bem-sucedido

Três passos para conseguir ser bem-sucedido

Todo mundo ao escolher uma profissão ou um ramo de atuação sonha em ser bem-sucedido. Ter o reconhecimento profissional e ganhar destaque por algo que você fez ou faz é uma recompensa por todo o esforço empregado desde o início da carreira. Mas afinal, como atingir o sucesso tendo um retorno financeiro e satisfação pessoal? 

O primeiro ponto que você precisa deixar de acreditar é que as coisas caem do céu. Não, nada acontece de uma hora para outra. Claro que algumas pessoas possuem privilégios que a tornam mais suscetíveis para alcançar o reconhecimento profissional, mas, de maneira geral, todos precisam percorrer uma jornada longa e de muito esforço para conseguir ser bem-sucedido. Existem diferentes caminhos e fórmulas para se conquistar o que deseja. Para ser bem-sucedido, você precisa ter claro onde quer chegar e analisar as diferentes possibilidades para conseguir percorrer essa estrada rumo ao sucesso. 

Leia também: 4 maneiras de crescer na carreira sem se tornar um gerente

Se você entrou nessa matéria, provavelmente ou está a caminho ou não sabe o que fazer para conseguir ser bem-sucedido. Então continue lendo e confira três passos que você deve pôr em prática para conquistar o reconhecimento profissional!

1 – Tenha foco no seu objetivo e não desvie em rotas alternativas

Quem nunca já se viu criando planos B, C, D para fugir do plano A? Ter alternativas pode ser muito bom para nos manter mais tranquilos, porém elas podem ser uma grande armadilha para nos tirar o foco do que realmente desejamos. Quando você não tem outra escolha, você se obrigar a correr atrás e fazer de tudo para tornar real seu objetivo. 

bem-sucedido

Mantenha a confiança de que você irá conseguir, apesar do que possa ocorrer, você terá capacidade e arrumará alguma maneira de se recuperar e continuar percorrendo a rota certa para conquistar o seu objetivo. Pode demorar, podem haver erros, mas isso tudo serve para você conseguir crescer e amadurecer ainda mais seu foco. Aprenda com suas fraquezas e não desista. Ser bem-sucedido é consequência de esforço e determinação

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

2 – Positividade e bom hábitos

A maior parte das pessoas bem-sucedidas é entusiasmada, confiante, feliz e, principalmente, otimista. Você já deve ter percebido que quando carrega certos momentos da sua vida com boas energias, tudo torna-se mais fácil. Então, que tal sempre que algo parecer difícil, pensar “vai dar certo”, “eu vou conseguir”; “vai ser divertido”. Tire da sua mente a pergunta “por quê” e substitua por “para que – “Para que estou passando por isso? ”; “O que preciso aprender com esse novo desafio? ”. Viu? Fica mais fácil conseguir respostas otimistas e seguir em frente acreditando que existe um bom motivo para que você esteja passando por alguma dificuldade. Ah, tire também essa palavra da mente. Não existem dificuldades, mas sim desafios.

bem-sucedido

Tudo isso deve ser empregado não apenas quando você estiver trabalhando, mas sim nos seus hábitos diários. Aqueles com maior propensão para o sucesso tendem a ter hábitos diários mais saudáveis e equilibrados. Se você está chegando em casa e mantendo sua mente no trabalho, é o momento de repensar qual caminho você está seguindo. É preciso separar a hora de focar no trabalho e a hora que vamos ter distrações quotidianas, seja vendo um filme, conversando com os familiares, indo a um parque. Conseguimos ter um melhor desempenho nos nossos objetivos profissionais quando mantemos nosso corpo descansado e em equilíbrio emocional. Tenha uma alimentação saudável, faça exercícios regularmente, mantenha uma rotina bem estabelecida e a ponha em prática. Mas atenção, não veja tudo isso como uma obrigação. Tudo que é obrigado se torna chato. Busque sempre ter prazer nas suas rotinas, fazendo o que gosta e descobrindo a cada dia algo novo que lhe faz ainda mais feliz. 

Leia também: Inovação no RH? Não se confunda, comece por aqui

3 – Nunca deixe de sonhar e aprender

Muitas pessoas se acomodam quando alcançam algum objetivo – seja ele pequeno ou não. Os profissionais bem-sucedidos sempre estão buscando novos sonhos e focos para se manterem ativos e com desafios ainda mais produtivos. Cada vez mais o mundo está dinâmico e exigindo profissionais qualificados. É muito comum vermos funcionários que durante anos trabalharam numa mesma empresa e ao se verem no mercado de trabalho, enfrentam uma concorrência muito mais capacitada, por terem mantido uma educação continuada. 

bem-sucedido

Atualmente existem diversos cursos profissionalizantes e de especialização, seja a distância ou presenciais. Muitos até com curta duração, sendo realizados em feriadões ou até mesmo fins de semana. Além disso, algumas empresas possuem planos de incentivo de aprendizado contínuo, com descontos em pós-graduações ou workshops. 

Então, para começar, considere como e de que maneira você quer se desenvolver. Pesquise as possibilidades de cursos que mais despertem sua curiosidade. Veja com o que você trabalha e no que essas oportunidades podem qualifica-lo ainda mais como profissional. Procure participar de grupos em redes sociais ou assistir vídeo-aulas relacionadas ao seu campo de atuação. Hoje em dia diversos profissionais compartilham suas experiências no YouTube ou em grupos no Facebook. Além de ser uma excelente oportunidade de networking, você poderá ver na prática como está o mercado de trabalho na área em que atua. 

Aliás, networking é a palavra-chave para conseguir nutrir um bom futuro na sua carreira. Sabemos como as empresas são voláteis e, mais do que isso, precisamos ser humildes para reconhecer que não sabemos tudo. Na verdade, quando partimos da ideia de que temos muito ainda para aprender, abrimos nossas mentes e encaramos o outro como uma pessoa com grande potencial de contribuir para que consigamos ser bem-sucedidos. Então, mantenha uma rede de contatos diversa e busque fortalecer seus laços com todos os tipos de profissionais, sejam eles em escala hierárquica superior ou inferior à sua. 

Leia também: O que é absenteísmo e 4 maneiras de melhorar os resultados na sua empresa

Gostou? Esperamos ter lhe ajudado a ter mais clareza do que é preciso para ser bem-sucedido e conquistar o reconhecimento profissional. Mantenha-se sempre otimista e lutando pelo o que você deseja. Não desista e nunca deixe que alguém lhe diga que você não é capaz. Acredite nos seus potenciais. Compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude mais pessoas a terem sucesso em suas carreiras.

Até a próxima! 

processos de liderança

Como desenvolver os processos de liderança na empresa

Com um mercado de trabalho cada vez mais plural e diverso, uma empresa que busca integração e reconhecimento necessita ter processos de liderança bem estabelecidos e de excelência. O perfil e preparo dos profissionais que atuam como líderes, bem como a integração deles com os valores da empresa, impacta diretamente no clima organizacional e nos resultados. Mas afinal, como estabelecer bons processos de liderança? 

É comum vermos equipe mobilizadas e que possuem alto índice de produtividade graças a forma de agir de seus líderes. Mas o contrário também ocorre e muitas vezes só é percebido quando está num estágio grave de resultados negativos ou de rompimento entre as relações de trabalho. 

A importância de manter processos de liderança planejados e em constante desenvolvimento ocorre exatamente para evitar crises internas e valorizar a participação de todos os colaboradores na construção de uma organização com uma missão bem estabelecida e compactuada por todos.  Foi-se o tempo que líderes tinham um perfil mais autoritário e distante dos funcionários. Muitos gestores nem se preocupavam com o clima organizacional, com o único objetivo de atingir maior lucro possível para bater as metas e cumprir o resultado esperado naquele período. Hoje percebemos que esse quadro vem sofrendo modificações, e as organizações estão presenciando uma necessidade de estabelecer processos de liderança cada vez mais focados no bem-estar e motivação dos funcionários. Mais do que isso, verifica-se que uma organização só conquista espaço no mundo corporativo com uma participação ativa dos seus funcionários nesse processo de crescimento. 

Leia também: 4 maneiras de crescer na carreira sem se tornar um gerente

Pensando nessas mudanças nos papéis dos gestores, separamos abaixo quatro dicas para desenvolver processos de liderança na sua empresa: 

Trace estratégias e ações contínuas

Para conseguir um desenvolvimento constante e eficaz de processos de liderança é fundamental identificar as demandas presentes dos funcionários, bem como diagnosticar gestões que estão dando certo e as que estão apresentando alguma deficiência. 

processos de liderança

Assumir que sua empresa precisa repensar a estratégia de gestão é o primeiro passo para estar aberto a uma reformulação nos processos de liderança. É preciso ter objetivos claros dos perfis de líderes esperados, estabelecendo uma série de ações contínuas que vão contribuir para a identificação de qualidades esperadas, bem como os critérios para reconhecer possíveis líderes no seu quadro de funcionários. Existem diferentes estilos de liderança e cada área da sua empresa pode ter necessidade de um estilo próprio. Por exemplo, se você trabalha com vendas, possivelmente a área relacionada a captação de clientes precisará de um gestor que motive e promova a empatia, buscando sempre um resultado com conversões positivas. O líder precisa ter habilidade de socialização do grupo, para manter um equilíbrio entre as funções dessa área. 

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

Permita a participação de todos

Toda empresa que pretende ter processos de liderança qualificados e contínuos necessita promover a participação coletiva. Para isso é fundamental ter líderes capazes de reconhecer a opinião de todos, sendo acessíveis, carismáticos, sabendo valorizar as qualidades de cada liderado, reconhecendo, também, que todos possuem dificuldades e nelas podem surgir desafios promissores. 

processos de liderança

Líderes ouvintes e presentes são necessários para se conseguir construir uma relação de confiança e engajamento de cada funcionário com a empresa. É imprescindível manter seus colaboradores sempre motivados, compreendendo as demandas necessárias, buscando sempre promover um ambiente de trabalho agradável, dando e recebendo feedbacks, mantendo um clima de cooperação e confiança. 

Outro ponto positivo de manter processos de liderança que visem a participação coletiva é que você se torna mais propenso a identificar possíveis líderes em potencial. Quanto mais o colaborador se sentir pertencente, engajado e motivado, mais chances de ele querer crescer e alcançar postos maiores. E nada melhor para criar um clima organizacional positivo do que promovendo funcionários. 

Autoconhecimento e autocontrole

Quem nunca viu um líder perdendo totalmente o controle emocional quando algo saiu do esperado? Muitas dessas ações podem acabar acarretando em situações ainda maiores, como de abusos e assédios morais. Trabalhar em equipe é sempre uma surpresa diária e estamos propensos a enfrentar dificuldades e ações que não deram o resultado que esperávamos. Afinal somos humanos, cometemos erros e, muitas vezes, nossos resultados estão sujeitos a aspectos externos e que não dependem apenas de nós. 

processos de liderança

Ao pensar nos processos de liderança do seu negócio priorize capacitar seus gestores visando o autoconhecimento e autocontrole. Eles precisam ter inteligência emocional, reconhecendo sempre suas fraquezas e aprendendo diariamente a lidar com elas. Assumir erros e mostrar para seus funcionários diretos que você também pode cometer equívocos é um ponto positivo para conseguir manter um elo. Não conseguimos agradar a todos e trabalhar com pessoas é ter que, diariamente, lidar com diferentes questões, sejam elas profissionais ou não. Um bom líder precisa trabalhar seus impulsos prejudiciais e demonstrações de descontrole emocional. 

Nenhuma equipe se mantém ativa e confiante quando vê no seu gestor insegurança e pânico em momentos críticos. É preciso pensar antes de agir e tentar transparecer ao máximo que todos os problemas possuem alguma solução, basta correr atrás e manter o equilíbrio. Não esqueça que um líder é um exemplo a ser seguido. Falaremos um pouco mais sobre isso no último tópico abaixo. 

Leia também: Inovação no RH? Não se confunda, comece por aqui

Construa lideranças exemplos

Bons processos de liderança têm como consequência líderes que são exemplos tanto para a empresa, como para os liderados. Um problema muito comum nas equipes é ter gestores que não possuem nenhum conhecimento de todo o processo produtivo da área em que atua. É claro que não precisamos ter um gestor que saiba fazer na prática o que cada um dos seus colaboradores faz. Ser um líder exemplo significa executar todas as suas tarefas com eficiência e qualidade, sabendo apresentar e explicar como ocorre todo o processo de produção da sua equipe. 

processos de liderança

Uma pergunta básica para saber se você está sendo um exemplo para seus funcionários é se questionar se você sabe tudo que eles executam e como funciona o processo de trabalho deles. Outra pergunta que você deve se fazer é se você transparece acreditar na missão e valores da empresa, bem como motivação e felicidade por estar ali. Um gestor que demonstra estar insatisfeito com algo e não faz nada para mudar, possivelmente terá uma equipe insatisfeita e desmotivada. 

Como você percebeu, estabelecer processos de liderança otimizados para a sua empresa envolvem diferentes aspectos. É preciso construir uma cultura de engajamento e reconhecimento de qualidades dos seus colaboradores. Tenha líderes que inspirem e lutem por um clima positivo entre todos. 

Não deixe de compartilhar essa publicação nas suas redes sociais e ajude mais empresas a planejarem seus processos de liderança! 

empreendedorismo sustentável

Como aplicar o empreendedorismo sustentável

A sustentabilidade vem tomando formas cada vez mais concretas com o passar dos anos. O reconhecimento de ações mais conscientes acerca do meio ambiente e do convívio social, traz uma nova demanda para as grandes e pequenas empresas: o empreendedorismo sustentável. Mais do que atitudes voltadas a preservação ambiental, surge nesse novo modelo de negócio uma reflexão sobre as relações de trabalho e a qualidade de vida dos funcionários. 

O consumidor está cada vez mais atento e buscando um consumo mais responsável. Cada vez mais é perceptível um aumento nos debates sobre a responsabilidade individual para evitar a intensificação das mudanças climáticas, bem como a procedência dos produtos que compramos ou consumimos. Isso levou os governos de diferentes países assinarem acordos e protocolos para adotar medidas que possam frear de alguma maneira a ação nociva da humanidade sobre o meio ambiente. 

Leia também: 4 maneiras de crescer na carreira sem se tornar um gerente

Numa rápida busca na Internet vemos diferentes atitudes comerciais para pôr em prática o empreendedorismo sustentável. Uma delas, mais recente, foi a adoção de canudos biodegradáveis por boa parte dos estabelecimentos gastronômicos. Essa necessidade surgiu a partir de uma demanda real de uma boa parte da população que passou a debater o impacto negativo que os canudos de plástico tinham no oceano e na vida marinha. Essa necessidade de comportamentos mais humanitários por parte das empresas é comprovada a partir de uma pesquisa realizada pelo IBGE, em 2018, em que foi constatado que 61% dos entrevistados mudariam seu estilo de vida para beneficiar o meio ambiente. Ainda, 70% afirmaram que aceitariam pagar mais caro por produtos que não causem grandes impactos a natureza. 

Mas afinal quais as características do empreendedorismo sustentável e como colocá-lo em prática? Abaixo respondemos essas e outras questões: 

O que é o empreendedorismo sustentável?

Também chamado por alguns especialistas como “empreendedorismo orientado à sustentabilidade”, o empreendedorismo sustentável tem como características a aplicação de um modelo de negócio em que se busca unir o alcance de resultados através do desenvolvimento de ações de responsabilidade social e ambiental. As empresas que se enquadram nessa modalidade possuem em seu escopo de ações medidas que não prejudicam os ecossistemas, sejam elas diariamente na rotina de trabalho, como também através de grandes projetos socioambientais. 

empreendedorismo sustentável

Empresas que colocam em prática o empreendedorismo sustentável levam em conta todo o curto, médio e longo prazos de suas ações, focando especialmente em atitudes duradouras, pensando no futuro e nas próximas gerações. O empreendedor parte da premissa que sua empresa tem algum impacto no meio ambiente, bem como na sociedade como um todo, pelo simples fato de existir. Com o empreendedorismo sustentável, esse dono do negócio busca aumentar os impactos positivos e diminuir os negativos

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

Mas afinal, como tornar real o empreendedorismo sustentável?

Pequenos atos podem fazer a diferença para se conseguir ter uma empresa mais sustentável e responsável. Veja abaixo alguns exemplos: 

Diminua o consumo da sua empresa

Já parou para pensar em como sua empresa pode contribuir para uma mudança de hábitos de dentro para fora? Pois é. Que tal começar a realizar campanhas internas mostrando como o consumo de energia e água podem ser reduzidos? Mas antes de querer conscientizar seus funcionários, repense também sua estrutura e sua conduta de consumo empresarial. Você quando compra um equipamento, repara se ele possui Selos Procel de Economia de Energia? Sua empresa reutiliza a água da chuva? Você possui lixeiras de reciclagem? Existem copos plásticos nos bebedouros? 

empreendedorismo sustentável

Para aplicar o empreendedorismo sustentável, você precisa, antes de querer que seus funcionários abracem essa ideia, planejar as mudanças necessárias na estrutura física do seu negócio. Equipamentos antigos, por exemplo, além de acabarem levando a prejuízos financeiros, afetam extremamente o meio ambiente. Quando você tiver uma empresa com um posicionamento sustentável, provavelmente a aceitação dos seus funcionários será maior e eles irão compreender a importância dessas atitudes tanto dentro do seu negócio, como fora em suas rotinas. 

Leia também: Desafios de investir na gestão de pessoas: vantagens, obstáculos e resultados

Qualidade de vida dos seus funcionários também é sustentabilidade

Ter uma empresa que cuida do bem-estar dos seus funcionários, buscando mantê-los sempre motivados ou compreender o que não está em conformidade com as suas expectativas, é um dos principais passos para conseguir pôr em prática o empreendedorismo sustentável. Não adianta de nada ter inúmeras práticas em prol do meio ambiente, mas internamente os funcionários não estarem felizes de trabalhar na sua empresa e as relações entre eles estarem conturbadas. 

É preciso desenvolver de maneira contínua o senso de pertencimento do colaborador, abrindo oportunidades para que eles apresentem suas ideias, inovações e sintam segurança para poder crescer e alcançarem seus objetivos dentro da empresa. O ambiente de trabalho precisa ser leve, com uma cultura colaborativa, em que todos sintam que possuem as mesmas chances de crescer ou expressarem suas opiniões e angústias. 

Reveja processos

É de suma importância quando se busca o empreendedorismo sustentável ter em mente que todos os processos da sua empresa precisam estar de acordo com esse novo modelo de negócio. Questione-se. O produto que você vende gera uma necessidade constante de reposição? Você utiliza grande quantidade de compostos químicos e descarta-os de maneira incorreta? Quais impactos que sua empresa trouxe e traz para a localidade onde está instalada? 

empreendedorismo sustentável

Repense como é a produção do seu produto. Essa etapa demanda muitos recursos naturais? Será que é possível reduzir o consumo de energia ou readequar as matérias primas utilizadas? Depois disso, analise também o processo de transporte do seu produto. Como está o gasto com combustível dos seus veículos? Eles estão com as revisões em dia? São transportes econômicos? 

Leia também: O que é Indústria 2027 e como isso afeta a sua empresa

O empreendedorismo sustentável deve ser mais do que uma teoria de negócio e sim uma prática diária e constante, tornando-se parte da missão do negócio. Nenhuma empresa consegue ser reconhecida como sustentável, se não realizar uma readequação completa dos seus hábitos e valores. É preciso acreditar no poder de fazer a diferença e que o empreendedorismo sustentável trará melhores resultados, tanto economicamente, como na produtividade dos funcionários. 

Para começar, que tal espalhar esse conteúdo nas suas redes sociais contando que você vai colocar esse modelo em prática? Assim você consegue impactar mais pessoas nessa causa!

Cinco dicas de como ser mais inclusivo na sua empresa

O discurso de uma empresa inclusiva vem ganhando cada vez mais espaço no mundo corporativo e nos workshops de Gestão de Pessoas. Entretanto, mais do que um discurso, ser inclusivo significa ver na diversidade um ponto positivo para conquistar ainda mais sucesso. É preciso compreender que diferentes perfis de funcionários geram representatividade e compatibilidade com o mundo em que vivemos. Mas afinal, como ser mais inclusivo?

Um dos primeiros passos é vestir a inclusão como algo seu, que vai muito além da empresa. Um bom gestor que preza a pluralidade põe em prática dentro e fora do local em que trabalha. Mais do que defender a causa, é preciso ter ferramentas para conseguir colocá-la em prática. É necessário também acreditar que ser uma empresa inclusiva irá gerar mais valor e destaque perante os concorrentes no mercado.

Leia também: RH: 9 hacks para acelerar contratações em 2019

O problema muitas vezes encontra-se quando o gestor precisa contratar, avaliar ou promover funcionários. É comum e habitual ter perfis padrões que cada gestor classifica como “modelos de sucesso”. A partir daí é preciso se questionar quais são os parâmetros criados para essa classificação e personalização. Perceber se esses modelos não estão favorecendo um determinado grupo em detrimento de outros, mesmo que ambos tenham as mesmas potencialidades de garantir um resultado gratificante.

Um exemplo prático de como isso pode ocorrer é ao nos depararmos com um processo seletivo. O gestor ao preparar uma entrevista acaba tendo em mente já experiências profissionais e educacionais pré-estabelecidas. Como um MBA em Universidades renomadas ou ter ocupado algum cargo numa empresa com reconhecimento internacional. Em sua maioria, essas expectativas são criadas tendo como premissa um padrão que se adeque a sua própria receita de sucesso. Busca-se um funcionário que combine com os outros funcionários da equipe e também com a maneira como o gestor trabalha. Entretanto, essas premissas podem acabar excluindo uma gama de outros possíveis profissionais que possam contribuir de outras maneiras mais eficazes, tendo um potencial de crescimento no trabalho ainda maior.

Ao priorizar determinada formação, como por exemplo um MBA em uma Universidade renomada, já estamos dando preferência a candidatos mais tradicionais ou com um perfil muito semelhante um do outro. Muitas vezes essa escolha traz consigo uma inclinação implícita por homens brancos, por exemplo, afinal são eles que ocupam boa parte dos programas de MBA consagrados.

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

Confira abaixo cinco dicas de como ter um negócio inclusivo:

Como ser mais inclusivo: todos temos preconceitos, visíveis ou não

Falar sobre preconceito muitas vezes é algo incômodo e desconfortável. Assumir a existência deles pode ser muitas vezes um trabalho demorado e cansativo. Mas se você tem o objetivo de ter uma empresa mais inclusiva, você deve abraçar esse desafio como prioridade. Todos nós temos preconceitos inconscientes ou estabelecemos modos operantes que orientam nossas ações e suposições do que é correto ou não.

como ser mais inclusivo

Tudo fica mais fácil a partir do momento que conseguimos aceitar que somos humanos e podemos cometer julgamentos equivocados. Precisamos analisar nossas receitas de sucesso sob um olhar mais clínico. Os líderes geralmente deixam a mostra seus preconceitos ao priorizar pessoas de mesma raça, sexo ou qualquer aspecto que se assemelhe as suas características pessoais.

Como ser mais inclusivo: autoconsciência se conquista

Questione-se. A melhor forma de perceber suas preferências ocultas e preconceitos é se desafiando a pensar diferente. Se você estudou num colégio de elite, tente analisar os pontos positivos de contratar alguém que não estudou. Quais perspectivas essa pessoa pode trazer para equipe, bem como discussões mais profundas e melhores decisões. Ao fazer essas perguntas, ficará mais fácil compreender a necessidade de visualizar além da sua receita de sucesso, percebendo seus preconceitos velados e transformando-os em futuros potenciais para conquistar uma equipe mais inclusiva.

como ser mais inclusivo

Leia também: Inovação no RH? Não se confunda, comece por aqui

Como ser mais inclusivo: formação de equipes pensantes

Observe a sua equipe. Ela está muito homogênea? Os integrantes possuem as mesmas opiniões e as discussões muitas vezes acabam em um consenso geral sem muitos contrapontos? Esse é um sinal importante para perceber que não existe uma inclusão.

como ser mais inclusivo

Ao buscar um novo funcionário, analise competências e perspectivas que faltam para o seu time. Busque na trajetória do seu futuro funcionário vitórias e desafios que o fizeram se destacar. Combinar diferentes culturas melhora a convivência e proporciona uma troca de ideias mais madura e com aprendizados diários.

Com uma equipe inclusiva, percebe-se que cada integrante possui necessidades diferentes, bem como hábitos particulares. Com isso, aumenta-se as chances de conseguir soluções mais produtivas e criativas.

Como ser mais inclusivo: revise seus critérios para promoção:

Talvez sua empresa já possua uma gama de funcionários com uma ampla variedade de origens. Entretanto, mesmo assim você percebe que eles não se sentem igualmente bem-vindos e valorizados. Isso é comum e reflete um problema nos critérios de promoção. Ter uma empresa diversa não significa necessariamente ser inclusivo.

A inclusão é um objetivo que se constrói e deve fazer parte da cultura da organização. É preciso dar espaços iguais e oportunidades semelhantes a todos. Todos os funcionários precisam sentir que possuem a mesma oportunidade de avançar e crescer profissionalmente dentro da organização.

É fundamental entender como as políticas internas da empresa podem impactar negativamente nesse processo de inclusão. Muitas vezes esses critérios valorizam apenas resultados, muitas vezes ignorando experiências. Por exemplo: alguém que assumiu um novo projeto e não obteve o sucesso esperado, pode ter aprendido a ter mais determinação e perseverança do que outra pessoa que escolheu algo mais seguro e com sucesso garantido.

Além disso, estudar os dados de funcionários e suas dificuldades é uma boa maneira para começar a pensar em um novo processo interno. Uma empresa que aspira ser mais inclusiva deve observar seus números de recrutamento, engajamento e promoção. Se sua empresa contrata mulheres e homens na mesma proporção, mas percebe que poucas delas alcançaram cargos mais altos ou se mantiveram na organização por mais tempo, é um sinal de que elas estão recebendo menos oportunidades de avanço do que os homens.

Leia também: Desafios de investir na gestão de pessoas: vantagens, obstáculos e resultados

Como ser mais inclusivo: espalhe essa prática de dentro para fora

Uma maneira prática para conseguir transformar a cultura organizacional a fim de ter uma empresa mais inclusiva e diversa é preparar todos os funcionários para isso. Líderes e gestores necessitam de treinamentos exclusivos para que entendam a relevância da diversidade para a sustentabilidade da empresa. Na maioria das vezes, é necessária uma readequação na linguagem utilizada para divulgar vagas, bem como em comunicações internas.

Treinamentos comportamentais, programas de mentoria, workshops são boas maneiras para espalhar essa prática. Mas além disso, para conseguir sair do discurso e partir para a prática é importante que os membros do time executivo da companhia defendam essa necessidade de melhoria, aplicando práticas inclusivas em suas agendas diárias. Nesse sentido, o presidente, diretores e gerentes assumem papeis primordiais nesse protagonismo direto, sendo importante a criação de estratégias de inclusão transparentes.

Se você gostou do nosso artigo, não esqueça de compartilhar com seus amigos em suas redes sociais.

 

Até a próxima.

4 maneiras de crescer na carreira sem se tornar um gerente

Embora seja tentador medir o crescimento da carreira e o sucesso apenas de acordo com o número de degraus que escalamos na hierarquia corporativa, a gerência não é o único caminho para crescer na carreira de forma satisfatória. Ser um gerente vem com responsabilidades que não agradam a todos. Pior ainda, o trabalho gerencial pode afastá-lo dos aspectos do seu trabalho que você mais ama.

Mas só porque você não tem nenhum interesse em gerenciar uma equipe, não significa que você está destinado a estagnar, ou que você tem que obrigatoriamente almejar o próximo nível. Em outras palavras, você nem sempre precisa se mover para cima para seguir em frente.

Abaixo, falaremos sobre algumas formas que você crescer na carreira sem se tornar um gerente.

1 – Procure oportunidades que ofereçam melhorias na função que você já exerce

Nem sempre o processo de crescer na carreira envolve dar um passo adiante. Determinados papéis oferecem oportunidades de se estenderem na mesma posição, através de uma variedade maior de projetos, tarefas mais prestigiadas, trabalho mais profundo ou mais responsabilidade .

Ao buscar sua próxima oportunidade de trabalho, considere a possibilidade de começar perguntando sobre como é o crescimento dentro da função e não sobre o que está além dela.

É preciso entender que administrar uma equipe vem com alguns custos emocionais. Estar de plantão como recurso para seus subordinados diretos, além de ser dependente da agenda de seu próprio gerente, pode significar investimento de tempo e energia. Então, encontrar um papel de contribuinte individual que oferecesse crescimento no papel que você já desempenha é uma excelente oportunidade para crescer na carreira.

Leia também: A Pirâmide de Maslow aplicada ao seu negócio e a gestão de pessoas

2. Faça um movimento lateral em algum lugar maior ou de mais prestígio

Se você quer crescer na carreira sem se tornar um gerente, considere buscar outros lugares como empresas maiores, um território maior de vendas ou uma marca de maior prestígio.

Naturalmente, poucos campos oferecem um sistema de classificação concreto para medir seu crescimento, mas outros indicadores, tanto quantitativos (pense: tamanho da empresa e número potencial de clientes) como qualitativos (pense: influência ou reputação) podem ser seu guia quando você está procurando fazer um movimento lateral.

3. Torne-se um consultor

Depois de se tornar um especialista em seu campo, você pode implantar suas habilidades e experiência em uma função de consultoria. Quando você tiver a oportunidade de trabalhar por sua conta, poderá traçar o crescimento de sua carreira com as mesmas métricas usadas para medir o sucesso do seu negócio de consultoria, como alcance e receita.

Embora a liberdade de consultoria seja uma grande vantagem em si, ela também é mais lucrativa financeiramente do que sua posição anterior. Por isso, vale a pena investir em uma carreira de consultoria, caso não queria crescer na carreira em níveis gerenciais.

4. Aprofundar ou ampliar seu conjunto de habilidades para se tornar um especialista

Se você não está dedicando tempo e energia para cultivar habilidades gerenciais, pode se concentrar em aperfeiçoar outras habilidades, quer isso signifique aperfeiçoar seu argumento de vendas, tornar-se um assistente de modelagem financeira ou dominar todas as ferramentas de gerenciamento de projetos.

Além de ter a métrica tangível de tamanho de mercado para medir seu crescimento, a imersão em novos aprendizados da oportunidade de melhorar suas habilidades diariamente. Encontre um nicho no seu trabalho em que você realmente se desenvolva e melhore o máximo que puder para que você seja considerado um dos melhores nesse conjunto de habilidades. Embora um conjunto de habilidades mais profundo seja satisfatório em si mesmo, você também pode estabelecer alguns indicadores-chave de desempenho para avaliar o crescimento de forma mais objetiva.

EXTRA: Como se tornar um consultor de negócios?

Se você leu o nosso artigo sobre como crescer na carreira sem se tornar um gerente e ficou interessado em tornar-se um consultor de negócios, preste atenção nas próximas linhas:

Bem, antes de mergulhar de cabeça na ideia de ser tornar um consultor de negócios, é aconselhável que você procure conhecer o mercado. Assim como em qualquer outra profissão, essa etapa também é importante para quem deseja migrar ou iniciar uma carreira prestando serviços de consultoria empresarial.

O primeiro passo para isso é escolher uma área de atuação. O profissional de consultoria pode atuar como uma espécie de “generalista” ou escolher uma especialidade, como tecnologia da informação, por exemplo. Independentemente da escolha, o importante é procurar observar o comportamento de profissionais mais experientes e, principalmente, buscar qualificação profissional para trabalhar na área de consultoria. Isso comprovadamente torna a ambientação mais natural e faz toda a diferença para quem quer crescer na carreira.

Leia também: Como a saúde interfere na produtividade nas empresas

Como falamos anteriormente, o trabalho como consultor é gratificante e recompensador, no entanto, alguns profissionais acabam enfrentando dificuldades no início da carreira, que, em geral, estão relacionadas à adaptação a um novo estilo de vida ou a uma nova metodologia de trabalho. Viajar constantemente, por exemplo, é um hábito que poucas pessoas têm e que pode ser importante para o consultor que trabalha com empresas sediadas em outras cidades espalhadas pelo país.

Além disso, a consultoria empresarial, apesar de estar em franco crescimento, é também uma área muito competitiva e isso é um fator que deve ser levado em consideração pelo profissional que deseja abrir seu próprio negócio. A verdade é que há espaço para crescer e conquistar mercado, mas o trabalho duro é um requisito essencial para quem quer crescer na carreira sem se tornar um gerente.

Gostou das nossas dicas? Então, não deixe de compartilhar com seus amigos em suas redes sociais. Até a próxima.

Como funciona e como reduzir o FAP da sua empresa de forma eficiente

Basta um descuido para que uma situação complicada, como um acidente de trabalho, aconteça diante dos nossos olhos, não é mesmo? Algumas vezes por negligência de alguém, ou falta de manutenção em algum maquinário, colocamos tudo a perder.

 

Normalmente, as consequências não são apenas sofridas para quem foi a vítima do acidente. Quando uma situação acontece e provoca lesão corporal ou perturbação funcional, permanente ou temporária, é caracterizada por lei como acidente de trabalho. E, como sabemos, as empresas são automaticamente responsabilizadas pela Constituição Federal.

 

Além da indenização que deve ser paga pela empresa, existe também o SAT, Seguro contra Acidentes de Trabalho, um encargo que incide sobre o empregador e que financia os benefícios oferecidos pelo INSS, Instituto Nacional de Seguro Social. Por sua vez, o seu valor é calculado pela multiplicação da folha de pagamento de uma empresa pela alíquota de RAT, Riscos Ambientais do Trabalho, com variação de 1% a 4%. Antes da implantação da FAP este valor era fixo, agora é individualizado e melhor distribuído. Estes dados são importantes para quem quer entender como funciona o FAP e como reduzir FAP da sua empresa.

 

O que é o FAP?

 

O Fator Acidentário de Prevenção, mais conhecido como FAP, é um indicador que atua como um mecanismo para aumentar ou diminuir a tarifa RAT, conforme falamos acima. Esta tarifa é medida de acordo com a quantidade, a gravidade e o custo das ocorrências acidentárias de cada empresa, usando como comparativo outras instituições do mesmo segmento econômico.

 

Basicamente, o FAP – Fator Acidentário de Prevenção, trata-se de um índice da previdência social que estabelece um determinado valor numérico, referente ao risco da atividade principal de alguma empresa ou instituição.

 

A FAP tem o objetivo de incentivar empresas e instituições a investirem em melhores condições de trabalho e saúde do trabalhador. Por isso, este fator é avaliado com muita atenção.

Como funciona o FAP?

 

O FAP entrou em vigor no ano de 2010, e o seu resultado é diretamente ligado ao desempenho da empresa. Você já se perguntou como funciona o FAP?

 

O FAP funciona como um sistema, onde o seu resultado varia de 0,5000 a 2,0000 e o mesmo se encontra disponível no Ministério Público Social, somado às respectivas ordens de frequência, gravidade, custo e demais elementos que viabilizam a verificação, bem como documentos de apoio, nos quais constam a legislação.

 

Caso haja divergência entre o resultado e a realidade atual da instituição, a empresa tem o direito de contestar de forma eletrônica, através de um sistema específico disponibilizado pelo Ministério Público Social – MPS, perante o departamento de Políticas de Saúde e Segurança Ocupacional, o DPSSO, da Secretaria Políticas de Previdência Social.

 

Se você ainda possui dúvidas sobre os procedimentos para contestação, saiba que são estabelecidos por Portaria Conjunta publicada anualmente pelo Ministério da Fazenda e da Previdência Social. Lembrando que esta contestação deve ocorrer dentro do prazo de 30 dias da sua divulgação oficial, de acordo com o decreto número nº 3.048/1999 art. 202-B.

 

Leia também: Como ter uma medicina preventiva efetiva

 

Como o FAP era calculado antes e quais foram as mudanças?

 

Até o ano de 2015, o valor do FAP era calculado somente através do CPNJ raiz da empresa. Isso quer dizer que, o estabelecimento de qualquer segmento econômico pagava o mesmo imposto sobre o histórico de acidentes no período. Após muitas reclamações, o STJ, a SEFAZ e a PGFN se reuniram para discutir e aprovar melhorias e condições mais justas.

 

Como resultado, o cálculo agora é baseado nas características de cada estabelecimento. Por exemplo, um setor que oferece risco médio poderá ser beneficiado com FAP baixo. Outra alteração muito importante é que as empresas que não registraram acidentes de trabalho podem reduzir o FAP, pois ganharão bônus e possibilidade de arcar somente com 50% do seguro. Esta é uma dica importante para quem quer reduzir o FAP da sua empresa.

 

Quais são as fontes de dados do FAP?

 

Conheça agora quais são as principais fontes de dados para o Fator Acidentário de Prevenção. Estas informações te ajudarão e entender melhor como funciona a FAP e como reduzir o FAP da sua empresa.

 

  • Registros da Comunicação de Acidentes do Trabalho (CAT);
  • Registros da concessão de benefícios acidentários pelo INSS;
  • Dados populacionais de empregatícios do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS);
  • Expectativa de sobrevida do segurado de acordo ao quadro de mortalidade do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

 

Como Reduzir o FAP da sua empresa?

 

As empresas são responsáveis por uma importante contribuição, que consiste na parcela direcionada ao Seguro Acidente de Trabalho – SAT. Este valor é destinado ao subsídio de benefícios de amparo ao trabalhador que se encontra em situação de incapacidade de realizar as suas principais tarefas dentro da empresa.

 

A proposta atual, é que as empresas analisem os seus gastos para manter a competitividade no mercado. No entanto, poucas empresas incluem em seus relatórios o FAP. Agora, a pergunta é: como reduzir o FAP da empresa?

 

O processo de regulamentação dos serviços de saúde e segurança do trabalho foi uma etapa importante para trabalhadores e empresas. Porém, apesar da sua enorme importância, o serviço sempre foi visto mais como um encargo do que como um investimento de fato. Isso porque as empresas não se sentiam estimuladas a investir na área. Gradualmente, este pensamento está sendo transformado e os empresários conseguem enxergar que o investimento é um grande benefício não só para o trabalhador, como para a saúde financeira da empresa.

 

O mercado entendeu esta demanda e alguns equipamentos foram desenvolvidos para, de fato, colocar a saúde do trabalhador em primeiro lugar.  Modernidade em segurança do trabalho, cortando custos e auxiliando na queda de impostos. Um exemplo, são as soluções inovadoras da Safety, uma plataforma completa de gestão de saúde organizacional.

 

Safety é uma alternativa bastante eficiente para empresas que pensam em investir na segurança dos seus trabalhadores com agilidade e alta performance. Além de mitigar os riscos, a plataforma tem a capacidade de contribuir significativamente para a redução de FAP.

 

Quer saber como reduzir o FAP da empresa com o auxílio da Safety? Vamos te explicar

 

Totalmente online, Safety é uma plataforma que faz aferições sobre as condições de saúde dos funcionários, fiscalizando a documentação e liberando ou não o acesso do mesmo na empresa. Dados como peso, altura, pressão arterial, IMC e batimentos cardíacos são aferidos 100% mais rápido do que de aferições manuais. Sem contar o tempo de digitação de dados de forma manual, pois com a Safety os dados já estão no sistema de forma online.

 

Essas informações geram relatórios com dados importantes, possibilitando que os gestores tenham em mãos informações sobre a saúde dos seus funcionários. As estatísticas ficam disponíveis em tempo real para desktop e celular.

 

Agora que sabemos como reduzir o FAP da sua empresa, vamos te dizer quais são os outros benefícios da Safety:

 

  • Aumento na produtividade
  • Baixa no absenteísmo
  • Redução no valor do plano de saúde ao diminuir a sinistralidade
  • Automatização de permissão para trabalhos especiais.

 

Curiosidade: A Safety* já foi testado em diversos países, comprovando sua eficiência com resultados consistentes pelo mundo todo. Além disso, tem certificação do Inmetro, FDA e CE. Entre em contato por este link e conheça mais!