Para isso, surgem no mercado algumas soluções tecnológicas que automatizam o controle da saúde dos seus funcionários, facilitando em muito essa responsabilidade.  Aqui na TeleWorld, trabalhamos com a balança multifuncional Safety Gestão de Saúde. A Safety disponibiliza resultados com precisão e rapidez, além de claro, melhorar a qualidade de vida dos colaboradores. Todos conseguem ter via mobile ou em um computador informações sobre peso, altura, pressão arterial, batimentos cardíacos, índice de gordura e muito mais. Além disso, você consegue aplicar com maior certeza seu projeto para conscientizar sobre a obesidade nas empresas. 

Leia também: Passo a passo: projeto para segurança do trabalho

Quer saber mais sobre? Então entre em contato conosco e comece agora a construir ações efetivas relacionadas à obesidade nas empresas.

segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Como chegar lá: segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Poucas pessoas compreendem, mas segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas são conceitos que estão extremamente interligados e devem andar juntos se uma organização busca produtividade e satisfação dos seus colaboradores. Um negócio para estar sempre competitivo no mercado requer diversas estratégia e atualizações. Além de planejamentos econômicos ou de vendas, um gestor ou empresário sempre precisa estar atento a segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas. 

A efetiva aplicação de iniciativas que visem uma melhora na segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas implica em um profundo respeito pelo colaborador, mas também é um forte indicador de como a organização está indo dentro e fora do mercado. Essa avaliação torna-se mais fácil a partir do momento em que uma organização disponibiliza aos seus funcionários ferramentas que passam a educar, treinar e proporcionar um aumento no bem-estar e melhora nos hábitos que interferem na segurança, saúde e qualidade de vida. 

Leia também: O que é necessário para alcançar a produtividade na empresa?

Para garantir segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas algumas ações devem ser tomadas e é preciso estar disposto a transformar certas rotinas do seu negócio e também repensar estratégias adotadas até então. Essa necessidade de atenção à segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas é evidenciada quando levamos em conta números divulgados pelo Ministério Público do Trabalho. Entre 2012 e 2017, acidentes de trabalho custaram mais de R$ 26 bilhões à Previdência Social. Esse valor abrange o pagamento de auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio acidente nesse período de 6 anos. 

Se você quer transformar essa realidade e trazer maior segurança no trabalho e qualidade de vida na sua empresa, abaixo apresentamos alguns pontos de atenção essenciais e como chegar lá. Continue lendo e confira! 

Fatores que envolvem segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Antes de saber efetivamente o que você pode fazer para conseguir transformar a segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas, é essencial compreender o que enquadra esses conceitos dentro de uma organização. A segurança do trabalho visa criar mecanismos e investir em atitudes que ajudem a controlar e minimizar os riscos associados às diferentes funções desempenhadas pelos colaboradores. Mais do que investir em EPI (Equipamentos de Proteção Individual), parte fundamental da realização de tarefas de maneira segura, é preciso tomar outras medidas para que seus colaboradores estejam seguros. Afinal existem diversas funções, administrativas por exemplo, que não são utilizados EPIs, mas que também estão sujeitas a acidentes. 

segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Ou seja, em qualquer ambiente profissional é necessário tomar algumas atitudes para conseguir unir segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas. Saiba sempre que muitos acidentes ocorrem por distração e podem ser evitados. Além dos acidentes, uma grave causa do afastamento de funcionários está no número crescente de doenças ocupacionais

Nesse sentido, a qualidade de vida segue sendo um fator determinante e concomitante aos investimentos em segurança no trabalho. Quando falamos sobre segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas, estamos levando em conta

  • Satisfação com a organização, funções exercidas e com o ambiente profissional em que cada funcionário está inserido
  • Possibilidade de desenvolvimento profissional 
  • Salários, jornada de trabalho e benefícios justos 
  • Soluções atualizadas de Tecnologia e Gestão de Pessoas
  • Projetos e treinamentos para melhoria constante do clima organizacional e integração entre setores
  • Liberdade de participação e expressão
  • Planos de segurança, como em caso de incêndios, e orientações sobre uso de EPIs

Esses itens apresentados são só alguns dos tantos que podemos pontuar quando o assunto é segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas. Cada negócio possui necessidades individuais que dependem da natureza da atividade profissional, como também do ambiente em que está inserido, além da área de atuação no mercado. 

Abaixo apresentamos três atitudes que você pode tomar a partir de agora para promover uma melhora na segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas. 

Invista em saúde preventiva

Um ponto importante de partida é saber que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a maioria das doenças poderiam ser evitadas apenas tendo hábitos de vida mais saudáveis e consultando médicos com frequência. Quando buscamos investir em segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas, é preciso dar uma atenção especial para saúde preventiva dos colaboradores. Também denominada medicina preventiva, como o próprio nome já diz, é a especialidade médica que busca pôr em prática ações antecipadas para evitar e diminuir as chances de desenvolvimento de doenças que possam se instalar e provocar consequências mais graves ao organismo. 

segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Uma empresa que dá atenção a esses aspectos é àquela que cria mecanismos para incentivar e conscientizar os colaboradores a modificarem seus hábitos e condições de vida, eliminando fatores de risco. Algumas ações que podem ser realizadas, são: 

  • Palestras e cursos que demonstrem a importância da realização de atividades físicas, riscos do sedentarismo ou sobre atitudes não saudáveis, como o tabagismo
  • Oferta de uma alimentação saudável, além de ginástica laboral ou parceria com clubes ou academias 
  • Dia da saúde corporativa, com médicos atendendo seus funcionários dentro do próprio local de trabalho, além de oferta de exames rápidos. 

Leia também: Saúde preventiva nas empresas: o que é e como ser eficiente

Trace planos de carreira e metas bem definidas

Um dos fatores que afeta diretamente a motivação dos colaboradores e qualidade de vida nas empresas é a ausência de transparência nos processos de desenvolvimento dos funcionários. É importante pensar estrategicamente e deixar claro para todos os colaboradores até onde eles podem chegar e o que é valorizado dentro do seu negócio. 

segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas

Estabeleça metas específicas para cada área e sempre busque estabelecer feedbacks constantes de como está a empresa e também como cada colaborador pode impactar positivamente ou negativamente para a produtividade e crescimento da organização. Estabeleça um canal aberto entre funcionários, gestores e Recursos Humanos, em que seja possível realizar diagnósticos do que está dando certo ou errado e impactando diretamente na segurança no trabalho e qualidade de vida na empresa. 

Invista em tecnologia

Para muitos já é natural a necessidade de unir tecnologia à segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas. Entretanto alguns ainda não conhecem a fundo soluções tecnológicas que permitem um avanço e aceleração de resultados quantitativos e qualitativos em relação a essas duas categorias dentro de uma organização. Hoje em dia há ferramentas que facilitam as comunicações, programas que integram os processos da empresa e sistemas que ajudam a fazer uma boa gestão de seus recursos humanos.

Aqui na TeleWorld você encontra soluções para controle do relógio ponto, ferramentas para segurança no trabalho e medicina preventiva, terminais inteligentes de autoatendimento, além de instrumentos para controle de acesso de pessoas e veículos. Quer saber como cada uma dessas soluções pode ajudar a melhorar a segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas? Então entre em contato agora mesmo conosco! 

Leia também: A importância da segurança do trabalho nas empresas

Gostou desse texto? Então compartilhe nas suas redes sociais e contribua com mais pessoas que buscam por melhorias na segurança no trabalho e qualidade de vida nas empresas! 

projeto para segurança do trabalho

Passo a passo: projeto para segurança do trabalho

Se sua empresa ainda não tem, é bom saber que já passou da hora de criar um projeto para segurança no trabalho. As políticas de prevenção estão diretamente relacionadas a outros indicadores do seu negócio, como despesas, reputação engajamento, produtividade e organização. Mais do que possuir programas de proteção contra quedas ou cumprir as exigências de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), um projeto para segurança no trabalho busca transformar mentalidades, posturas e comportamentos de todos os funcionários de uma empresa. 

O primeiro passo para criar e pôr em prática um projeto para segurança no trabalho é entender que a prevenção não é uma prioridade, mas sim, um dos valores fundamentais que devem permear uma organização. Sua empresa deve visar um futuro em que não será mais necessário falar sobre segurança no trabalho, por já ter se tornado uma realidade intrínseca a todos os atos cotidianos do negócio. A segurança no trabalho deve permear decisões e estar inserida na cultura da empresa, como estão os objetivos comerciais e financeiros. 

Leia também: Saúde preventiva nas empresas: o que é e como ser eficiente

Os números de acidentes de trabalho, como também dos custos à Previdência Social, evidenciam a necessidade de haver um projeto para segurança no trabalho nas empresas. Segundo dados do Governo Federal, o Brasil ocupa a quarta posição no ranking de acidentes de trabalho e entre 2012 e 2017, esse dado alarmante custou mais de R$ 26 bilhões à Previdência Social. Essa realidade precisa e pode ser transformada com algumas medidas imediatas em todas as empresas brasileiras. Para isso, fizemos um passo a passo para você iniciar a criação de um projeto para segurança no trabalho na sua organização. Confira: 

Passo 1: Desenvolva uma análise de riscos e de comportamentos

Antes de iniciar qualquer projeto para segurança no trabalho, é essencial desenvolver uma análise completa e de forma contínua sobre todos os riscos envolvidos nas diferentes atividades áreas da sua empresa. Seja qualquer porte que for sua empresa ou setores de atuação – desde os que envolvem fábricas ou até mesmo em ramos administrativos ou escritórios. É preciso levantar informações sobre ocorrências de acidentes, histórico de doenças ocupacionais e também o que os funcionários pensam sobre segurança no trabalho.

Projeto para segurança do trabalho

Um passo importante que deve ser dado é manter em dia a Análise Ergonômica da sua organização. Ela visa prever condições ideais para os funcionários, levando em conta pontos como mobília, transporte, equipamentos, níveis de ruído, iluminação, temperatura, umidade. Realizar constantemente essas avaliações é ter um projeto para segurança no trabalho mais eficiente e eficaz.

Outro aspecto essencial é a postura com que todos os colaboradores encaram a necessidade de um projeto para segurança no trabalho. É comum que diversas empresas já possuam iniciativas e investimentos para prevenir acidentes, como também doenças ocupacionais, porém poucos funcionários põem em prática. É preciso envolvimento de todos e que os gestores estimulem seus funcionários a se envolverem diretamente no projeto para segurança no trabalho.

Lembra do que falamos no início do texto? Segurança no trabalho precisa virar uma consciência coletiva e um hábito comum e automático para todos. 

Nessa análise também é preciso perceber erros mais comuns cometidos pela empresa, como ocorrências sem devidas soluções. Em muitos casos, problemas menores, de pequena repercussão, acabam tendo suas resoluções postergadas. É preciso dar a devida atenção a todos os problemas, independente dos graus de gravidade. 

Leia também: Como aplicar o empreendedorismo sustentável

Passo 2: Conscientização

Projeto para segurança do trabalho

Após realização dessas avaliações, para continuidade na criação de projeto para segurança no trabalho é importante incluir palestras, congressos e ações para que todos compreendam a importância de estar sempre atento a segurança e prevenção. Se for o caso, disponibilize treinamentos aos colaboradores. Eles precisam estar devidamente instruídos e preparados para agir da maneira adequada e realizarem uma observação inteligente sobre sintomas que possam estar sendo manifestados que indiquem possíveis problemas de saúde. 

Passo 3: Invista em estratégias e tecnologia

Cada empresa deve ter estratégias específicas para garantir o sucesso no projeto para segurança no trabalho. Isso porque, dependendo da área que sua empresa atua no mercado, é possível que seu ambiente de trabalho apresente mais ou menos riscos. Então é preciso realizar, além de uma pesquisa interna, tentar compreender como outras empresas do mesmo setor estão atuando e quais estratégias são adotadas por elas. Para alcançar produtividade e se manter competitivo é essencial mudar hábitos de dentro para fora, porém, sempre estar em sintonia com todas as exigências. 

projeto para segurança do trabalho

Entre algumas estratégias comuns a serem incluídas em todos os projetos de segurança no trabalho está a inclusão de uma gestão de saúde corporativa, por exemplo. Muitas doenças ocupacionais podem ser prevenidas se não diagnosticadas antecipadamente, evitando maiores complicações. 

Leia também: Gestão de Saúde Corporativa: como implementar em 7 passos

Outros pontos importantes de investimento são em soluções tecnológicas que facilitem a aplicação do seu projeto para segurança no trabalho. Foi-se o tempo em que era preciso anotar tudo em papéis ou realizar constantemente vistorias presenciais para aferir a situação atual das áreas de trabalho do seu negócio.  Com equipamentos tecnológicos, além de cortar custos, sua empresa consegue inserir a segurança no trabalho com maior facilidade e eficiência

Aqui na TeleWorld, oferecemos o que há de mais moderno e avançado em segurança do trabalho. Nossos equipamentos de última geração oferecerem soluções inovadoras para demandas como aferição e identificação de trabalhadores. Trabalhamos com a balança multifuncional Safety Gestão de Saúde. A Safety disponibiliza resultados com precisão e rapidez, além de claro, melhorar a qualidade de vida dos colaboradores. Todos conseguem ter via mobile ou em um computador informações sobre peso, altura, pressão arterial, batimentos cardíacos, índice de gordura e muito mais. Além disso, sua empresa consegue aplicar com maior certeza seu projeto para segurança no trabalho a partir dos dados gerados pelo aplicativo, criando um banco de informações sobre todos os colaboradores.

Quer saber mais sobre? Então entre em contato conosco e comece agora seu projeto para segurança no trabalho! 

Leia também: A importância da segurança do trabalho nas empresas

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais e auxilie mais empresas a criarem projetos para segurança no trabalho.

Até a próxima!

importância da segurança do trabalho nas empresas

A importância da segurança do trabalho nas empresas

Falar sobre a importância da segurança do trabalho nas empresas é escrever sobre sucesso, produtividade e clima organizacional qualificado. Uma indústria e organização que investe nessas práticas cria uma corrente de conscientização a todos os colaboradores, naturalizando hábitos que muitas vezes são ignorados ou desvalorizados.

Apesar de muitas vezes serem deixadas de lado, medidas preventivas relacionadas a segurança do trabalho são fundamentais para a redução, controle e eliminação de riscos de acidentes e de doenças ocupacionais. Para que seus funcionários produzam bem, é essencial que eles possuam um local de trabalho confortável e se sintam felizes e seguros naqueles ambientes. Mais do que isso, os colaboradores devem perceber que a empresa foca na importância da segurança do trabalho na gestão corporativa.

A segurança do trabalho tem se tornado foco por conta de um dado nacional alarmante. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o quarto país com mais casos de acidentes de trabalho. Dessa maneira, a fiscalização pelo Ministério do Trabalho vem se intensificando, como também sanções a empresas que não cumprem com as regras e legislações relacionadas a Saúde e Segurança no Trabalho (SST) previstas pela Constituição.

Leia também: Como adequar empresas de segurança do trabalho e medicina preventiva ao eSocial

Quer entender um pouco mais sobre o assunto? Então abaixo explicamos o que é e a importância da segurança do trabalho nas empresas. Continue lendo e confira!

A Segurança do Trabalho passou a ser percebida como essencial em meio a Revolução Industrial que ocorreu na Europa por volta do século XVII. Foi uma fase de transformações que provocaram a mecanização dos sistemas de produção e do trabalho assalariado.

Em meio a todo esse processo tecnológico, criou-se ambientes de trabalho precários, sujos, abafados e com os trabalhadores chegando a trabalhar mais de 15 horas por dia.  Dessa maneira, não havendo direitos trabalhistas, passou a ter um aumento significativo no número de acidentes de trabalhos, doenças ocupacionais e até mesmo mortes.

importância da segurança do trabalho nas empresas

O marco para o início de normas e regularizações voltadas a conscientização da importância da segurança do trabalho nas empresas é 1919, quando foi criada a Organização Internacional do Trabalho – OIT e a primeira lei brasileira sobre acidentes de trabalho (Lei nº 3.724/19). Ao longo dos anos, essas legislações foram aumentando e em 1978 surgiram, no Brasil, as Normas Regulamentadoras – NRS do Ministério do Trabalho.

Dessa maneira, como você deve concluir, segurança do trabalho nada mais é do que um conjunto de leis que resultam na adoção de ações por parte das empresas com o objetivo de controlar, diminuir e prevenir as doenças e os acidentes com trabalhadores, além de protege-los de doenças adquiridas no ambiente de trabalho. Essas atitudes devem existir em todos os segmentos, tendo em vista que todas as áreas possuem riscos e características que podem deixar o funcionário exposto.

Mas afinal, na prática, qual a real importância da segurança do trabalho nas empresas?

Muitas empresas quando precisam repensar suas ações relacionadas a segurança do trabalho esbarram no custo que isso vai acarretar ao negócio. Entretanto, a importância da segurança do trabalho nas empresas está, justamente, em encarar todo esse valor como um investimento em curto, médio e longo prazo, uma vez que são medidas que impactarão positivamente e de imediato no espaço de trabalho e, por consequência, em todos que estão inseridos nesse meio. Abaixo elencamos alguns tópicos sobre o que você irá ganhar ao compreender a importância da segurança do trabalho nas empresas:

importância da segurança do trabalho nas empresas

Melhoria na imagem

Seja internamente, como externamente, uma demanda constante no mercado de trabalho atual é ter um clima organizacional positivo, bem como se tornar uma referência externa como um bom negócio para se trabalhar e quem sabe investir. Nunca ficou tão evidente como hoje em dia àquela velha sina: “você é o que dizem sobre você”.

A visão de uma empresa no mercado reflete o que seus funcionários falam sobre ela. E quando falamos funcionários, estamos dizendo não apenas os que estão atualmente no seu quadro de colaboradores, mas também àqueles que por quaisquer motivos não fazem mais parte. Uma organização que se mostra compromissada com a legislação e preocupada, de fato, com seus funcionários, demonstra que todos fazem parte do resultado final e da prosperidade do negócio.

Quando você reduz acidentes e ocorrências envolvendo a segurança dos trabalhadores, você consegue garantir credibilidade corporativa, demonstrando responsabilidade social. No próximo tópico falamos um pouco mais sobre como conseguir construir essa credibilidade dando importância a segurança do trabalho nas empresas

Leia também: Desafios de investir na gestão de pessoas: vantagens, obstáculos e resultados

Colaboradores motivados e produtivos

Produtividade e motivação são sinônimos. Talvez a gramática não os classifique assim, mas no mercado de trabalho, ter funcionários que amem o que fazem, sentem-se inseridos no local onde trabalham e percebem a importância das suas funções para a sustentabilidade do negócio, tornam-se, de fato, mais produtivos e engajados.

Quando sua gestão dá a devida importância da segurança do trabalho nas empresas você está investindo em qualidade do serviço prestados por cada um que compõe a organização. Prazos serão mais respeitados, o desempenho, bem como a propensão a cumprir metas, aumentará e o cliente final ficará extremamente satisfeito.

No final, você nem sentirá no bolso

De início, investir em segurança do trabalho pode sim impactar nas finanças do seu negócio, principalmente se você tiver deixado de lado essas ações por muito tempo. Entretanto, quando você foca em trabalhos preventivos para evitar acidentes e doenças ocupacionais, sua empresa acaba gerando menos custos com materiais, afastamentos ou até mesmo ações judiciais. Um ambiente seguro e com equipamentos de proteção essenciais inibe os riscos e mantém a atenção dos funcionários no cumprimento das normas.

importância da segurança do trabalho nas empresas

Todo o custo inicial retornará com o aumento do rendimento e de resultados positivos de seus funcionários. Mas é importante também transformar a mentalidade dos gestores do seu negócio, fazendo-os compreender a importância da segurança do trabalho nas empresas e seus impactos no crescimento e cumprimento de metas.

Leia também: Como montar um projeto de medicina preventiva

Esperamos ter lhe ajudado a entender um pouco mais sobre a importância da segurança do trabalho nas empresas. Se você estiver disposto a investir nesse segmento, conte com a TeleWorld. Nós temos tecnologias atualizadas com soluções para o seu negócio. Fale conosco!  

 

Como adequar empresas de segurança do trabalho e medicina preventiva ao eSocial

Sabemos que a administração de uma empresa exige atenção especial principalmente quando se diz respeito a obrigações e cumprimento de leis trabalhistas. A atenção deve ser redobrada quando o assunto é sobre segurança do trabalho, medicina preventiva e como adequar a empresa ao eSocial.

Atualmente, é fundamental que os empregadores se atualizem sobre as normas do e-Social e segurança do trabalho. A utilização desse sistema, criado em 2014 pelo Decreto nº 8.373, exige preparo e atenção das empresas, tendo em vista que agora a checagem dos dados pelos órgãos fiscalizadores ficará mais fácil. Assim, cadastrar corretamente as informações é fundamental para atender à legislação.

Para ajudar as empresas de segurança do trabalho e medicina preventiva a se adequarem ao eSocial, preparamos este texto explicando como funciona e quais são as normais que os empregadores precisam estar atentos. Continue a leitura e saiba como adequar a sua empresa:

Primeiro, você sabe o que é o eSocial?

O eSocial, ou Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, foi criado com a finalidade de unificar a prestação das informações referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas dos empregados, além de padronizar a transmissão, validação, armazenamento e distribuição desses dados.

Dessa forma, o encaminhamento das informações para os órgãos federais fica mais simples e menos burocrático. Após o envio pela empresa, todos os dados ficam registrados em um cadastro único, de caráter nacional. Assim, esse sistema estimula uma gestão mais efetiva da empresa, trazendo uma nova realidade em relação aos registros e publicações dos dados dos empregados.

Informações a serem transmitidas via eSocial referentes à área de Saúde e Segurança do Trabalho

A padronização das declarações que resultará da implementação do eSocial proporcionará a todos uma considerável melhoria no uso das informações referentes à área de segurança do trabalho e medicina preventiva.

Nesse sentido, são muitas as questões especificamente relacionadas à segurança do trabalho e medicina preventiva que deverão ser observadas pelo empregador durante a prestação de informações por meio do eSocial.

Dentre os arquivos a serem preenchidos no momento de transmissão da declaração, os que dizem respeito à segurança do trabalho e medicina preventiva são os listados a seguir, em sequência:

  • Informações do Empregador (S-1000) – neste arquivo deverão aparecer, entre muitas outras, as informações sobre GILRAT (Grau de Incidência de Incapacidade Laborativa decorrente de Riscos Ambientais do Trabalho) e sobre FAP (Fator Acidentário de Prevenção).

  • Admissão de Trabalhador (S-2200) – via este arquivo o empregador deverá transmitir as informações contidas no ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) admissional.

  • Comunicação de Acidente de Trabalho / CAT (S-2210) – o empregador deverá utilizar esta pasta para noticiar quaisquer eventos referentes a acidentes de trabalho, detalhando, inclusive, aspectos como o agente causador do acidente (ou a situação geradora do acidente) e a natureza da lesão.

  • Monitoramento da Saúde do Trabalhador (S-2220) – neste arquivo deverão ir as informações contidas nos Atestados de Saúde Ocupacional: Periódico; de Retorno ao trabalho; de Mudança de função; e, por fim, de Monitorização pontual.

  • Afastamento Temporário (S-2230) – nesta pasta deverá o empregador registrar os afastamentos que ocorrerem na empresa, contendo diversos dados do empregado e do motivo do afastamento, bem como a duração do afastamento temporário.

  • Condições Ambientais do Trabalho – Fatores de Risco (S-2240) – é o evento utilizado para registrar as condições de trabalho de cada colaborador, informando qual o ambiente que ele labora durante qual período, quais os riscos presentes no ambiente, quais as atividades desempenhadas, se há a utilização de EPI, dentre outras informações. Esses dados abastecerão o esocial com a informação necessária para emitir o PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário)

  • Insalubridade, Periculosidade e Aposentadoria especial (S-2241) – leiaute que será utilizado para informar via esocial todas as instâncias em que são pagos os adicionais de insalubridade ou periculosidade, bem como se há aposentadoria especial em cada caso. Como a informação é toda unificada, isso permitirá a verificação imediata do pagamento da alíquota RAT (Risco Ambiental do Trabalho).

  • Desligamento (S-2299) – arquivo que conterá o registro de desligamento do funcionário do quadro da empresa e no qual estará incluído o Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) Demissional

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

 

Quais serão os reflexos da implantação do eSocial na segurança do trabalho e na medicina preventiva?

Embora a adequação das empresas ao eSocial exija, ao menos inicialmente, um esforço considerável de comunicação entre todos os setores da companhia, é bastante evidente que a implementação do programa trará, a médio e longo prazo, ganhos significativos tanto aos empregadores quanto aos empregados.

As facilidades decorrentes do uso do eSocial para o exercício do cuidado extremo e da observação constante da manutenção das condições necessárias de segurança do trabalho e medicina preventiva do trabalhador, resultarão em uma relação ainda mais franca e honesta entre patrões e empregados. O eSocial permite que se ateste, de maneira clara, o cumprimento de direitos e deveres de empregadores e empregados.

Como será feita a fiscalização do eSocial?

Neste caso, o controle passa a ser praticamente automático. Inclusive, caso a empresa tente enviar informações inconsistentes, o sistema do eSocial simplesmente rejeita o envio. É impossível também efetuar a admissão de um colaborador sem que tenha sido feito o exame admissional, por exemplo.

Por isso fique atento: o programa do governo vai gerar multas pesadas para quem não gerar as informações de forma correta. E, se as informações estiverem desassociadas, também serão geradas multas.

Leia também: Inovação no RH? Não se confunda, comece por aqui

Concluindo

Com vimos, quem não se adequar às novas regras será penalizado com multas que podem ultrapassar R$ 180 mil. Além disso, o descumprimento das normas de segurança e saúde do trabalho também podem trazer problemas na esfera trabalhista em ações judiciais movidas pelos empregados.

Por isso, é fundamental se adequar às novas regras do eSocial e segurança do trabalho, garantindo a integridade física, a saúde do trabalhador e o cumprimento da legislação. Assim, além de promover o bem-estar dos empregados, a empresa não correrá o risco de ser penalizada e sofrer prejuízos com as multas.

Se você gostou do nosso artigo, não esqueça de compartilhar com seus amigos em suas redes sociais. Até a próxima.

O que é Indústria 2027 e como isso afeta a sua empresa

A evolução tecnológica caminha a passos largos e vem transformando, além da indústria, a vida de cada um de nós. Isto é a indústria 2027: a miscigenação de inovações em vários setores, que abre portas para possibilidades que antes seriam impossíveis até de imaginar. Nos próximos 10 anos, tudo será impactado. Do agronegócio à indústria da moda, das universidades ao mercado de trabalho. Absolutamente tudo.

 

Em fatos, a Indústria 2027 é um estudo de projeções realizado para sabermos o que acontecerá no ambiente industrial nos próximos 10 anos. Estes levantamentos foram realizados pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), e muitos temas foram avaliados.

 

O trabalho levou 14 meses para ser concluído e identificou os impactos de tecnologias disruptivas no horizonte de cinco e dez anos. Além disso, avaliou a capacidade do sistema empresarial brasileiro de enfrentar riscos e aproveitar oportunidades dessas inovações, e de prover insumos para o planejamento estratégico das empresas.

 

Hoje, vamos mostrar quais são as projeções e avanços tecnológicos que farão parte do nosso dia a dia nos próximos anos, segundo o Projeto Indústria 2027. Será que estamos preparados para tantas mudanças?

Inovações disruptivas

O que quer dizer disruptivo? Bem, o conceito diz respeito a interceder de maneira brusca, ou seja, são novidades que modificam algum processo de forma bastante significativa, e que passam a fazer parte de uma sociedade.

 

O Projeto Indústria 2027 foi baseado nas mudanças que a indústria brasileira precisa realizar para que as inovações disruptivas possam colaborar na competitividade das instituições e tornar o país uma peça importante no mercado global.

 

Um fato é que as inovações estão presentes em nosso cotidiano, e a sociedade absorve todas as vantagens oferecidas por elas, buscando produtos que estejam aliados às descobertas e inovações tecnológicas.

 

Como falamos anteriormente, o Projeto Indústria 2027 analisou oito fundamentos de inovações disruptivas que trarão mudanças drásticas nos processos produtivos de 10 setores produtivos da economia nos próximos anos. Saiba quais são eles e como o seu negócio será impactado:

 

1 – IoT – A Internet das Coisas

Conhecida no Brasil como Internet das Coisas, a sigla IoT vem do inglês Internet of Things, e tem por objetivo integrar à internet qualquer tipo de equipamento ou objetos.

A IoT viabiliza um contexto em que, por meio de sensores, é possível que máquinas e objetos se conectem e troquem informações entre si. Bons exemplos disso são as luminárias públicas equipadas com sensores que controlam a luminosidade de acordo com o tráfego de pessoas e veículos, permitindo uma iluminação mais econômica e eficiente.

 

Dentro do contexto industrial, a Internet das Coisas proporciona a integração da cadeia produtiva desde os fornecedores, passando pelo processo de produção até o cliente final, em verticais como cidades inteligentes, saúde, agronegócio, manufatura e transporte.

 

Leia também: Como a saúde interfere na produtividade nas empresas

 

2- Produção inteligente

Imagine a quantidade de processos existentes na produção de uma fábrica e o número de pessoas envolvidas neste trabalho. Imaginou? Na Produção Inteligente e Conectada, o controle da produção na indústria passa a ser feito virtualmente.

 

Assim, as fábricas digitais assumem o lugar das fábricas físicas, em uma mudança na estrutura da produção industrial. Isso é possível por meio de sistemas e equipamentos interconectados.

 

A ideia de linhas de produção sem a presença humana foi um assunto muito importante tratado no Projeto Indústria 2027. Somente uma tecnologia que associe inteligência com conectividade permitirá que indústrias produzam exatamente as quantidades necessárias, com grau de flexibilidade e customização dos produtos segundo o desejo do consumidor final.

3- TICs: Computação em nuvem, Big Data e Inteligência Artificial

A sigla TIC significa Tecnologia da Informação e Comunicação, e abrange todos os termos e serviços técnicos usados para tratar os dados de informação, como:

 

Armazenar dados em nuvem: acessar informações e dados a partir de servidores que não estejam nas dependências físicas da empresa.

 

Big data: análise e interpretação de grandes volumes de dados de forma totalmente automatizada.

 

Inteligência artificial: tecnologia similar a inteligência humana que interage com as pessoas, auxiliando na resolução de problemas e desejos. O carro autônomo é um excelente exemplo de inteligência artificial e uma grande aposta dentro da Indústria 2027.

 

Este tipo de carro usa algoritmos de visão por computador baseados em redes neurais artificiais e, quando está em movimento, é capaz de identificar em tempo real o que está à sua frente e, assim, o veículo toma a decisão de como agir de forma autônoma.

 

Leia também: Indústria 4.0 em Gestão de Saúde: como essa revolução pode ajudar a sua empresa     

 

4- Tecnologias de Rede

Usadas para o transporte de informações, as tecnologias de redes de comunicação possibilitam que os benefícios oferecidos pelas outras tecnologias digitais sejam aprimorados. Com as tecnologias de redes é possível, por exemplo, comandar fábricas por transmissão sem fio, acompanhar remotamente o funcionamento de veículos e de eletrodomésticos, além de rastrear alimentos. Atualmente a integração e interoperabilidade de padrões é um grande desafio a ser vencido.

 

5- Biotecnologia e Bioprocessos

A união da ciência, especificamente a biotecnologia com a engenharia, permite que sejam produzidos em ambientes industriais e agrícolas, equipamentos e tecnologia que concedem o desenvolvimento de produtos envolvendo as transformações biológicas em grande escala.

 

A área trabalha com a vida microbiológica de animais e vegetais e atende as áreas farmacêuticas, médicas, de cosméticos, agro-alimentar, química e de meio ambiente entre outras.

 

Através da biotecnologia, é possível obter produtos e processos como, por exemplo, novas vacinas, novos medicamentos e terapias, plantas com maior resistência a pragas e a estresses climáticos, além de testes diagnósticos mais precisos e menos invasivos.

6- Nanotecnologia

Diversos produtos usados no dia a dia têm sido aprimorados graças à Nanotecnologia, e por isso este é um pilar muito importante para a Indústria 2027.

 

A nanotecnologia, é o desenvolvimento de soluções em escala nanométrica, ou seja, invisíveis a olho nu e que atuam como agentes de limpeza, bactericida e bacteriostático, que aplicados nos produtos do cotidiano, transferem a eles características que não possuíam.

 

7- Materiais Avançados

Os materiais avançados são elaborados a partir de pesquisas laboratoriais, ou que são modificados e possuem particularidades especiais. De um modo geral, os materiais avançados permitem a melhoria de produtos ou mesmo o desenvolvimento de produtos inovadores nas mais diversas áreas.

 

8- Armazenamento de Energia

Tecnologias para a captação e armazenamento de energia são assuntos essenciais para a competitividade no mercado global. As fontes renováveis de energia e os avanços no desenvolvimento de baterias melhores tem contribuição significativa em basicamente todas as tecnologias habilitadoras disponíveis no mercado.

 

E você, está preparado?

 

A indústria nacional precisa identificar todos os desafios que trazem benefícios significativos para o mercado global. E, mais do que isso, se adequar e buscar tecnologias práticas de sucesso para se posicionar definitivamente no mercado internacional.

 

E você, está preparado para tantas mudanças? Acompanhe o nosso blog e fique atento aos nossos artigos, estamos sempre com novidades. E não esqueça de compartilhar o nosso conteúdo com os seus amigos, nas redes sociais. Até mais!

Indústria 4.0 em Gestão de Saúde: como essa revolução pode ajudar a sua empresa

Atualmente não temos o hábito de pensar nas dificuldades que os empresários e funcionários dos séculos passados passaram para que chegássemos até aqui. Mas, e sobre o futuro? Já parou para pensar? E a indústria 4.0, você sabe o que é? A indústria 4.0, ou manufatura avançada, é nada mais nada menos que a 4ª revolução industrial. Na 1ª, 2ª e 3ª revolução tivemos avanços tecnológicos que mudaram o rumo das indústrias e empresas, e agora estamos passando pelo mesmo processo na gestão de saúde, só que em épocas totalmente distintas.

Para entender essa nova indústria, recapitulamos um pouco da história das revoluções e gestão de saúde:

As revoluções industriais

Em meados de 1820 aconteceu a 1ª revolução industrial, que trouxe a tecnologia das máquinas à vapor. Em 1900 a indústria automobilística inovou ao montar a primeira linha de montagem industrial, para o aumento da produtividade nas fábricas e em 1970 o trabalho que antes era realizado por humanos, começou a ser realizado por computadores e máquinas programadas.

Gestão de saúde nas indústrias passadas

A maioria das revoluções industriais até 1970 não obtiveram enfoque na saúde e no bem estar dos funcionários das fábricas. Pelo contrário, desde 1820 quando as máquinas à vapor foram inseridas visando a produtividade das fábricas na 1ª revolução industrial, crianças, homens e mulheres trabalhavam jornadas de 16h sem folgas e muitas das vezes sem salário. Então, os trabalhadores implantaram sindicatos para combater a exploração e as más condições de trabalho. A segurança do trabalho não era imaginada na época, muito menos o desemprego súbito que novas tecnologias trariam. No dia 27 de julho de 1972, foi implantada a portaria ministerial nº 3.237/72, que visa a obrigatoriedade dos serviços especializados em segurança, higiene e medicina do trabalho nas empresas.

Veja também: As principais normas e regras de segurança do trabalho         

Como funciona a indústria 4.0


O primeiro projeto de indústria 4.0 foi apresentado em 2012 em uma feira de tecnologia em Hannover, Alemanha. O projeto teve apoio do governo e diversas universidades, e propunha uma mudança radical no modelo da indústria atual.

Dentre estas mudanças, encontramos a proposta de implantação do controle remoto da produção e de tecnologias inteligentes capazes de comparar informações e gerar bancos de dados internos e externos. Essa tecnologia seria capaz de mudar a estratégia de funcionamento ou gerar diversas alternativas a partir de dados. Basta um gerente e um smartphone para tomar as decisões e ter o controle remoto total da empresa.
A seguir, temos como exemplo uma fábrica de molho de tomate:

Quando o sistema recebe a informação externa de que a safra de tomates deste semestre está baixa, ele automaticamente compreende que naquele período de tempo a matéria prima vai ser escassa e mais cara. No mesmo período ele recebe a informação interna de que a fábrica passará por uma reforma nas máquinas, então, o sistema calcula que o melhor período para essa reforma seria na época da safra baixa e também sugere o aumento da produção no período atual em que a safra está boa.

Hospitais e clínicas também adotaram a indústria 4.0. Lá os exames são efetuados em modo automatizado, o que evita a troca de informações, e não necessita amostras tão grandes de sangue. Evita também a contaminação, impedindo erros nos exames e diminui o risco de quem lida com estas amostras.


Os contras da indústria 4.0


A indústria 4.0 gera desemprego? Assim como na 3ª revolução industrial, as máquinas implantadas nas fábricas produziam mais e mais rápido do que qualquer funcionário e, consequentemente, houve demissão em massa da maioria destes funcionários. Mas assim como o desemprego estrutural desta categoria, surgiram novas vagas de emprego relacionadas às próprias máquinas. O implante total da indústria 4.0 será lento e gradual, e até lá o mercado já terá se adaptado às novas tecnologias. Vivemos em um meio onde a tecnologia é nossa aliada, por mais que estes sistemas sejam programados com algoritmos e inteligência artificial capazes de tomar decisões e guardar informações, estamos adaptados a viver lado a lado destas tecnologias no nosso dia-a-dia e levá-las para dentro das fábricas e empresas pode auxiliar tanto as próprias empresas quanto os colaboradores.


Gestão de saúde na nova indústria

Adotar a indústria 4.0 na sua empresa pode ser interessante quando a gestão de saúde automatizada gera eficiência e precisão.

Por exemplo: O dono de uma construtora optou por adotar um sistema que acompanha seus colaboradores. Antes da jornada de trabalho o sistema realiza exames no colaborador, e se ele não estiver apto ao trabalho, pode ser dispensado para consulta médica evitando problemas maiores como desmaio durante o trabalho. Nesta consulta pode ser diagnosticada alguma doença em estágio inicial que poderá ser tratada sem maiores problemas.

Neste caso o colaborador volta à empresa quando seu estado de saúde estiver apropriado e também a instituição evita maiores problemas relacionados à acidentes no trabalho e saúde do colaborador.

 

Veja também: As tendências para medicina preventiva e segurança do trabalho

A saúde dos colaboradores é um fator fundamental na sua empresa, isso gera produtividade e também bons resultados, então, esta tecnologia além de prevenir erros e aumentar a produção também pode auxiliar na gestão de saúde e segurança do trabalho da organização.

 

Atualmente, existem disponíveis no mercado  dispositivos que auxiliam nos departamentos de segurança do trabalho e medicina preventiva, realizando testes de saúde em colaboradores na pré e pós jornada de trabalho, monitorando-os para caso de acidentes, alterando funcionamentos internos de acordo com a necessidade dos colaboradores de forma ágil, reunindo e avaliando informações que auxiliam em uma boa gestão de saúde da empresa.

E você, agora que está por dentro da nova indústria 4.0 e entendeu como ela influencia e auxilia na gestão de saúde, pensou em adotar novas tecnologias? Conta para a gente! Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais. Até breve!

As tendências para medicina preventiva e segurança do trabalho

Atualmente o número de trabalhadores que exerce atividades no mercado com carteira assinada e que são submetidos a exames e avaliações da medicina preventiva ocupacional chega a 50 milhões de pessoas. Os métodos para aplicação desses exames sofrem constante aperfeiçoamento, já que de tempo em tempo novas necessidades surgem e os investimentos para a prevenção de doenças ocupacionais são cada vez maiores, resultando em novas tendências para medicina preventiva e para segurança do trabalho.

 

Falando ainda sobre o aperfeiçoamento dos métodos para atender aos trabalhadores de diversos setores, podemos considerar também que as empresas, cada vez mais, buscarão os benefícios da medicina preventiva ocupacional e segurança do trabalho, com o objetivo de evitar a baixa de produtividade, muitas vezes, ocasionada por doenças e acidentes. Os exames clínicos e complementares são fundamentais para uma avaliação criteriosa da saúde dos trabalhadores e, também, auxiliam na identificação de possíveis doenças ocupacionais.

 

A medicina preventiva e segurança do trabalho, quando realizada por profissionais especializados e capacitados, torna-se um mecanismo que contribui para uma melhor qualidade de vida e o bem-estar dos trabalhadores, beneficiando também a produtividade da mão de obra nas empresas.

 

Conheça abaixo as principais tendências para medicina preventiva e tendências para a segurança do trabalho em 2019:

 

Sistema de Gestão

Este sistema tem por objetivo atender as exigências da legislação e implantar uma política de gestão de riscos para controlar os possíveis problemas relacionados à atividade laboral, e é uma grande tendência para medicina preventiva e tendência para segurança do trabalho.

 

Uma das ferramentas que devem ser implantadas para promover o controle das operações é a padronização dos procedimentos administrativos relativos a saúde ocupacional. Esses documentos garantem uniformidade das atividades e refletem o nível adequado de organização de uma instituição.

 

O Safety Gestão de Saúde, por exemplo, é uma ferramenta facilitadora para o dia a dia de gestores que precisam ter informações da saúde dos seus colaboradores e terceiros, para a execução de tarefas com riscos. E também para que deseja realizar ações de medicina preventiva corporativa.

 

É um sistema de gestão poderoso, que garante às autoridades trabalhistas o cumprimento das Normas Regulamentadoras, além de ser uma ferramenta de controle e gestão. Através da interface amigável e intuitiva do sistema Safety, o profissional de segurança do trabalho ou medicina preventiva, pode saber o estado de saúde de um colaborador em tempo real, e receber estas informações por notificações via e-mail, SMS ou diretamente no aplicativo do celular. Assim, a tomada de decisões pode ser mais rápida e assertiva.

 

Uma empresa que se preocupa com a saúde de seus trabalhadores e atenta a legislação trabalhista tem a sua reputação idônea reconhecida. Portanto, uma gestão ocupacional eficiente na medicina do trabalho reflete maior cuidado com os trabalhadores.

Prontuário Online

Neste caso, os dados são armazenados virtualmente e protegidos por sistemas especializados com alto teor de segurança. Os prontuários online dos colaboradores são uma das grandes tendências para medicina preventiva na área da saúde e para os profissionais que atuam na área de medicina ocupacional. Além de manter todos os dados, laudos, diagnósticos e consultas realizadas do paciente, este tipo de sistema permite que as informações sejam acessadas de maneira remota. Além de ser uma tendência para medicina preventiva, é uma grande otimização de tempo e espaço.

 

A diferença é que os softwares mais modernos devem aumentar a capacidade de captação dos dados, incluindo também informações de produtividade, agenda, custo e outros tipos de procedimentos. O Safety, por exemplo, reúne grande parte das informações relacionados a Saúde e Segurança do Trabalho exigidas pelo eSocial. Além de armazenar informações sobre os funcionários, o Safety também comunica acidentes de trabalho e diversas informações sobre o colaborar em tempo real e de maneira remota.

 

Unidades Móveis

O atendimento nas empresas pode ser facilmente ampliado com unidades móveis de saúde, que são clínicas completas sob rodas. Estas unidades se deslocam até o local de atendimento, com médicos e profissionais necessários para o atendimento.

 

As clínicas de medicina ocupacional são adaptadas em veículos de médio e grande porte, que podem oferecer todas as modalidades de exames necessárias às instituições que contratam o serviço, como exames admissionais, demissionais, complementares e periódicos. Além de ampliar o atendimento para os profissionais, a utilização de automóveis promove o acesso linear dos trabalhadores aos serviços oferecidos pela empresa.

Levantamento de indicadores de produtividade

Parece uma atividade simples, mas muitas empresas ainda não estão atentas a esta tendência para segurança do trabalho. Conhecer os principais indicadores da empresa é importante para estabelecer metas em médio e longo prazo. Principais causas de afastamento, percentual e tipo de acidentes de trabalho, treinamento sobre riscos ambientais, análise de pureza da água, nível de satisfação com o ambiente de trabalho são exemplos de indicadores que devem ser analisados periodicamente.

 

Estes indicadores devem ser agrupados de acordo com os setores envolvidos e a necessidade de implantação. Assim, fica mais fácil de saber que o aumento de casos de doenças respiratórias em ambiente de pouca circulação deve ser tratado mais urgentemente do que a insatisfação com a comida servida no restaurante, por exemplo. A partir dessas informações é possível estipular metas gerenciais e operacionais para sanar as principais não conformidades e garantir a produtividade dos setores.

Cipa Online

Nós sabemos que a CIPA, que é regulamentada pela Norma Reguladora nº 5, não é uma tendência, mas sim uma obrigação de todas as empresas regidas pela Consolidação das Leis de Trabalho, a CLT. Ela é formada por representantes do empregador e dos empregados e, por isso, é possível discutir e propor melhorias para a segurança do trabalho. O modelo de votação online através de softwares, dá mais credibilidade para a escolha desses representantes, agiliza os processos e faz com que a divulgação dos resultados seja democrática.

 

Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe-o em suas redes sociais para que mais pessoas também aprendam sobre as tendências para medicina preventiva e tendências para segurança do trabalho. Até a próxima!

 

Fontes:

Fórum de Saúde Digital

Healthcare

DDS segurança do trabalho: o que é e os melhores temas

Se você quer saber o que é DDS segurança do trabalho, os benefícios e como realizar, você está no lugar certo. Bem, Diálogo Diário de Segurança, é destinado a gerar no colaborador a conscientização de acordo com as suas atividades diárias, e engloba assuntos como segurança, meio ambiente, saúde e qualidade de vida. Ela é aplicada normalmente em um tempo de 5 a 15 minutos, sempre antes do início da jornada de trabalho de cada colaborador. Este tempo é reservado para discussões e instruções básicas de assuntos relacionados a prevenção de acidentes e segurança.

 

A ferramenta de DDS segurança do trabalho começou na década de 90, e teve sua ampliação para muitas outras ferramentas, como o DDHSMA (Diálogo Diário de Higiene Segurança e Meio Ambiente), DDHS (Diálogo Diário de Higiene e Segurança), DHSMQ  (Diálogo Diário de Higiene, Segurança, Meio Ambiente e Qualidade), entre vários outros.

 

Como sua própria definição diz, o DDS segurança do trabalho é uma ferramenta muito eficaz quando se trata de prevenção de acidentes de trabalho. É uma medida fundamental e vem ganhando muito espaço, inclusive entre os próprios técnicos de segurança de trabalho, justamente por proporcionar aos trabalhadores a conscientização da importância em ter a segurança aplicada em sua jornada de trabalho.

Leia também As principais normas e regras de segurança do trabalho.

 

Os benefícios do DDS segurança do trabalho

Abaixo, falaremos sobre os principais benefícios que o DDS traz para a instituição que implementa o método, conheça:

  • Redução de custo com assistência médica.
  • Redução considerável de acidentes de trabalho.
  • Melhoria na produção e ambiente de trabalho.
  • Aumento de comprometimento dos colaboradores.
  • Aumento do nível de satisfação e segurança dos funcionários.


Como realizar o DDS

O DDS pode ser ministrado pelo empregador, membros da SESMT e da CIPA, supervisor, técnico de segurança ou funcionário que foi destinado a realizar o procedimento. A primeira medida antes de realizar o DDS é informar aos funcionários o que é esta ferramenta e o porque está sendo inserida no horário de trabalho, é importante ressaltar que pode ser um procedimento simples e rápido mas que traz grande eficiência em relação a prevenção de acidentes.

Fique atento às dicas de ministração do DDS segurança do trabalho:

  • A conversa deve ser ágil, como falamos acima, no máximo 15 minutos.
  • O conteúdo, deve ser objetivo e pontual, além de trazer temas interessantes para atrair a atenção dos colaboradores.
  • Lembre-se de falar a língua do funcionário, sempre.
  • Deixe disponível para todos um calendário com todos os encontros da DDS agendados, juntamente com os temas abordados.
  • Traga pessoas especializadas na área para falar sobre os assuntos tratados, isso passará credibilidade e maior responsabilidade aos colaboradores.
  • Deixe sempre espaço para dúvidas ou sugestões no final de cada DDS.
  • Documente tudo que for tratado no DDS. Pergunte sobre sugestões ou novos tópicos a serem discutidos nas próximas reuniões.4

 

O que não deve acontecer em uma DDS segurança do trabalho:

  • Tema não relacionado com as atividades do dia a dia dos colaboradores.
  • Despreparo e falta de segurança na hora das ministrações.
  • Temas pouco objetivos com baixo índice de compreensão.
  • Não documentar os temas e nem registrar assinaturas dos funcionários.
  • Não elaborar a criação de um calendário de encontros e não divulgar os assuntos para que todos da empresa fiquem bem informados.

 

Preserve o Diálogo

Lembre-se que o DDS trata-se de um diálogo. Então, deixar um tempo maior para debates e colocações do colaboradores é muito importante. Caso se depare com timidez e silêncio por parte dos funcionários, faça perguntas e estimule a interação.  Se participarem, certamente estarão mais dispostos a colaborar. Isso pode levar o departamento de segurança a diagnosticar riscos nos quais não havia pensado. E esse debate, de tão rico, pode até mesmo gerar novos temas para outros DDS no futuro e, vindo da parte mais importante da empresa: sua audiência.

Temas para DDS Segurança do Trabalho

Existem vários temas que podem ser abordados pelo Diálogo Diário de Segurança. Confira abaixo alguns exemplos:

– Primeiros socorros;

– Atos inseguros e segurança no trabalho;

– Educação no trânsito

– Efeitos do ruído no sistema auditivo;

– Controle de Qualidade Total – CQT;

– A iluminação no ambiente de trabalho;

– Legislação ambiental;

– Importância das atividades físicas;

– Reciclagem de resíduos;

– Produtos e clientes;

– Produtividade e sobrevivência;

– Proteção dos pulmões;

– Preparação de áreas seguras;

– Acidentes podem acontecer em qualquer lugar;

– Como prevenir incêndios;

– Oficina limpa é oficina segura;

– Primeiros socorros para os olhos;

– Exposição a substâncias potencialmente prejudiciais à saúde;

– Dicas de segurança;

– Por que as pessoas não usam cinto de segurança?;

– Consciência de segurança;

– A influência do calor no trabalho;

– A responsabilidade de cada um na prevenção de acidentes;

– Dicas de segurança para dirigir em dias chuvosos;

– Postura corporal;

– Maneira certa de trabalhar sentado;

– Legislação Trabalhista Brasileira.


Veja mais sugestões de temas aqui.

 

Essas são apenas algumas atitudes que você pode fazer para evitar que aconteçam acidentes. Esperamos que essas dicas ajudem você a se prevenir e a reduzir o número de acidentes de trabalho na sua empresa de maneira significativa. Gostou das nossas dicas e temas para DDS segurança do trabalho? Então, compartilhe com os seus amigos e os ajude a manter o ambiente laboral mais seguro. Até a próxima.