Processo de Seleção

Processo de seleção: como escolher o candidato certo para cada vaga

O processo de seleção de candidatos para vagas em aberto sempre é um grande desafio para gestores e empreendedores. Muitas vezes, com perfis tão variados e inúmeros currículos recebidos, fica a questão sobre quais critérios é preciso levar em conta, o que analisar, como realizar a seleção e o que priorizar. O mercado cada vez mais está competitivo e ter um processo de seleção qualificado e com regras bem estabelecidas é uma exigência na gestão de pessoas do seu negócio.

Desde o início do processo de seleção, com a divulgação da vaga, já surge em nossas mentes perfis ideais para determinadas funções. Entretanto, quando se dá início ao recebimento de currículos e entrevistas, é comum nos depararmos com características variáveis e qualificações muitas vezes opostas daquelas expectativas iniciais. É normalmente nessa hora que surge o dilema sobre como escolher o candidato certo para cada vaga.

“Quais candidatos chamar para entrevista? ”; “quantas entrevistas são necessárias? ”; “é preciso incluir testes ou dinâmicas em grupo? ”, dúvidas como essas são comuns e cotidianas de recrutadores e equipes de Recursos Humanos. Se há algum tempo atrás bastava uma única conversa para se ter noção sobre o candidato, é cada vez mais comum que haja um processo de seleção mais profundo e com algumas etapas bem estabelecidas para avaliar de fato a qualificação profissional do candidato e se seu perfil se encaixa com o que se espera para a vaga. Abaixo apresentamos algumas dicas de como realizar um processo de seleção que consiga, de fato, escolher o candidato certo para cada vaga. Confira! 

Entenda muito bem sobre o cargo, sua empresa e o perfil do candidato

Uma boa equipe de Gestão de Pessoas ou um gestor deve compreender, antes de um processo de seleção, toda a cultura organizacional e padrões de comportamentos esperado por parte dos colaboradores. Além disso, cada área do seu negócio provavelmente possui um perfil de atuação e demanda profissional, muitas vezes específicos. Isso é normal, mas deve se ter bastante consciência antes de selecionar um candidato. Provavelmente o funcionário esperado para uma equipe de Marketing, por exemplo, tem um perfil completamente diferente do selecionado para uma equipe Financeira.

Processo de Seleção

Outro ponto comum é vermos candidatos selecionados apenas por possuírem qualificações que se encaixam no perfil profissional esperado para a vaga aberta. Entretanto, logo que são contratados passam a enfrentar sérios problemas de identificações com a missão e valores da empresa, sem haver nenhuma afinidade com a cultura. O principal ponto de candidatos assim é a baixa produtividade após a contratação por conta da desmotivação. Muitos colaboradores entram na organização esperando uma coisa, enquanto a empresa demanda outra.

Então, quando você for realizar um processo de seleção, procure deixar muito claro em sua mente quais são os valores do seu negócio e tente compreender se o candidato se encaixa neles ou possui algum incômodo com alguns dos aspectos esperados para a sua equipe.

Leia também: Cinco dicas de como ser mais inclusivo na sua empresa

Crie mapas mentais de perguntas-chaves para a contratação

Ao iniciar as conversas iniciais para o processo de seleção é natural querer logo de cara contratar alguém que se encaixou com atributos semelhantes que tenham se destacado particularmente para o recrutador. Seja uma característica profissional mais próxima do currículo do gestor ou do profissional de RH em questão, ou até mesmo uma afinidade de personalidades. Entretanto, essa escolha pode estar sendo extremamente subjetiva e não levando em conta aspectos objetivos e essenciais.

Processo de Seleção

Para garantir que sua escolha será extremamente fundamentada e tentando ao máximo se distanciar dos seus gostos pessoais, é importante verificar seus critérios de contratação e planejar aspectos importantes a serem analisadas no candidato, desde questões técnicas, até de vivência profissional, como, por exemplo: quais experiências o candidato já tem e como elas podem ser essenciais para a vaga em questão; habilidades avançadas relevantes; após contratado, quanto tempo de treinamento esse candidato demanda; a eficácia e rapidez que o candidato irá apresentar seu trabalho no dia a dia; seu histórico de crescimento e desenvolvimento profissional onde trabalhou, bem como se o candidato assume erros que possa ter cometido;  suas qualidades e características quantitativas de realizações de carreira; entre outros aspectos específicos que cada vaga pode vir a ter necessidade ou sua empresa espera saber sobre o candidato.

Leia também: Como os processos de gestão favorecem a sua empresa

Mas afinal, quantas fases são necessárias para um processo de seleção?

Uma dúvida comum em quem está em busca do candidato certo para cada vaga é como realizar o processo de seleção e quais mecanismos inserir nele. Como descrito acima, as entrevistas são extremamente importantes para descobrir as características profissionais, sociais e intelectuais de cada candidato. Entretanto, a forma como ela será realizada, bem como a abordagem podem influenciar diretamente nessa percepção.

Processo de Seleção

Muitas empresas têm realizado múltiplas etapas em seu processo de seleção, desde uma primeira apresentação em vídeo ou texto, uma dinâmica em grupo, entrevistas individuais com mais de um recrutador, até um teste final específico para cada vaga. Porém, muitos candidatos acabam desistindo logo de início ou recrutadores acabam enfrentando uma dificuldade ainda maior de conseguir definir métricas e pontos avaliativos em cada uma dessas fases.

A dica é não fazer porque todo mundo faz. Procure compreender quais são as necessidades do seu negócio e da área em questão do cargo a ser ocupada. Faça uma análise do perfil profissional que já atua nessas equipes e quais são os métodos atuais utilizados para avaliar o rendimento dos funcionários.

Quando estabelecemos que todos os futuros funcionários terão que fazer um vídeo de apresentação, por exemplo, podemos estar inconscientemente dando exclusividade para profissionais extrovertidos, comunicativos ou que consigam se desenvolver bem perante às câmeras. Mas será que todas as áreas da sua empresa têm necessidade de ter um profissional assim?

O mesmo funciona para testes e técnicas de simulação em grupo. Áreas mais práticas, como equipes de TI ou de vendas, talvez um exercício seja uma boa estratégia para o seu processo de seleção. Agora outra área, como a de Gestão de Pessoas, talvez não seja assim tão necessário um teste prático, mas sim entrevistas individuais ou até mesmo dinâmicas em grupo.

Leia também: 8 vezes que candidatos não foram contratados por algum post nas redes sociais

Como você percebeu, o processo de seleção deve ser tratado com atenção e cuidado por todos os gestores e equipes de RH. Ele demanda bastante tempo e dedicação, sendo necessário conhecer bem o negócio e cada vaga em aberto. Não se deve aplicar uma mesma técnica para todos os casos e é importante utilizar alternativas de instrumentos para conseguir identificar o candidato certo para cada vaga.

Se esse texto lhe ajudou a criar um processo de seleção qualificado para o seu negócio, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais.

Até a próxima!