Como montar um projeto de medicina preventiva

A medicina preventiva é um grande desafio para a saúde pública e privada, já que através dela é possível prevenir o aparecimento de doenças e até erradicar doenças contagiosas como sarampo e poliomielite. Por isso, é muito importante saber como montar um projeto de medicina preventiva em sua empresa.

Os médicos atuam para intervir no aparecimento de doenças, baseados nos dados epidemiológicos as empresas mapeiam. Dentro da Medicina Preventiva há ações como vacinação, projetos de atividade física e emagrecimento, exames periódicos de colesterol, câncer e diabetes, campanhas contra o fumo etc.

A elaboração de um projeto de medicina preventiva tem como principal objetivo manter seus funcionários saudáveis e aptos para o trabalho. Os maiores índices de problemas causados em escritórios são a partir de má postura, estresse, hipertensão e má alimentação.

Com esses dados, os médicos oferecem palestras instrutivas para mostrar o quanto pequenas atitudes fazem grande diferença.

Um projeto de medicina preventiva tem o poder de diminuir a ausência de funcionários por motivos de doenças e acaba impactando diretamente na motivação ao trabalho, refletindo na produtividade e na redução de custos a médio e longo prazos.

Agora que você já sabe sobre a importância em ter um projeto de medicina preventiva na empresa, vamos te ensinar alguns fundamentos importantes para ter um projeto eficaz.

A criação de um programa de medicina preventiva envolve levantamento do perfil populacional, orçamentos, captação de participantes, planejamento, execução e análise de resultados. Para saber mais, continue a leitura.

Levantamento do perfil dos funcionários

Para iniciar a criação de um projeto de medicina preventiva, o primeiro passo é realizar o levantamento do perfil da empresa, ou seja, estudar o perfil epidemiológico. O maior objetivo é identificar os principais problemas de saúde que existem ou que podem surgir em determinados grupos. Com o levantamento do perfil epidemiológico, os gestores têm mais informações para planejar as ações que serão tomadas durante os programas.

Antes, a tarefa de recolher esses dados era manual. A empresa precisava ir até cada um de seus funcionários e fazer perguntas sobre doenças e só depois colocar as informações coletadas em uma planilha. Com o avanço da tecnologia, as dificuldades que precisavam ser enfrentadas pelas empresas foram praticamente eliminadas.

Atualmente, as empresas que se preocupam um pouco mais com a saúde da sua empresa, possuem sistemas de gestão de programas de medicina preventiva, que coletam as informações para construir o perfil epidemiológico no momento do cadastro. O Safety Gestão de Saúde é um excelente exemplo deste tipo de programa.

Leia Mais: As tendências para medicina preventiva e segurança do trabalho

Verificar o orçamento

A instituição precisa verificar o orçamento da empresa, ou seja, averiguar qual o valor máximo que pode ser gasto com a criação do projeto de medicina preventiva. É importante ressaltar que as ações, mesmo depois de implementadas, continuam tendo despesas. Por outro lado, os custos com tratamentos são reduzidos. Todos esses dados devem ser analisados posteriormente.

No orçamento inicial, é importante considerar valores gastos com a divulgação do programa, com cartilhas ou outras propagandas, além da necessidade de expandir a equipe. Nesse contexto, é possível prever quais serão os custos imediatos com os exames preventivos. Por exemplo, se forem feitas ações de prevenção do câncer de mama, haverá um aumento na realização de mamografias. Esses valores podem ser calculados antes mesmo do programa ser colocado em prática.

Também devem ser incluídos alguns outros fatores que muitas vezes não podem ser quantificados, como o tempo que os funcionários dedicarão para realizar as ações. Nesses casos, utilizar sistemas como o Safety auxilia em tarefas como selecionar e captar os participantes ou mensurar os tempos de atendimento.

Planejamento das atividades

O planejamento das atividades do projeto de medicina preventiva deve ser feito de forma conjunta com os profissionais envolvidos no programa. É preciso estabelecer quais ações são emergenciais e devem ser colocadas em prática primeiro.

Durante o planejamento, todas as etapas são discutidas desde as ações que serão desenvolvidas até os resultados esperados de cada programa. Apesar das empresas procurarem a redução de custos, a medicina preventiva tem como meta principal melhorar a saúde dos beneficiários. Depois que essa etapa for concluída, é importante retornar a verificar o orçamento para garantir que as ações planejadas estejam dentro do investimento estipulado.

Engajamento dos participantes

Esse passo é fundamental para que o público alvo seja atingido e todos os beneficiários tenham a oportunidade de participar dos programas do projeto de medicina preventiva. A forma mais rápida para fazer a captação é com sistemas que permitam a utilização de filtros de cadastro, como o Safety.

Por exemplo, se for decidido que serão feitas ações para prevenção de câncer de próstata, por meio do sistema de cadastro é possível selecionar os homens com mais de 40 anos que não realizaram nenhum processo preventivo nos últimos dois anos.

Leia Mais: Como a saúde interfere na produtividade nas empresas

Execução do Projeto de Medicina Preventiva

Com os passos anteriores finalizados, é hora de colocar as ações em prática. Se a sua empresa ainda não tem experiência com projetos de medicina preventiva, não se preocupe. O desempenho no começo pode ser um pouco lento, mas com a dedicação dos envolvidos, o projeto será muito bem executado. Os responsáveis não devem se esquecer de acompanhar as atividades. Se algum problema for detectado nas etapas iniciais, ainda é possível fazer os ajustes necessários sem prejudicar o andamento do projeto.

Análise do projeto de medicina preventiva

Por último, as empresas devem fazer a análise de resultados. Mas essa avaliação não pode ser feita de imediato. É preciso esperar um período de adaptação para que seja possível tirar alguma conclusão.

A etapa de análise é importante para que as empresas vejam o que não está bem e então decidir quais estratégias devem ser tomadas. Para a análise de resultados, deve ser levado em consideração a adesão dos participantes, o grau de satisfação, entre outros aspectos que possam interferir na qualidade e eficiência das ações planejadas.

Também deve-se examinar a melhoria de vida dos beneficiários, fator que está sempre entre os objetivos principais. É importante lembrar que, a curto prazo, criar um projeto de medicina preventiva tem um custo de investimento inicial. Mas, com o passar do tempo, o valor investido e o retorno financeiro devem se igualar, para, no futuro, a recompensa ser maior.

Mais uma vez, vale lembrar que mesmo sem experiência em ações de medicina preventiva, uma equipe dedicada e comprometida pode executar o programa com sucesso.

Se você gostou do nosso artigo sobre como montar um projeto de medicina preventiva não esqueça de compartilhar em suas redes sociais. No nosso blog você encontra uma série de artigos que podem te auxiliar ainda mais sobre gestão e implantação de medicina preventiva nas empresas. Até a próxima.