O que é Liderança Transformacional e por que ela é tão importante em momentos de crise

Antes de nos aprofundarmos sobre o assunto de liderança transformacional, é importante você entender o que é ser um líder e, a partir daí, saber diferenciá-lo de um chefe.

Então, vamos lá! Chefe é alguém que impõe o que e como se deve fazer determinada tarefa para se atingir algum objetivo. A preocupação do chefe é o resultado que se pode alcançar, seja no cumprimento das metas organizacionais, seja no sentido de atender às determinações dos superiores. Sua autoridade advém do cargo e se vincula à hierarquia institucional. As pessoas que compõem seu grupo de trabalho são meios de obtenção dos resultados. Daí o termo “mão-de-obra” ou “recursos humanos”, junto com outros recursos para atingir resultados.

Líder, por sua vez, é alguém que prioriza as pessoas da equipe e faz com que assumam a execução de alguma tarefa ou meta a ser cumprida. Liderança é a habilidade e a capacidade de conduzir um grupo, desde pequenos grupos de amigos ou familiares a grandes organizações e instituições, motivando-o a colaborar voluntariamente na consecução de objetivos comuns. As duas formas não são opostas, muito menos excludentes. São os dois polos de uma organização produtiva em um ambiente agradável de boa convivência. Pois um grupo precisa de gestão e motivação para concluir os seus objetivos.

Leia também: Beacons na Indústria: o que são e como podem ser utilizados

Sabemos que é impreciso dizer que existe “um estilo de liderança ideal” ou uma fórmula mágica para se tornar o líder perfeito. Existe o perfil adequado às circunstâncias, à estratégia, aos setores e funções desempenhadas e aos objetivos da empresa. E, nesse contexto, o líder transformacional tem se destacado e ganhado força frente ao líder transacional.

 Mas, afinal, o que é liderança transformacional e por que ela é tão importante em momentos de crise? Continue a leitura e descubra.

A teoria da liderança transformacional é baseada no líder como fonte e modelo de inspiração para seus comandados, por meio de uma postura forte, autêntica e rica em valores morais. É um tipo de gestor visionário, estrategista, motivador e que se mostra altamente engajado com o desenvolvimento de sua equipe e com a construção do futuro da empresa.

Caracteriza-se como um profissional capaz de resolver problemas rotineiros e complexos, de solucionar atritos de forma equilibrada, estimular o aprendizado, além de assumir, até mesmo, a função de treinador de toda a equipe. Sob o comando dessa liderança transformacional, a cultura corporativa prevalece sobre a individual, fazendo com que a coletividade seja fortalecida em um clima colaborativo. Os membros da equipe são incentivados a inovar, a explorar criatividade e novos caminhos, em busca de diferentes resultados. São encorajados a assumir uma postura proativa frente aos desafios e às oportunidades e treinados para isso. Assim, possuem autonomia para tomar decisões e agir.

A liderança transformacional tem se tornado essencial em organizações para as quais a inovação e a agilidade são vitais, graças a sua visão, expertise e habilidade de moldar a cultura e a estrutura da empresa, a fim de enfrentar, com êxito, as mudanças de realidade. Ele cria condições para otimizar a atuação da equipe, motivá-la e direcioná-la à nova estratégia, com foco nos objetivos a longo prazo.

Leia também: O que é mentoring nas empresas e saiba suas vantagens

O termo liderança transformacional, apesar de ter sido criado há décadas, está se enquadrando perfeitamente no conceito de liderança de sucesso dos dias atuais. Diferente da gerência tradicional que se concentra em organizar e supervisionar o cumprimento de tarefas, oferecendo recompensas e punições, esses líderes criam mudanças significativas na vida dos colaboradores e, consequentemente, na organização. O ato de transformar pessoas está no sentido de desenvolvê-las, melhorá-las, despertar mais potencial, ajudando-as a se tornarem o melhor profissional que podem ser.

Quais são as características necessárias para exercer a liderança transformacional dentro de uma instituição?

Na liderança transformacional, o papel do gestor é ser um agente de mudança do seu entorno para conseguir engajar as pessoas na busca por objetivos comuns e na realização de grandes feitos. Para assumir essa posição, o líder precisa ter carisma, capacidade de empatia, instinto de inovação, entre outras características que contribuam para a promoção de mudanças significativas em seu entorno.

As mudanças citadas não devem ocorrer somente no ambiente organizacional geral, mas também, ser referente às pessoas que o compõem. A capacidade de tocar e modificar pensamentos e crenças previamente arraigadas é o que permite que um líder seja um promotor de transformações nos contextos em que estão inseridos. O líder que transforma sabe quando precisa fazer algo como exemplo e quando deve delegar tarefas.

Comunicação é a base da liderança transformacional

Para conseguir engajar todos os membros da equipe em prol da realização de um mesmo objetivo é necessário que o líder tenha plena capacidade de comunicação. Cabe ao líder transformacional estabelecer um estilo comunicativo que abarque todas as crenças e significados que têm relação com aqueles que estão ouvindo.

Trabalhe sempre com a antecipação de problemas

No contexto da liderança transformacional, o líder precisa antecipar os problemas oferecendo soluções que sejam pertinentes. Nem todo mundo tem essa visão naturalmente, mas pode desenvolvê-la aprendendo a ser mais observador e reconhecendo os mecanismos que sempre resultam em problemas sérios.

Equilíbrio

Um ambiente em que há equilíbrio e relações tranquilas entre os membros proporciona mais chances de realização de projetos significativos.

Como a liderança transformacional é tão importante em momentos de crise?

 Na liderança transformacional é comum que os membros da equipe estejam sempre engajados na busca pela realização de algum desafio. Trabalhar para uma realização é uma forma de permanecer sempre preparado para responder ao mercado e gerenciar crises com excelência. Quem não se sente instigado a realizar as suas tarefas cada vez melhores pode perder a sua motivação e acabar tendo um desempenho com menos foco e qualidade com o passar do tempo. Lembrando que desafios não são sinônimos de metas impossíveis e que todo mundo precisa de intervalos entre projetos que demandam muita energia física e mental.

O principal benefício observado neste modelo de liderança é o aumento do desempenho de colaboradores, o que influencia muito frente a qualquer crise. A motivação do time está diretamente ligada ao comportamento de seus gestores. E você, está preparado para esse novo momento do mercado?

Se você gostou do nosso artigo, compartilhe com seus contatos nas redes sociais e não deixe de visitar o nosso blog clicando aqui  Nos vemos no próximo texto.